28.07


“O Universo sabe o que faz ”
Pedro Rhuas
Arte de Capa: Renata Nolasco
Seguinte – 2023 – 147 páginas

Prepare-se para uma noite eletrizante em Barcelona nesta novela ambientada no universo do best-seller Enquanto eu não te encontro.

Eric Santos finalmente alcançou seu maior sonho: uma bolsa de estudos para estudar na Espanha. Era tudo de que precisava para escapar dos pais conservadores e do ex-namorado tóxico, e ele mal podia esperar pelas festas selvagens e pelos vários rapazes que passariam pela sua cama. Em vez disso, a realidade o recebeu na Europa com um inverno implacável e um coração partido que se recusava a se recompor. Mas tudo muda quando o verão começa.

Na Noite de São João, o rolé mais quente é na Acrópolis, uma balada inspirada na Grécia antiga. Na fila, Eric conhece Jesús, um espanhol simpático (e lindo!) por quem sente uma atração imediata. Como se não bastasse, logo chega Nico, um italiano misterioso e sexy, com a promessa de uma noite inesquecível a três. No entanto, antes que possa viver esse novo capítulo de sua vida, Eric terá que espantar alguns fantasmas do passado… e confiar que o Universo sempre sabe o que faz: quem chega, quem fica e quem sai.

Indicado para leitores a partir de 18 anos.

Vou começar avisando mesmo já tendo na sinopse: esta novela que se passa no universo de “Enquanto eu não te encontro”, do mesmo (maravilhoso) Pedro Rhuas, é para maiores de 18 anos. Há cenas hot, que dependendo da idade do leitor e sua maturidade, não são indicadas. O novo livro do autor, “O mar me levou a você“, entrou em pré-venda hoje e você pode garantir o seu com brindes clicando AQUI.

Como também já deixei claro, esta novela se passa no mesmo universo do primeiro livro do autor (e você pode ler nossa resenha SEM spoilers clicando AQUI) e se você está se questionando o que vem a ver uma novela, também respondo: “é um estilo literário no gênero narrativo que figura entre o romance e o conto”*, ou seja, é uma história maior do que um conto, mas menor do que um romance. Em um arquivo com 147 páginas, acho que vocês conseguem entender o conceito – e também ficando claro que “O universo sabe o que faz” foi publicado somente em formato eBook, sendo uma história sobre corações partidos sendo remendados, uma noite incrível e a visita alguns personagens que amamos.

Algo se agita em mim, quente e leve, a ponto de quase me fazer suspirar.
Eu não sou do tipo que suspira. Não mais.

Obviamente não falarei muito porque não quero entregar nada da trama que iremos falar sobre, então esperem uma resenha direta ao ponto, mas já te aviso: se você já leu o livro do Pedro, você PRECISA ler esta novela. Com uma linguagem ágil e em determinados fortes – porque a história que está sendo contada aqui é sobre um relacionamento tóxico, que deixou cicatrizes, então é mais do que necessária algumas frases chocantes para mostrar exatamente o que Eric passou –, temos um conto que também nos traz personagens que estamos com saudade de e alguns momentos de troca de SMS que são colocadas nas páginas, tudo deixando a trama de um jeito tão rápido que prometo que você lerá tudo em uma única noite porque não irá conseguir deixar de lado. Acho que fica claro que para você melhor compreender e deixar a história ressoar em você como realmente ressoa, é necessário ter lido o livro de estreia de Rhuas.

Conhecemos Eric no livro “Enquanto eu não te encontro”: melhor amigo do protagonista, Eric tem um relacionamento que claramente está deixando marcas em sua personalidade. Quando o livro termina, vemos o quanto Eric precisa se reencontrar. Claro que o foco da história não era ele e quando deixamos a personagem no final da narrativa, ficamos torcendo que encontre todo amor do mundo que merece. E eis que surge a oportunidade de justamente descobrimos mais sobre sua jornada e seu passado para juntar todos pedaços partidos do seu coração com esta novela.

A nostalgia é sorrateira. Ela te quebra por dentro, destrói cada pedacinho do seu coração com uma saudade que parece — mas só parece — inofensiva. Te paralisa quando você escuta músicas antigas que te transportam a lugares impossíveis de regressar, beijos que não serão repetidos, pessoas que não voltará a ver… É uma bomba-relógio prestes a explodir.

Na Espanha, com sua bolsa, Eric está morando com outros 3 garotos e começa já a narrativa indo para a Acrópolis, uma boate (opa!) onde haverá uma festa naquela noite. Quando está na fila, tem o vislumbre de Raul, seu ex – aquele ex que o quebrou, mas Eric prefere acreditar, naquele momento, que não era algo real. Claro que o rapaz fica abalado e logo alguém na fila pergunta se ele está bem. Quase perdendo a paciência, Eric resolve responder a pessoa quando vê que é um cara nada menos do que maravilhoso. Não demora para que a atenção de Eric esteja em Jesús (sim!), um espanhol que beira a perfeição. Tudo parece estar caminhando para uma noite bem agitada para Eric, mas a noite está só começando e o leitor tem plena certeza disso quando Nico, um italiano que parece ser o namorado (ou o rolo, não temos certeza nessa altura da narrativa) de Jesús chega na fila também. Os dois arranham português porque já tiveram contato com o Brasil em diferentes momentos de suas vidas.

A medida que vão caminhando na fila para entrar na boate, os 3 jovens vão conversando, se conhecendo e deixando a atração física seguir seu curso, afinal, fica claro que todos se sentiram atraídos desde o começo. Quando entram na boate, parece certo para quem acompanha a noite das personagens que irão se divertir bastante, mas, claro, nada seria tão fácil assim porque Raul realmente está na Espanha à procura de Eric e tentar conversar com o ex-namorado.

Sua dor tem direito de existir.
Algo custoso de entender e assimilar. Depois que terminei com Raul, por muito tempo pensei que minha dor não fosse uma prioridade, e que a melhor maneira de lidar com sua presença era ignorá-la.
Há tantas coisas urgentes acontecendo no mundo, afinal.
Em comparação, que importam meus sentimentos?
Porém, é claro que importam, pois são meus.
Negar minha dor é negar a mim mesmo, me anular. A questão nunca foi apenas um coração partido. Foi a violência na relação, a dinâmica abusiva dentro dela, que refletia em outras violências que passei a vida sofrendo.

Muitas cenas levarão a um enfim acerto de contas entre Eric e Raul, e é aqui o grande trunfo que Pedro Rhuas tem: a capacidade de fazer com que nos importemos com os personagens e suas experiências, suas vivências tomando conta da narrativa. Fica claro que Eric teve sua autoestima, já frágil, abalada com o relacionamento, que era, no mínimo, classificado como tóxico. Com uma delicadeza necessária e ao mesmo tempo palavras cruas, vamos adentrando mais em um relacionamento que já se encerrou, mas deixou marcas profundas em nosso agora protagonista. E no meio de uma pequena confusão, Eric sendo protegido por Nico e Jesús, que vamos sendo levado para a cena do acerto de conta entre duas pessoas que precisavam falar uma com a outra.

A experiência de Eric de entender que precisava seguir o que o destino lhe indicava e seguir sua vida, remendando seu coração, é, definitivamente, o centro do conto. A noite ainda irá continuar e trazer uma experiência incrível para o jovem, mas não se engane: nestas páginas aqui você irá encontrar profundidade e sentir dor por um relacionamento falido que deixou cicatrizes, assim como muitos de nós vive e lida com as consequências disso diariamente.

As mentiras que contamos a nós mesmos são mais perigosas do que as contadas pelos outros.

Mas o tom de renascimento também marca essa história, e quando termina, você fica feliz de ter acompanhando essa jornada até o momento que Eric realmente entende que tudo que passou e viveu deveria levá-lo até o lugar no qual ele termina, ensolarado e… bem, você precisa ler para descobrir mais, mas eu prometo que você, leitor, termina acreditando que sim, o universo realmente sabe o que faz.

Para comprar “O Universo sabe o que faz ”, basta clicar no nome da livraria:

Amazon.

*: Fonte

Arquivado nas categorias: Blog , Livros com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
24.05
Sinopse: Núbia não passa de uma memória distante… pelo menos para Zuberi, Uzochi e Lencho, qu...
21.05
  Oi pessoal! Hoje vim falar para vocês sobre um livro INCRÍVEL que li recentemente, c...
17.05
“Maud Martha” Gwendolyn Brooks Tradução: floresta Arte de capa: Julia Custódio Prefáci...
14.05
Nesse maio que, desde o inicio, já está nos deixando com os corações apertados com as coisas que...
12.05
“10 Things I Hate About Prom” Elle Gonzalez Rose ARC recebido em formato físico gentilmente...
10.05
“Os Sussurros” Ashley Audrain Tradução: Lígia Azevedo Paralela – 2024 – 352 páginas...

Deixe seu comentário





Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook