12.01

O site pastemagazine revelou exclusivamente a capa da nova saga de Cassie, “Sword Catcher”, que é uma fantasia adulta e completamente fora do mundo das sombras (que vocês já podem garantir suas cópias na pré-venda acessando AQUI) e que está com lançamento previsto para 10 de outubro de 2023! Vem ver a tradução feita pela nossa equipe:

Nos últimos anos nós vimos autores de grandes nomes no mundo YA pularem para a ficção adulta: Holly Black, Leigh Bardugo, Sarah J. Maas, Kirsten White, e Shannon Chakraborty, apenas para nomear alguns. (E seus livros foram, só para avisar, excelentes). E agora outro grande nome da fantasia adolescente – Cassandra Clare – vai lançar seu primeiro titulo adulto, e os leitores estão animados para ver onde essa história vai dar.

Chamado “Sword Catcher”, o livro soa como um grande começo para Cassie como autora e o próximo passo natural para ela como uma contadora de histórias. Antes que qualquer um pergunte, não, esse livro não faz parte do grande universo Shadowhunter e não parece que terá uma estela ou um parabatai em vista. Ao invés disso, Cassie cria um mundo inteiramente novo centrado em torno da rica cidade-estado de Castellane, uma encruzilhada para os ricos e influentes, e conta a história de dois párias tentando encontrar seu lugar lá.

Descrito como um épico drama de poder, intriga e magia, Sword Catcher introduz uma nova era de uma das vozes mais popular da fantasia.

Aqui está como a editora descreve a história:

Dois párias se encontram no centro de um mundo mudando no começo de uma épica fantasia escrita pela autora bestseller dos livros das Crônicas Shadowhunters.

Na vibrante cidade estatal de Castellane, os mais ricos entre os nobres e os mais pervertidos criminosos tem uma coisa em comum: a constante busca por riqueza, poder e a próxima emoção prazerosa.

Kel é um órfão, roubado da vida que ele conhecia para se tornar um Apanhador de Espadas – o duble corporal do herdeiro real, Principe Conor Aurelian. Ele foi criado junto com o príncipe, treinado em todos os aspectos de combate e política. Conor e ele são tão próximos quanto irmãos, mas Kel sabe que ele tem um destino: morrer por Conor. Nenhum outro futuro é possível.

Lin Caster é uma Ashkar, de uma pequena comunidade que ainda possui habilidades magicas. Pela lei, eles devem viver dentro dos muros da cidade, mas Lin, uma médica, se aventura para chegar aos enfermos e quase mortos em Castellane. Apesar de suas habilidades, ela não pode curar sua melhor amiga Mariam sem acesso a conhecimentos proibidos.

Depois que uma tentativa falha de assassinato junta Lin e Kel, eles são atraídos para a teia do misterioso Rei Ragpicker, o criminoso que comanda o submundo de Castellane. Ele oferece aos dois o que eles mais querem; mas enquanto eles adentram no mundo de intriga e obscuridade, eles descobrem uma conspiração de corrupção que passa pelos lugares mais assustadores de Castellane até os lugares mais altos nos palácios. Enquanto segredos duradores começam a se revelar, eles devem se perguntar: o conhecimento vale o preço da traição? O amor proibido pode trazer um reino abaixo? E as descobertas de Lin e Kel levarão a nação para uma guerra – e o mundo para o caos?

Ainda que Sword Catcher não está disponível até dia 10 de outubro, nós estamos empolgados de mostrar exclusivamente a (absolutamente maravilhosa!) capa para vocês agora.

Nós tivemos a chance de conversar com a Cassie e conseguir mais detalhes do que esperar dessa nova saga, a inspiração por trás da história e porque os fãs do mundo Shadowhunter vão ter muito o que amar no mundo de Sword Catcher.

Nos fale um pouco sobre a história de Sword Catcher e a inspiração por trás dela.

Cassie: Geralmente para mim, a primeira coisa que vem em uma história são os personagens, então a história se desenrola em torno deles. Com Sword Catcher, pela primeira vez as pessoas e o lugar vieram ao mesmo tempo, como uma explosão de imagens e cor.

O lugar é Castellane, uma cidade multicultural e multilíngue impulsionada pelo comercio. É uma cidade rica, e a riqueza foi criada por uma poderosa aristocracia que sempre tenta ter mais, mais, mais – mais ouro, mais seda, mais rotas de venda, mais poder, mais influência. Castellane foi inspirada em grande parte pelo meu amor por viajar e história, e minha fascinação com a forma que as pessoas de todos os tipos se encontram nas estradas. Grande parte da diversão desse livro para mim é a gama de variedades de pessoas e lugares que vem todos para Castellane para encontrar fortunas ou escapar de seus destinos.

Duas dessas pessoas são nossos protagonistas. Primeiro nós temos Kellian Saren, o Apanhador de Espadas. Ele é o duble de corpo do Principe Conor, herdeiro do trono de Castellane – mesmo que ele esteja começando a perceber que tem alguns perigos dos quais ele não consegue proteger Conor. E então nós temos Lin Caster, uma doutora e membro dos Ashkar, uma religião onde os membros são forçados a viver em uma comunidade murada em Castellane. Apesar de suas habilidades, Lin não consegue curar sua melhor amiga, Mariam, que está morrendo lentamente.


Os personagens são inspirados por muitas fascinações minhas – com a história da cidade de Veneza, com os dubles de corpos poderosos na história, com a vida dos médicos Judeus medievais, com as formas que as pessoas lutam contra os papeis que a sociedade deu a eles.

Depois de escrever tantos livros bem sucedidos no universo YA o que te levou a querer escrever uma fantasia adulta? Como os dois são diferentes na sua cabeça?

Cassie: É tentador brincar e falar que com fantasia adulta eu posso me safar com coisas mais pesadas e picante, e isso é um pouco verdade. Mas apenas um pouco. YA tem bastante de coisas pesadas e picantes esses dias.

A verdadeira resposta é que, desde o inicio do meu trabalho nele, Sword Catcher tem sido uma história sobre adultos mais do que sobre adolescentes, então sempre foi uma fantasia adulta.


A grande diferença pra mim é que no YA seus personagens ainda estão trabalhando nos problemas de identidade: Que tipo de pessoa eu sou? Quais são meus valores? O que significa amar alguém desconhecido? Mas os personagens em Sword Catcher estão no início dos seus 20 anos, e eles estão levantando uma diferente questão: O que significa carregar as responsabilidades da vida adulta? Pela primeira vez, importa que Conor é o príncipe porque ser o príncipe é o trabalho dele – e tem pressão nele para casar, para tomar decisões substanciais sobre o destino da cidade dele. E Kel deixará de ser o Apanhador de Espadas quando Conor se tornar rei, então… o que ele fará quando isso acontecer, presumindo que ele sobreviva? Ele está começando a perceber que quando morrer por alguém tem sido seu único propósito, você realmente não sabe quem você é. Lin tem praticado como uma médica, mas por causa de quem ela é, tem certos tipos de medicina e conhecimento que são proibidos pra ela – mas e se ela quebrar as regras? As consequências vão destruir ela?

Parece importante notar que Sword Catcher não é um livro do Mundo das Sombras. É estranho criar um mundo completamente novo para essa história?

Cassie: Foi uma grande emoção e um grande desafio. Eu nunca escrevi ou criei um mundo secundário como Castellane, e num primeiro momento foi assustador. Minhas outras sagas são todas em mundos mágicos dentro do nosso próprio mundo real. Eu não tive que decidir o layout de Nova York para escrever Os Instrumentos Mortais, mas Castellane teve que ser feita desde o início. Sem mencionar a sociedade. Quais são todos esses países de onde as pessoas vem? Quem são as pessoas de Lin e qual o papel deles nesse mundo?


E, é claro, você não cria um mundo completo e então joga os personagens nele. O mundo e a história se criam em conjunto, com os personagens tomando forma e informando o mundo, e o mundo tomando forma e informando os personagens. E uma vez que eu me acostumei aos novos desafios, foi muito delicioso planejar as vizinhanças de Castellane e suas famílias ricas e seus sindicatos de crimes. Eu passei a amar Castellane e suas pessoas e a ficar ansiosa para passar mais tempo lá. Espero que os leitores gostem também!

Como você acha que essa nova série se compara com seus livros do Mundo das Sombras? O que você acha que os leitores desses livros vão amar mais sobre esse novo?

Cassie: Mesmo que não tenha Shadowhunters em Castellane – e também não tenha demônios, lobisomens, fadas, vampiros – ainda é a minha escrita! É uma fantasia urbana cheia de magia e romance e intriga, e eu espero que vocês concordem que isso não é um exagero para os leitores do Mundo das Sombras.


Então o que eles vão amar mais? Eu acho que eles vão amar Kel e Lin, e Conor, e o Rei Ragpicker, e todos os outros personagens esperando para serem conhecidos que eu não tenho espaço para mencionar aqui. Mas eu também acho que eles vão amar Castellane. Cidades sempre foram uma grande parte do universo Shadowhunter e grandes cidades internacionais – Nova York, Londres, Los Angeles. Castellane é grande e diversa da mesma forma, mas com uma sensação completamente diferente de como foi com meus livros anteriormente.

Mesmo o pouco que eu ouvi sobre Sword Catcher até agora soa maravilhoso – apenas a ponta do iceberg de um mundo criado e uma mitologia interna que claramente se aprofunda. Qual parte de vir com essa nova história e esses personagens foi mais interessante ou divertido para você?

Cassie: Bom, eu sempre amei conhecer novos personagens e aprender quem Lin e Kel eram enquanto eu desenvolvia a história foi a melhor parte da jornada de escrever o livro. Mas eu também amei toda a pesquisa que eu fiz para criar Castellane e a forma que ela funciona. Castellane é um lugar de extremos: tem gloriosas e glamurosas festas; tem execuções publicas sanguinárias e crimes desenfreados e assassinatos elegantes e envenenamentos políticos. Eu me diverti mergulhando em lugares históricos como Veneza ou Istambul, cidades no centro de vendas, levado ao topo pela riqueza e corrupção.


E então tem os Ashkar, que a história e situação derivam parcialmente do meu próprio background cultural: os Judeus da Europa moderna e medieval. Eu nunca tinha conseguido mergulhar tão profundamente no folclore e na história do meu povo para um livro antes e foi legal finalmente poder fazer.

Sword Catcher é a primeira parte de uma duologias com sua sequencia (chamada O Rei Ragpicker). É muito cedo para perguntar a você se você tem planos de explorar esse mundo ainda mais, além desses dois livros? (Provavelmente, mas não pode me culpar por tentar!)

Cassie: Eu suspeito que ninguém que conhece meus livros vai se surpreender de ouvir que tem mais livros de Sword Catcher planejados. Eu sei tudo que acontece no livro 2, a maior parte do que acontece no livro 3, algo do que acontece no livro 4 e as ligações que podem vir disso. É difícil provocar com o segundo livro quando ninguém leu o primeiro ainda, mas se você gostar de Sword Catcher, eu prometo que O Rei Ragpicker adicional mais 30% de crime, 40% mais mistério, e um elefante.


Então apesar de ter apenas um elefante, eu espero que os leitores queiram se juntar a mim em Castellane por Sword Catcher. Essa história e esse mundo tem estado na minha cabeça por anos e eu estou animada de finalmente poder compartilhar eles com vocês.

Quanto mais se fala em Sword Catcher, mais animada eu fico! E vocês? Ansiosos?

Fonte [x]

Arquivado nas categorias: Livros , Sword Catcher com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
20.06
Além da divulgação da capa de “The Ragpicker King”, o segundo livro da série “As Crônicas...
20.06
Ontem, em seus stories, Cassie divulgou a capa provisória de “The Ragpicker King”, o segundo li...
08.06
Cassie respondeu perguntas em seu tumblr onde ela fala sobre Jem, os tempos entre as sagas e mais. V...
16.05
Cassie respondeu algumas perguntas em seu tumblr onde ela fala sobre personagens de "As Últimas Hor...
02.05
Cassie postou em seu instagram hoje uma cena em quadrinho de "O Ultimo Rei das Fadas" que mostra Dru...
08.04
Cassie mandou uma newsletter hoje, dia 08/04, falando sobre publicações e editoras. Logo depois el...

Deixe seu comentário





Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook