16.04

Cassie enviou a newsletter especial de “Sword Catcher”, cheia de novidades sobre o livro adulto que ela está escrevendo. Vem ver a tradução de tudinho feita pela nossa equipe:

Olá!

Como prometido, hoje estou trazendo pra vocês uma introdução ao novo livro de fantasia que eu estou trabalhando nos últimos anos. Estou muito animada para falar para vocês sobre a cidade de Castellane, os personagens principais Kel e Lin, e as intrigas e romances que vem por aí: é isso mesmo, estou animada para falar para todos vocês sobre “Sword Catcher”!

Bem-vindos a Castellane


Tem muitos países fascinantes e lindos em Dannemore, mas aqueles que vivem em Castellane sabem que ela é a jóia no coração de tudo. Mal chegando a ser um país, uma cidade-estado construída no topo das lagoas de água salgada, com o oceano de um lado e grandes montanhas nos outros três. Mas desse solo inóspito cresceu uma cidade com grande riqueza, poder e beleza, o centro de trocas de todo continente. Envia navio através de mares, trazendo de tudo, desde especiarias e tintas para madeira até jóias. E suas ruas são cheias de pessoas de todo globo, trazendo suas comidas, suas artes, suas culturas para adicionar a combinação dessa cidade completamente internacional.

Mas, na verdade, existem duas Castellanes. Acima da colina vivem as famílias ricas de Castellane: lordes e comerciantes cujas frotas lhes trouxeram dinheiro e influência, cujos fretamentos comerciais são combatidas e, às vezes, assassinadas, e que lutam e se matam por influência sob o olhar atento da família real. E, abaixo deles, todos os outros, que se viram no mundo sob o olhar atento de outro monarca: o mestre dos criminosos, o Rei Ragpicker.

O Rei na Colina e o Rei na Cidade. Entre eles dois, a grande cidade de Castellane é balanceada.

A pesquisa histórica que leva a criação de Castellane e os outros países das pessoas que vamos conhecer nos livros, foi muito divertida pra mim. Eu estou animada em mostrar pra vocês a vizinhança e seus locais.

Kellian Saren


Kel é apenas mais um garoto de rua sem parentes, na parte mais baixa da ordem social, um ninguém sem perspectiva. Mas aos 8 anos, ele é tirado das profundezas da cidade e levado para o castelo, onde ele é apresentado ao príncipe coroado, um garoto da mesma idade dele, chamado Conor. Seu novo papel é explicado para ele: ele viverá com Conor. Ele crescerá com ele. Ele aprenderá o que Conor aprender. E ele aprenderá como ser Conor. A andar como ele, falar como ele, gesticular como ele. Porque Kel foi escolhido para ser o dublê do príncipe, que ficará no lugar dele em caso de perigo. Ele será o Apanhador de Espadas do príncipe.

Agora Conor e ele são jovens rapazes e mais ou menos como irmãos. Conor depende de Kel e o ama, mas muitas vezes o tem como garantido — mas Conor também leva tudo sobre seu poder e sua riqueza como garantidos. E, da parte de Kel, ele ama Conor e se sente honrado por seu papel.

Mas as coisas começam a ficar estranhas, e Kel se encontra sendo levado até a parte baixa da cidade, e tenta descobrir como viver nos dois mundos — e, independente de Conor, quem ele é.

Lin Caster


Era uma vez quando tinha magia em Dannemore. Grandes Reis-Feiticeiros governavam e remodelaram a terra com seus pensamentos. Mas uma Rainha Feiticeira lamentou a destruição que suas guerras causavam, as vidas inocentes perdidas. Ela traiu os Reis-Feiticeiros e trouxe o “Sundering”, acabando com a magia do mundo. Mas ao fazer isso a própria terra dela, Aram, foi destruída. E seu povo, os Ashkar, ficaram sem um lar.

Para o resto do mundo, essa Deusa é a grande traidora, que destruiu o poder deles. Para Ashkar, ela é a prometida, a que voltará um dia para eles e irá restaurar Aram. Até lá eles vagam, vivendo por Dannemore, mas sem nenhum lar. Na maior parte das cidades eles são cidadãos de segunda classe, escondidos em vizinhanças cercadas e sujeitos a toque de recolher e outras restrições.

Mas Dannemore precisa de Ashkar, por duas razões. Primeiro, eles são conhecidos por serem grandes doutores e médicos, usando o conhecimento que eles carregam com eles — a única riqueza que possuem — para curar o corpo. E segundo, eles ainda conseguem fazer um pouco de magia.

Nada como a magia dos dias antigos, é claro. Eles conseguem conjurar pequenos feitiços — proteções, ilusões — baseados em combinar letras e números no sistema mágico antigo de gematria e colocam em amuletos.

Magia pequena. Mas ainda assim magia.

Lin Caster é Ashkar, e ainda que muito jovem, ela é certamente a mais talentosa dos médicos de Castellane. O que é um problema para o velho homem que preside o Sault, a vizinhança cercada Ashkar, porque mulheres não deviam se tornar doutoras. Fazer isso exigiu que Lin empurrasse a resistência de todas direções, e mesmo que ela tenha lutado para ter um relutante respeito ao trabalho dela, ela também é considerada meio esquisita e mais do que um pouco bagunceira.

Mas essa é Lin: se ela ver um problema, ela ultrapassa ele, não importa o quão intimidante seja. Isso sempre funcionou para ela. Mas agora sua amiga mais próxima no mundo, Maryam, uma das únicas amigas que tem, está morrendo e não importa o quanto ela procure freneticamente por tratamentos, não importa o quanto sua visão e suas técnicas são boas, não parece existir nada que ela possa fazer.

É claro que tem a magia antiga. Ainda existem livros por aí. Alguns certamente em Castellane, onde quase tudo no mundo eventualmente aparece. Eles são proibidos, é claro. Mas pode ser justamente essa magia proibida que salva o dia quando ela é convocada ao castelo para curar o Príncipe Coroado machucado…

Sword Catcher e eu!


Como todos meus livros, eu me inspirei em várias coisas diferentes para escrever esse livro e espero falar mais sobre isso em futuras newslsetters! Eu fiz muita leitura sobre dublês reais de líderes políticos, uma prática que continua até os dias modernos, mesmo que hoje em dia seja usado mais por ditadores totalitaristas do que por reis. Existem artigos angustiantes sobre pessoas escolhidas para esses papéis, que recebem cirurgia plástica e tratamento dentário, suas vidas anteriores erradicadas da existência. (Felizmente para Kel, um amuleto Ashkar é suficiente em Castellane). Eu também procurei saber mais sobre cidades-estados de mercadores como Castellane é baseada, como a República de Veneza, a mais famosa fonte histórica sobre nobres comerciantes traiçoeiros. Eu sempre quis escrever sobre intrigas cruéis na corte, e isso não falta na Colina.

Também fortemente entrelaçado em Sword Catcher tem os mitos e folclores judaicos, minha própria herança cultural. Eu sempre amei histórias de fantasia judaicas, e estou animada em colocar minhas próprias ideias nesses mitos ricos e nessas histórias com as quais eu cresci.

Mas enquanto eu tive muita diversão criando o cenário, eu quero realmente falar sobre os personagens — são tantos, muito mais que Lin e Kel. Eu ainda não falei muito sobre o Príncipe Conor Aurelian, um príncipe completamente irritante, ou o misterioso avô de Lin, o conselheiro do Rei, Mayesh Bensimon. Ou Jie-An, a assassina mão direita do Rei RagPicker, com seus próprios segredos. Ou Merren Asper, estudante em meio período, envenenadore em tempo integral, e ume romanticx incuravel*.

Mas nós teremos muito tempo para isso nas futuras newsletters. Por agora, eu espero que isso mostre um pouco pra você do que é Sword Catcher e eu estou ansiosa para adentrar mais nos aspectos com vocês nos meses por vir! Vou deixar vocês com uma arte de Novarentale: aqui está Kel, olhando pelo porto de Castellane!

* Novamente Merren está com o gênero neutro porque não temos nenhuma indicação de qual é o gênero!

Pequeno trecho


Principe Conor soava exausto. A dor era exaustiva, Lin sabia; consumia a alma, assim como o corpo. Mas tinha algo a mais na voz dele. Um cansaço que vinha com uma expectativa de morte. Se ele quisesse mais do que um casamento arranjado com chantagem, ele não teria isso agora.

Dez mil coroas”, ele falou, quase sonolento. “O custo de um príncipe, ao que parece. Eu percebi que fui um tolo, você não precisa me dizer. Eu deveria ter ido até Bensimon. Pedido o conselho dele. Falado a verdade a ele.

Lin colocou o último talismã nas costas dele. “Eu não vou dizer que você fez boas decisões”, ela disse. “Claramente esse não é o caso.

Update do Reginald


Estou indo para a França em Maio para as últimas pesquisas sobre Paris para “Chain of Thorns” e o Sul da França para “Sword Catcher”. Reginald está se recusando a me deixar fazer as malas.

Lembrando que para assinar a newsletter da Cassie, receber as novidades em primeira mão e material exclusivo (em inglês), é só ir no site oficial www.cassandraclare.com e descer a página. No final, haverá um espaço para você inscrever seu e-mail, depois escrever seu nome, e para encerrar a inscrição, basta clicar em “subscribe“.

Começou a ser vendido aqui no Brasil, na pré-venda, o box com as capas novas de “Os Artificios das Trevas”: aqui no nosso post completo sobre ele vocês podem ver onde garantir suas cópias.

Arquivado nas categorias: Cassandra Clare , Livros , Sword Catcher com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
27.06
Cassandra Clare postou mais uma entrada oficial de “Os segredos da Mansão Blackthorn”, o projet...
26.06
Cassie enviou uma newsletter nova, onde ela fala sobre a viagem que fez a Paris para pesquisas e tam...
20.06
Cassandra Clare postou mais uma entrada oficial de “Os segredos da Mansão Blackthorn”, o projet...
13.06
Cassandra Clare postou mais uma entrada oficial de “Os segredos da Mansão Blackthorn”, o projet...
06.06
Cassandra Clare postou mais uma entrada oficial de “Os segredos da Mansão Blackthorn”, o projet...
02.06
Cassandra Clare relevou quem estará na capa reversa de “Chain of Thorns”, o 3º e último livro...

Deixe seu comentário



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook