22.12

Sinopse: As Aves Noturnas são o segredo mais bem guardado da cidade de Simta: garotas capazes de compartilhar sua magia única e poderosa com um simples beijo.

Alguns matariam para possuí-las; a Igreja as queimaria imediatamente. Mas protegidas pelas Grandes Casas, as Aves Noturnas são tesouros bem escondidos. Como Aves Noturnas desta estação, Matilde, Æsa e Sayer passarão as noites concedendo seus dons para clientes em troca de bons pagamentos.

Assim que a estação terminar, espera-se que cada uma se case com um senhor de uma Grande Casa e se torne mãe da próxima geração de Aves Noturnas antes que seus poderes desapareçam.

Entretanto, quando elas se veem no centro de um esquema político que ameaça além dos seus segredos, suas próprias vidas, o futuro delas de repente se torna incerto.

Quando descobrem que há outras garotas como elas e que sua magia é muito mais do que lhes foi contado, elas veem o sistema Aves Noturnas como realmente é: uma gaiola dourada. Agora elas devem fazer uma escolha – permanecer como pássaros cativos ou assumir o controle, reconstruindo a cidade que ousou cortar suas asas.

Venho por meio desta resenha atestar que, mais uma vez, fui vítima de um esquema de pirâmide. Apesar de garantir a mim mesma que nunca mais cairia nessa de começar a ler um livro sem saber das próximas continuações, se era livro único ou o que, eu me joguei de cabeça em “Aves Noturnas” para só depois descobrir que era o primeiro de sabe-se Deus lá quantos livros vão ser porque eu não quis nem pesquisar pra saber 😂

Mas, porém, entretanto, também por meio desta, vim afirmar que dessa vez eu não me arrependo nenhum pouco (peguem leve comigo se eu vir a me arrepender no futuro, tenham em mente que só li o primeiro livro até agora e estou segurando na mão de Deus porque não sei o que o futuro me reserva!!!)


“Por toda a vida, o jovem lorde Teneriffe Maylon ouviu sussurros. Eles cicundavam as bordas de salões de baile e serpenteavam nas conversas em voz baixa pelo porto. As Aves Noturnas vão mudar suas sortes, prometiam os sussurros. A magia delas pode ser sua com apenas um beijo.

Aves noturnas” conta a história de três garotas que são (dãã!) as Aves Noturnas. Matilde, Sayer e Æsa são três garotas que, cada uma contém uma magia diferente que elas podem conceder para as pessoas através de um beijo – mas só podem conceder por vontade própria, não podem ser forçadas a isso e nem podem passar para outras Aves o poder.

Em Simta, a magia agora é algo proibido. Depois que muitas mulheres foram mortas por terem poderes, apenas as Grandes Casas ainda sabem com toda a certeza da existência de mulheres assim e por um certo preço, eles podem ter acesso ao poder delas.


“Marren usou a espada flamejante para retirar a magia das bruxas à base de fogo. Essas garotas tinham envenenado o Manancial, aparentemente. Que lixo. Era só uma desculpa para tirar o poder de uma mulher forte.”

Logo quando o livro começa já fica claro que tem algo que não está sendo dito as meninas, que elas estão sendo mantidas, por assim dizer, em uma gaiola dourada, apenas vivendo aquela vida ali sem nenhuma complicação, só fazendo o que deve ser feito e indo a bailes e se divertindo, até o dia que elas sofrem um ataque dentro do que devia ser o esconderijo delas – e também chega pra elas a notícia de que a suserana da cidade está unida ao padre local para descobrirem onde elas estão e se livrarem delas.

Então é como se o mundo todinho de Matilde implodisse de uma vez só: Sayer vem de outro lugar, então não era tão acostumada com o luxo como a garota que cresceu naquela vida e Æsa não queria nem acreditar na força do próprio poder, por ter sido criada em uma casa onde seu próprio pai dizia que as garotas com poderes eram seres blasfêmicos.


“Eles não fariam essas coisas se eu fosse um homem, é claro. Mas uma mulher tem que trabalhar duas vezes mais duro para fazer com que as pessoas a respeitem ou a temam. Precisa ser muito mais forte que os homens.”

Tudo, de repente, vira de pernas pro ar e as garotas precisam lutar pela própria vida delas – e também pela liberdade de serem quem são, sem amarras.

Quando eu digo que não me arrependo de ter entrado nesse esquema de pirâmide é simplesmente que, sendo bem honesta, eu estava um pouco cansada de fantasias ya. Fazia tempo que não me sentia tão presa assim em uma história e querendo tanto assim saber o que vai acontecer dali pra frente.


“As palavras da dama daquela tarde ainda a envolvem. Você não pode voar livre para sempre. Em algum momento você vai precisar sossegar e construir um ninho. Matilde não quer se aninhar com alguém que só a quer por sua magia. Ela quer a liberdade de escolher um futuro para si mesma.”

Matilde é uma personagem… como eu posso explicar? Ela é privilegiada. Toda sua vida cresceu cercada de dinheiro e fazendo parte de uma das famílias mais poderosas da cidade, ela nunca teve que se preocupar muito com qualquer coisa. Então é bem interessante ver o desenvolvimento que ela tem no livro, como ela vai deixando aos poucos de ser aquela garota que parece meio fútil de primeira para se tornar uma mulher bem forte.

Sayer nunca teve nenhuma escolha que não fosse ser forte. Filha de uma mãe solteira e desonrada, ela sempre teve que fazer de tudo pras duas sobreviverem até o dia em que ela foi levada para ser uma Ave Noturna depois da morte de sua mãe. E, por conta desse passado de lutas constantes, ela não tem muita confiança em ninguém e é outro ponto que nos vamos ver mudando conforme o livro vai passando e ela vai se desenvolvendo.


“No papel, ele é um partido tão bom quanto qualquer outro. Mas ela não vai ser o adorno decorativo de ninguém. Ela é veneno disfarçado de algo doce.”

E Æsa foi criada de uma forma rígida para acreditar que tudo aquilo que vinha com poderes era uma blasfêmia gigantesca, então ela é a que mais sofre para se adaptar conforme o livro vai passando, porque ela tem medo o tempo inteiro de estar fazendo coisas ruins e erradas.

Além das meninas principais, outros personagens que eu gostei bastante foram a avó de Matilde e uma gama que outros personagens que não posso falar aqui porque seria dar muito spoiler.


“Sayer não foi até ali em busca de irmãs. Ela foi para roubar tudo das carteiras dessas pessoas. Afinal de contas, ela não é uma estrela feita para desejos de ao menos se. Ela é o tipo de estrela que queima.”

O mesmo se diz sobre os casais da trama. Só o que posso dizer é que todos eles são muito bem construídos (e pelo amor de Deus eu preciso do segundo livro pra saber logo o que vai rolar com meu OTP!!!) e todos vão deixar aquela vontade que de tudo certo entre eles, mesmo com toda maluquice acontecendo na volta.

“Aves Noturnas” é um livro ótimo, feito pra quem gosta de fantasia e mundos bem diversos e bem escritos. Eu estou absurdamente apaixonada e espero que vocês também deem uma chance para se sentir assim.

Para comprar “Aves Noturnas” basta clicar no nome da livraria:

Amazon.
Magazine Luiza.

Arquivado nas categorias: Blog , Livros com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
23.02
  Oi pessoal, tudo bem com vocês? Hoje vim falar para vocês sobre uma série que eu de...
20.02
“A serpente e as asas feitas de noite”(Nascidos da Noite #1) Carissa Broadbent Tradução: J...
16.02
Sinopse:No último dia das bruxas, a ex-melhor amiga de Alice Ogilvie foi morta. Se não fosse ...
13.02
Depois de um janeiro que pareceu durar uns 3 meses, finalmente chegamos em fevereiro e no novo post ...
09.02
“Mata Doce” Luciany Aparecida Arte de Capa: Ale Kalko Alfaguara – 2023 – 304 páginas ...
06.02
Sem delongas, comecemos essa resenha com a sinopse: “Pietra Jimenez é uma famosa arqueóloga e pe...

Deixe seu comentário





Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook