13.05

Em uma resposta longa sobre uma pergunta sobre como se deve construir um mundo, já como construiu o Mundo das Sombras do zero, Cassandra Clare deu diversas dicas para quem está em seu próprio processo de escrita e quer dicas, falando um pouco sobre o mundo que está criando para “Sword Catcher”, sua primeira série adulta que não se passara no mundo dos Caçadores de Sombras.

Confiram tudo já traduzido e adaptado por nossa equipe:

edgeboynate: Oi, Cassie! Desde que comecei a ler seus livros dos Caçadores de Sombras, eu amei o mundo que você criou e estou impressionado com a maneira como você consegue construí-lo cada vez mais a cada livro que escreve. Você tem alguma dica ou truque sobre a construção de mundos? Como você criou esse mundo incrível?

Eu poderia escrever um livro inteiro sobre construção de mundos – de fato, existem muitos livros sobre isso! Todo livro, mesmo a ficção contemporânea, exige construção de mundo: você está sempre criando um senso de lugar, tempo e personagem em uma história, que é essencialmente o que é a construção de mundo.

Obviamente, a fantasia tem elementos específicos de construção do mundo que outros gêneros não têm, e é sobre isso que vou falar brevemente aqui. Estas são algumas etapas que você precisa considerar ao criar um mundo de fantasia, seja um mundo aberto ou fechado.

1) Qual é o seu normal?

Você sempre estabelecerá qual é a norma no seu mundo antes de fazer qualquer outra coisa. Você não precisa entrar no âmago da questão, mas defina suas regras básicas. Existe magia? Se sim, qual é o custo da magia? (O poder nunca é de graça – sempre custa esforço, conhecimento, partes do corpo, etc). Todo mundo sabe sobre a mágica? (nesse caso, o seu é um mundo aberto de fantasia). É um segredo? (mundo de fantasia fechado). Qual é o período temporal? Nível de tecnologia?* Quais são os principais antagonistas do seu mundo? Quais são os maiores perigos? E, finalmente, qual é a principal coisa que seu personagem quer? Pode parecer um trabalho de personagem, mas é intrínseco à construção do mundo. Se seu personagem quer, acima de tudo, ser rei, por exemplo, então você sabe que tem uma monarquia.

*Se lembre da primeira lei de Clarke: “Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da mágica”. Em outras palavras, geralmente você pode ter tecnologia mágica ou super avançada, mas não as duas, porque elas fazem exatamente a mesma coisa em uma história. Os feitiços de localização são inúteis se você tiver dispositivos de rastreamento implantados em todos. Se você quer ter os dois, precisa descobrir como o que eles fazem é diferente. Caso contrário, você estará dando ao Homem-Aranha o poder de voar, tornando inútil seu poder de balançar nas teias. Então, pense bem!

2) Faça suas regras.

Também conhecida como consistência interna. Nosso mundo é governado por leis naturais que determinam o que as pessoas podem ou não fazer. Um mundo que você cria deve ser o mesmo. E se apenas algumas pessoas puderem fazer mágica? Então você tem que descobrir quem eles são, por que eles podem fazer mágica, quais regras governam a prática dessa magia, como o resto da população se sente sobre eles e em que essa magia se baseia. Embora você não precise – e nem deva – explicar todos os detalhes dessas regras no livro, seus personagens precisam cumpri-las. Precisamos acreditar que são pessoas reais que são governadas por um conjunto de restrições internamente consistentes que moldam e definem seu comportamento. Se seus personagens principais moram em uma cidade murada que fecha à noite, nos mostre que eles se preocupam em voltar antes que os portões se fechem.

3) Quebre suas regras.

Metade da razão pela qual você estabeleceu seu normal é para que você possa ferrar com ele. Histórias são sobre conflitos. Elas são sobre o momento em que as coisas dão erradas, não sobre as coisas dando certo. Elas são sobre coisas que de repente não estão em conformidade com as expectativas. Se você tem uma terra governada por um rei benevolente que todo mundo adora, o assassine (Melhor ainda se seu personagem principal fizer isso). Se você tem um mundo onde as mulheres não podem fazer mágica, você precisa de uma feiticeira durona para se erguer. Se parabatai não pode se apaixonar, tenha certeza que dois deles se apaixonem. Se os Caçadores de Sombras são descendentes de anjos, o que acontece quando alguém é descendente de demônios? Depois de construir seu mundo, sua primeira pergunta deve ser: “O que essa história fará para mudar isso”?

4) Tudo se resume a um tema.

Pense nas implicações temáticas do seu mundo. Se você está construindo um mundo de fadas sem tecnologia e muita natureza, pense em como não ter tecnologia e a magia da natureza preenche muito desse uso e influenciará a maneira como os personagens falam, as expressões que usam, o que eles vestem (nada com zíperes, nada produzido em massa) a maneira como eles vivem o dia-a-dia (infelizmente, não há descarga nos banheiros). Por exemplo, o caráter temático dos livros dos Caçadores de Sombras é definido pela mitologia abrangente de anjos e demônios. Lâminas de serafim, que precisam ser ativadas falando o nome de um anjo, seguem esse tema. Tudo o que os personagens dos Caçadores de Sombras fazem é definido pela crença de que eles têm sangue de anjo (ou temem ter sangue de demônio). Sempre que eu construo uma nova mitologia no mundo dos Caçadores de Sombras, tenho que pensar: “Isso se encaixa com quem os Caçadores de Sombras pensam que são, suas prioridades, crenças e história? Isso é algo que poderia ou aconteceria nesta sociedade complexa, pequena e militarista?”

Pode ajudar pensar nisso como uma estética, como se você estivesse montando uma casa. Esta peça vai ou entra em conflito com todo resto?

5) Pequenos detalhes.

Pequenos pedaços que parecem únicos e verdadeiros ajudam a construir um mundo. Em vez de gastar seu tempo detalhando toda a história da Família Real por mil anos, crie uma sala no palácio onde os rostos dos inimigos reais são ressecados, esticados e montados em vidros. Agora sabemos que a Família Real é assustadora, o que é mais interessante do que saber o nome de todos os avós de todos. Coisas que não são importantes são boas se forem interessantes. Coisas aleatórias que eu conheço sobre Castellane, a cidade de “Sword Catcher”: a luz interior vem de candeeiros, as dentaduras são feitas com os dentes de soldados mortos, a rainha adora a fruta calamondin e, se você cair na baía, um crocodilo vai te comer. Pense nos grandes detalhes da construção do mundo – nomes de países, tipo de religião, maneira como a mágica funciona – como as paredes, vigas e piso de sua casa. Os pequenos detalhes são sua pintura, papel de parede e móveis. Um é uma estrutura; o outro é o sentido e o caráter dessa estrutura.

Há muito mais a dizer sobre a construção de mundos e eu sempre fico feliz em responder perguntas sobre escrita. Me oferece uma ótima oportunidade de procrastinar. 🙂 Boa sorte!

Lembrando que aqui no Brasil, a Galera Record já anunciou que “Chain of Gold” será publicado somente no 2º semestre de 2020 – para ler, venha AQUI. Você pode comprar “Chain of Gold” EM INGLÊS na Amazon com o extra do casamento Wessa e a gravura de Cassandra Jean, que acabou de ser lançado, clicando AQUI, ou compre a versão digital do livro, também em inglês, clicando AQUI.

Algumas informações adicionais: O segundo livro da trilogia se chamará “Chain of Iron” e o 3º e último livro se chamará “Chain of Thorns”. Já “Fairy Tale of London” é o conto que virá na 1º edição de “Chain of Gold” contando o casamento de William Herondale e Tessa Gray.

O 1º livro da série “As Maldições Ancestrais” foi lançado no Brasil e se chama “Os Pergaminhos Vermelhos da Magia“: para comprar na Amazon com capa metálica e o conto extra com Magnus conhecendo Catarina Loss que virão somente na 1º edição, basta clicar AQUI. Já para comprar “The Lost Book of the White”, o 2º livro da trilogia que será lançado EM INGLÊS dia 1º de setembro próximo, basta clicar AQUI (este livro não tem data de publicação no Brasil ainda).

Ainda algumas informações importantes para quem desejar comprar na Amazon: o livro somente é cobrado na sua fatura quando enviado. Se nesse período de tempo o preço baixar, você paga o preço mais barato. E você ainda pode ter frete grátis em todos livros independentemente do valor assinando o Amazon Prime, que também te dá acesso ao streaming Prime Video, músicas no Prime Music, livros e revistas para leitura no Prime Reading, jogos no Twitch Prime e promoções exclusivas, e você ainda pode cancelar a qualquer momento. Para começar a aproveitar, clique a seguir e quando a página abrir, em “Teste grátis por 30 dias”: AQUI.

Para saber tudo sobre a trilogia “As Últimas Horas”, basta clicar AQUI.

Fonte

Arquivado nas categorias: Cassandra Clare , Livros , Sword Catcher , The Shadowhunter's Chronicles com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
23.10
Cassie enviou a newsletter de outubro e nela a nossa rainha fala sobre “Chain of Iron”, com um t...
21.10
Nós, do Idris Brasil, vamos sediar uma leitura coletiva de “Corrente de Ouro”, o mais novo lan...
19.10
Cassie postou hoje um novo trecho de “Chain of Iron”, o 2º livro da trilogia “As Últimas Hor...
17.10
Este post está sendo atualizado a medida que mais novidades estão sendo divulgadas. A pré-venda ...
16.10
A Editora Galera Record anunciou a volta do box “Os Instrumentos Mortais” com as novas capas met...
15.10
“Cidade de Vidro”, de Cassandra Clare e o 3º livro da série “Os Instrumentos Mortais”, ent...

Deixe seu comentário



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook