Cassie respondeu uma ask em seu tumblr onde ela fala sobre “Red Scrolls of Magic” e o processo de co-escrita com Wes Chu e com todos os outros co-escritores que ela trabalha! Confira:

stayawayfromthekoolaid: Eu sempre fiquei interessada no processo de co-escrita e em como funciona. Eu e meus amigos conversamos sobre escrever juntos e eu não tenho muita certeza como acontece. Eu estou muito animada para “Red Scrolls of Magic” e estou me perguntando como funcionou entre você e Wes para “The Eldest Curses”.

Eu fico tão feliz que vocês estão animados e interessados com “Red Scrolls”! Wes e eu nos divertimos muito escrevendo! As pessoas sempre ficam curiosas sobre o processo de co-escrita – e todo processo é individual: eu escrevo de forma diferente com todos meus co-escritores já como eles são pessoas diferentes. Holly e eu escrevemos todas as cenas juntas, passando o computador uma para a outra. Já como Wes e eu não estamos no mesmo lugar geograficamente, nós não podemos fazer isso, e mandamos um para o outro os pedaços. Eu estou prestes a mandar para Wes os primeiros três capítulos completos de “Lost Book of the White”!

Quanto a “Red Scrolls” especificadamente, já como Magnus e Alec são minhas criações e, bem, eu amo eles, eu tomei a liderança em cenas que focam nas personalidades deles e o relacionamento deles. Wes tomou lugar em criar novos personagens que eu espero que vocês gostem – mais significativamente uma senhorita muito interessante chamada Shinyun Jung – e sondar os aspectos do passado e da história de Magnus. Ele também adicionou bastante riqueza e detalhes para a jornada deles na Europa, já como nós queríamos criar o sentimento de uma clássica comedia romântica como “Charada (filme de 1963)”, no qual o cenário da Europa é um personagem também. Somos ambos grandes fãs de viagem e isso foi um elemento divertido para a gente.

Com a co-escrita no mundo dos Shadowhunters – em oposição a co-escrita que eu faço com Holly – é importante pra mim que o livro que chegue ao tom que corresponda ao resto do mundo dos Shadowhunters. Eu acho que você sempre vê o estilo da escrita do co-escritor também (minhas histórias escritas com Robin tem um sentimento diferente das minhas histórias escritas com Sarah, porque nós trazemos aspectos diferentes uma da outra), mas com tudo co-escrito no mundo das sombras, eu sempre releio toda a história para criar algo que para mim pareça em contato com todo o original. Eu sempre quero que minhas mãos sejam as ultimas a tocar o material, mesmo que isso soe sentimental!

Fiquem esperando um novo trecho de “Red Scrolls” para o Mês do Orgulho LGBT+ em breve!

Fonte [x]