07.08

padrao_cassie2

O site Collider divulgou mais uma entrevista feita durante a Comic-Con 2013, agora com a criadora do universo de Os Instrumentos Mortais, Cassandra Clare, onde ela fala mais sobre a adaptação do seu livro para as telonas, sua reação ao ver o corte final do filme, a sequência e o elenco.

Escritora Cassandra Clare fala sobre “Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos”, sua reação ao ver o filme,  chamar a atenção dos caras, e mais.

Situada na Nova Iorque contemporânea, “Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos” conta a história de Clary Fray (Lily Collins), uma adolescente aparentemente normal que descobre que ela é a descendente de uma linhagem de caçadores de sombras, uma organização secreta de jovens guerreiros metade anjos em uma antiga batalha para proteger nosso mundo de demônios. Adaptado dos livros de Cassandra Clare, a fantasia de ação e aventura também é estrelado por Jamie Campbell Bower, Kevin Zegers, Jared Harris, Jonathan Rhys Meyers, Lena Headey, CCH Pounder e Aidan Turner.

Enquanto estava na Comic-Con para promover o filme e compartilhar cenas com fãs, a escritora Cassandra Clare falou com o Collider para essa entrevista exclusiva sobre o que ela pensou quando ela finalmente viu o filme, que ele alcança uma sensação de encerramento emocional, por que esse filme também agrada os rapazes, por que esse filme também agrada os rapazes, o que torna Clary Fray uma boa protagonista feminina, quem ela acha que chega mais perto do jeito que ela imaginou os personagens, e qual ator a fez mais perguntas. Confiram o que ela disse.

Collider: O que você pensou quando pode finalmente assistir o corte final do filme?
CASSANDRA CLARE: Eu estava tremendo. Eu estava tão nervosa. Uma das minhas melhores amigas estão lá comigo porque nós estávamos em L.A. juntas. Haral [Zwart] sempre foi bastante aberto. Ele acredita na transparência. Então, ele estava tipo, “Você quer passar por aqui e ver onde está?,” e eu estava tipo, “Sim, eu adoraria! Claro!” Então eu fui lá e minhas mãos estavam literalmente tremendo, o tempo inteiro. No final das contas, eu virei para a minha amiga e estava tipo, “Eu achei que estava bom. Estava bom?! Eu não sou objetiva.” Ela estava tipo, “Oh, foi muito bom! Eu te diria se não estivesse. Eu te diria para ir lá dentro e fazê-los arrumar isso.”

Teve momentos em que você se perdeu no filme e esqueceu que era adaptado do seu livro?
CLARE: Sim, eu esqueci completamente! Tiveram vários momentos em que eu estava tipo, “Oh, isso é tão legal!” Tem algum momentos de personagem muito bons, onde os atores apenas se tornam o personagem, e o jeito que eles interagiram entre eles é realmente fascinante. E tem alguns belos momentos românticos. Eu estava apensas envolvida nos aspectos cinematográficos, o que foi divertido.

Parece que tem um sentimento de encerramento no final do filme, ou parece ter sido deixado aberto para o segundo?
CLARE: Nós conversamos muito sobre isso. Eu acho que ele alcança uma sensação de encerramento emocional. Esses personagens estiveram em uma jornada emocional, e eles estão em um lugar diferente do que eles estavam antes. Os personagens chegaram à uma nova realização emocional de quem eles são, mas não há o que eu chamaria de encerramento definitivo do enredo. Há claramente uma sensação de novos mistérios, aventuras e mais para ser explorado. Eu estou feliz com isso estar naquele lugar.

Foi reconfortante saber que eles já tem sinal verde para o próximo filme?
CLARE: Sim, eu sei que o estúdio tem estado bastante animado com o modo como o filme se mostrou, e eu sei que a produtora estava bastante entusiasmada. Eles  já estão começando o segundo filme, que é quase inédito. Eles estão fazendo o segundo filme sem o primeiro ter sido lançado. É bastante emocionante que eles estão construindo sets e o elenco. O diretor colocou seus filhos na escola em Toronto, onde o set está. Eles estão se mundando! Em certo ponto, torna-se um motor que apenas vai sem você. Eu estou tipo, “Certo, isso é bastante legal! Eu estou ansiosa para ver!”

Você quer ficar tão envolvida na segunda vez?
CLARE: Eu sinto que a primeira vez por perto foi uma curva de aprendizado real de como estar envolvida, na forma mais produtiva. Agora, eu sinto mais como se nós tivéssemos um sistema, então eu estou feliz em estar envolvida, em termos desse sistema. Eu não sabia como eles faziam filmes. Eles me deram o primeiro rascunho do roteiro e eu estava tipo, “Bem, aqui está 75 páginas de anotações.” Mas, não é como um livro. O roteiro muda tanto. No momento em que você vê um segundo rascunho, você nem o reconhece. Então, agora eu sei não fazer isso. Até eu receber o roteiro de filmagem, eu vou me manter calma.

Com um monte desses tipos de filmes, os caras falam sobre serem arrastados por suas namoradas para vê-los. O que você diria para os garotos que estão se perguntando se esse filme irá agradá-los, em tudo?
CLARE: Eu diria que esse não é um romance. Há um estigma que os caras odeiam romance e odeiam amor, mas isso não é verdade. Olhe para O Homem de Ferro. Tem toda uma história sobre seu relacionamento com Pepper, e todo mundo adora isso. É mais ou menos esse nível de romance. O resto é sobre demônios e surra e coisas explodindo. Não tem motivo para achar que sua namorada tem que te arrastar para ver isso. É um filme muito acelerado, que é como uma descarga de adrenalina do começo ao fim. Do mesmo modo que tanta gente leu Harry Potter e foi assistir Harry Potter, apenas porque um filme é sobre uma criança, não significa que é feito para crianças, e apenas porque um filme é sobre uma garota, não significa que é feito para garotas. Eu acho que Jogos vorazes nos ensinou isso, de uma maneira importante, e eu diria que este é definitivamente dessa laia.

O que torna Clary Fray uma boa protagonista feminina?
CLARE: Ela é uma personagem bastante forte. Obviamente, Katniss é uma personagem feminina fantástica, mas Katniss tem sido dura a vida inteira. Ela se esforçou e ela é uma lutadora, desde o primeiro dia, em uma sociedade bastante escura. Clary é uma garota normal. Ela poderia ser qualquer um. Essa é a história do que acontece com uma garota normal em circunstâncias extraordinárias. Para mim, ela é um bom exemplo porque ela diz que você pode ser uma garota normal, vivendo uma vida normal, e então se algo incrível acontece com você ou você se encontra em uma situação espetacularmente difícil, você pode se tornar um herói. Você não tem que começar sendo um herói, você pode se tornar um. Tem tantas histórias sobre garotos se tornando heróis, conhecendo seus poderes e se tornando incrivelmente heroicos. Tem que ter essas histórias para garotas também.

Quando você escreve, você imagina pessoas específicas como os personagens?
CLARE: Não pessoas reais. Eu tenho imagens bastante claras de como eles se parecem na minha cabeça. Parte do processo de procurar o elenco foi colocar isso para fora. Eu tinha que estar tipo, “Eles não vão escalar pessoas que se pareçam exatamente como as pessoas na minha cabeça porque essas pessoas não existem.” Então, era uma questão de, “Essa pessoa é uma interpretação daquele personagem, que eu poderia amar? Eles tem um pedaço daquele personagem dentro deles?” Eu sinto que todas as pessoas que foram escaladas tem um pedaço do personagem neles. Lena Headey tem aquele realmente aquele espírito de luta. Robbie [Sheehan] é um brincalhão ridículo como Simon. Jamie [Campbell Bower] tem aquele sarcasmo. Lily [Collins] tem aquela vulnerabilidade. Todos eles tem um pouco do que torna o personagem, o personagem.

Agora que você viu o filme, quem se tornou o mais próximo de como você imaginou o personagem?
CLARE: Fisicamente, a pessoa que mais se parece como eu imaginei o personagem é Lena Headey. Ela chegou o mais perto de ser exatamente o que eu imaginei a Jocelyn. Emocionalmente, é provavelmente Jamie e Lily que chegam o mais próximo de incorporar Clary e Jace. Quando Jamie abre a boca e começa a falar, eu estou tipo, “Assim é exatamente como Jace fala.”

Quais atores foram até você para perguntar mais perguntas, e quem queria saber o mínimo?
CLARE: Kevin [Zegers], que interpreta Alec, e Jemima [West] e Godfrey [Gao] me fizeram várias perguntas sobre seus personagens. Jamie e Lily queriam realmente interpretar como seus personagens, que não sabiam o que iria acontecer com eles. Lily já tinha lido os livros, então ela sabia o que acontecia. Naquela junção, eu acho que Jamie tinha lido o primeiro livro, mas agora ele já leu todos. Então, eles não queriam muita informação sobre o que iria acontecer com eles, pelo caminho, enquanto que Kevin continuava vindo e ficando tipo, “Eu vou morrer? Você vai me matar, não é? Eu morro? Você vai me matar?” E eu tava tipo, “Eu não vou te contar!”

Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos estreia nos cinemas em 21 de Agosto.

FONTE

Postado por:
Você pode gostar de ler também
14.01
Por causa da pandemia, Cassie não fará tours presenciais esse ano, e por isso, a única chance de ...
22.12
Respondendo mais perguntas em seu tumblr, Cassandra Clare respondeu sobre livros que escreveu fora d...
16.12
Respondendo perguntas em seu twitter, Cassie confirmou que “Sword Catcher”, seu 1º livro de alt...
11.11
Cassie postou em seu instagram uma noticia que ela estará sexta-feira, dia 13 de novembro, com a Le...
15.10
“Cidade de Vidro”, de Cassandra Clare e o 3º livro da série “Os Instrumentos Mortais”, ent...
02.09
Cassie deu uma entrevista para o site booktopia, respondendo 10 perguntas que eles fizeram pra ela! ...

Deixe seu comentário

1 comentário em “Cassandra Clare fala para o Collider sobre sua reação ao ver o filme Cidade dos Ossos, o público masculino e mais”



  1. Guga disse:

    Hahaha essa Cassie é uma linda *–*





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook