22.01

padrao_cassie

Cassie respondeu uma pergunta em seu tumblr, onde ela fala sobre os direitos que um autor tem sobre o filme que é feito do seu livro e quanto eles recebem com isso. Confira a tradução pela nossa equipe:

emperoruniverse disse: Hey Cassie, recentemente eu vi um post no Tumblr sobre como autores são pagos, e a pergunta me veio à mente: como o pagamento de royalties a partir de uma adaptação para o cinema funciona?? Será que vai diretamente para o autor ou há algumas outras pessoas por quem ele passa??

Bem, em primeiro lugar, você não obtém o pagamento de royalties a partir de um filme. Pelo menos, isso não é algo que eu já tenha ouvido falar.

Existem várias maneiras de um autor fazer dinheiro a partir de filmes baseados em seus livros, e todos eles dependem do contrato do autor. Basicamente o que acontece é que uma empresa de produção ou estúdio vem até você, o autor (geralmente através de seu agente de cinema, que representa adaptações para o cinema / televisão / rádio de seu trabalho) e diz: “Gostaríamos de optar seu livro para um filme.”

Uma opção significa que você está vendendo-lhes um determinado período de tempo durante o qual eles têm o direito exclusivo de fazer um filme do seu livro. Normalmente, um ano. Eles lhe dão algum dinheiro e se não fizerem o filme no final de um ano eles podem renovar a opção ou os direitos revertem para você.

Muitos livros são optados. Muito poucos são alguma vez transformados em filmes.

Mas, se enfim acontecer, então isso significa que o estúdio de cinema ou a empresa de produção vai pagar o preço de compra dos direitos sobre o filme. Aqui é onde existe algum dinheiro. O preço de compra pode ser qualquer coisa a partir de dez mil dólares para um milhão a mais. Mais uma vez, isso depende do que foi negociado em seu contrato.

Se você tiver escrito algo que foi um enorme bestseller, então pode haver uma guerra de lances entre os estúdios sobre os direitos de seus livros. Isso pode elevar o preço de compra. O Código Da Vinci foi vendido por 3 milhões, Cinquenta Tons de Cinza por 5 milhões. Essas são exceções e não preços típicos.

As pessoas muitas vezes assumem que os escritores têm controle sobre os filmes feitos a partir de seus livros. Eles não têm. Isto é como e porque de eles tão terem: Você vende o direito de fazer um filme.

Há exceções, e é geralmente em casos em que houve uma guerra de lances ou o escritor tem um monte de poder por algum motivo. Na fase em que o contrato está sendo elaborado, você pode ter qualquer coisa escrita nele – você pode pedir para ter aprovação sobre o elenco, ou o script. Você pode pedir, mas a menos que você tenha muito poder e a pressão de algo como uma guerra de lances, você não vai conseguir essas coisas.

99% dos estúdios e empresas de produção simplesmente vão sair andando, se você pedir por essas coisas. Eles não querem que você as tenha, eles são uma bagunça legal e criativa, e eles querem ser capazes de fazer o seu próprio filme, com sua própria marca. A maioria dos agentes de cinema não vai perguntar, a menos que você esteja em uma posição única – você já é um diretor famoso, ou em que houve uma guerra de lances em que cinco estúdios estão lutando sobre os seus direitos. Normalmente, o contrato é explícito em manter, o autor, fora de coisas como elenco, etc.

Então para 99% dos autores, incluindo a mim, essas coisas estão fora de questão. Tem essas raras exceções: Suzanne Collins, JK Rowling, E.L. James. Elas são exceções que provam a regra.

Então voltando para o lucro como tópico, basicamente, você recebe quando o filme vai para produção, alguma grande quantia de dinheiro. No final das contas, em 99% dos casos, isso é tudo que você vai ver. Esse dinheiro vai ser pago ao seu agente, que vai tirar a comissão dele, e o resto vai para você: típico pagamento ao autor por tudo.

Alguns contratos – isso não é incomum – dão ao autor um pedaço do “lucro final” do filme, significando uma porcentagem do que o filme recebe. Já que “lucro final” significa lucro depois de todas as custas – marketing, distribuição estrangeira, distribuição em casa, percentuais do lucro pago aos produtores, atores e outras pessoas mais importantes que você — é muito incomum que você vai ganhar qualquer coisa disso, não importa o quanto de dinheiro o filme faça. Meu agente fala de um escritor cliente dele que o filme ganhou 800 milhões de dólares. O tanto de lucro que ele viu foi 0$. A frase “contabilidade de Hollywood” existe por um motivo!

No que você mais vai ver dinheiro e lucro, se você é um escritor cujo livro vai virar filme, é no aumento das vendas de livros. Filmes tem um alcance que nenhum livro tem. Sua impregnação de publicidade e mídia é algo que nenhum editor consegue realizar. A consciência do seu livro de repente aumenta para um milhão, e isso faz muita diferença para você como um escritor em termos de crescimento de leitura.

As pessoas tendem a se descabelar muito quando escutam essas coisas. Mas porque vender seus direitos quando parece um negocio ruim pra você? eles dizem. Bom, porque tem muitos livros no mundo, e não muitos filmes. Exceto em casos raros, o autor não está em uma posição de poder. Você pode sentar nos seus direitos até alguém estar disposto a te dar controle do que vai no filme, mas isso significa geralmente só que você vai ficar sentado por muito tempo. Se você quer ver um bom filme do seu livro, e muitos de nós queremos porque também amamos filmes (e TV e rádio!) então você tem que arriscar ter um filme ruim, porque você tem que botar seu trabalho na mão de outras pessoas e esperar pelo melhor.

Então basicamente: sobre dinheiro, dos filmes, autores recebem de direitos autorais e outras vendas mundiais (direitos estrangeiros, vender novas séries ou livros), e do preço dos direitos e é isso, exceto .01% dos casos. No lado ruim, isso significa que se o filme é um grande sucesso, você não recebe nenhum lucro. No lado bom, isso significa que se o filme falhar, não te afeta totalmente; você faz menos vendas de livros, mas ainda vende muitos livros. E porque é tão intocável assim, isso é parte do porque autores continuam vendendo seus direitos, sabendo que não vão ter controle sobre o produto final. Porque mesmo que te deixe triste no seu coração se o filme não for tão bom, ainda pode mudar sua vida financeiramente para um ponto onde você nunca vai ter que se preocupar sobre dinheiro de novo. E para todo mundo que se preocupa com dinheiro – o que é basicamente todo mundo mesmo, especialmente artistas — isso não é algo que se possa ignorar.

Como Ally Carter disse no seu excepcional post sobre “como filmes acontecem”:

Basicamente, as chances de conseguir ter um filme feito são muitas. As chances de ter um BOM filme feito, são minúsculas.

Mas nós continuamos tentando…

Continuamos tentando todo tempo.

FONTE

Arquivado nas categorias: Cassandra Clare com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
02.04
Cassie enviou uma newsletter hoje e vocês precisam ler porque está HILÁRIA. Escrevendo como se fo...
26.03
Cassie enviou uma newsletter no dia de ontem (25/03) em que ela confirmou que estará na YALLWest de...
16.02
No último domingo, dia 14 de fevereiro, Cassie fez uma live com a Cat, do TMI Source! A live é ót...
13.02
Cassie enviou uma nova newsletter e nela tem uma nova imagem de header, assim como as datas das turn...
06.02
Cassandra Clare editou um post de junho de 2019 falando sobre as datas de publicações de suas futu...
21.01
Cassie fará uma turnê virtual para o lançamento de “Chain of Iron” e a EW divulgou todos os d...

Deixe seu comentário

1 comentário em “Cassandra Clare fala sobre filmes, autores e dinheiro”



  1. Mary Guedelha disse:

    Muito boa sua explicação. Estou com uma produtora interessada no meu livro. Estou lendo o contrato e tenho dúvidas e não sabia onde esclarecer ou se deveria encontrar um advogado.





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook