13.07

padrao_jamie

Em mais essa matéria podemos saber um pouco mais de como foi a visita de diversos blogs ao set de filmagens de Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos e uma entrevista completa com Jamie Campbell Bower.

É. É grandão. JCB. Jace. E eu estava morrendo para compartilhar! Aqui está o que aconteceu com a nossa visita a Jamie Campbell Bower:

Os blogueiros sortudos foram levados para uma sala no prédio de set da Sony (parecido com aquele trailer que parece um caminhão de sorveteiro, ok? Eu obviamente não sou boa com nomes.) Era só uma sala com uma grande mesa e divertidas cadeiras. Weee! Então a coisa realmente importante começou a acontecer, como na entrevista com a Cassie. Cassie estava lá desde o inicio enquanto nós fazíamos tour pelo set, deu entrevistas, etc. Eu estava sentada em uma das cadeiras no fim da mesa, perto das portas (sim, EU VOU lá. Vocês vão conseguir TUDO, meus amigos). Estratégia? SIM. Eu vi a adorável skinny jeans chegando antes de todo mundo ok? E quando ele entrou na sala ele teve que passar por mim, ah sim, por mim! O que? Eu estava tremendo enquanto escrevia isso. JCB é muito mais alto do que eu imaginava que fosse. O cabelo dele é de matar. D.E.M.A.T.A.R. Para o extremo. É perfeitamente Jacelicious. Mas tudo que eu contei para vocês até agora nem ao menos se compara para o que eu estou a ponto de falar para vocês que eu testemunhei completamente…

Jamie é inegavelmente o Jace em pessoa.

Sinceramente, eu vou admitir, eu tive meus momentos com pessoas estelares. Eu sei que todos vocês pensam que eu moro em um lugarzinho em Utah com 9 esposas, mas eu tive algumas experiências ótimas com pessoas importantes. Eles eram legais da sua própria forma. Mas me deixe contar sobre a experiência JCB. Eu me transformei em uma idiota. Uma idiota de 34 anos que instantaneamente criou vozes na própria cabeça. Uma completamente inadequada e indulgente. A outra, uma puritana controlada. Eu literalmente me encontrei em guerra dentro da minha cabeça. Gritando para mim mesma para parar de olhar. Tipo, sério? Eu.não.conseguia.parar.de.olhar. Tão embaraçoso. Então, eu pensei que tinha que me acalmar e ficar melhor e agir profissionalmente e imperturbável.. aconteceu de novo! Foi para enlouquecer! Não pude deixar de ficar de boca aberta para ele. Eu já falei do cabelo (era tão solto, maravilhoso!) e claro que ele brincou com isso. Me matou e foi ótimo. A pele dele me surpreender. Praticamente brilhava. Eu sei que você está rindo, mas me encontre no tapete vermelho e você vai saber do que eu estou falando! Foi ótimo. Brilhante. De verdade. Então eu entendi… ele parece com um ANJO! De verdade! Quase comecei a bater palmas de felicidade. Eu sou tão nerd. Mas foi tão lindo…

Depois, eu não posso me livrar da minha responsabilidade até eu relatar o brilho dos olhos do Jamie. Eu estou relendo isso e estou rindo do meu vocabulário, mas eu realmente não posso contar de outra maneira. Se você estivesse lá, você estaria dizendo a mesma coisa. Eu garanto. Isso foi quando eu realmente perdi minha compostura. Eu estava no final da mesa, então eu fui a ultima a fazer minha pergunta. Desde o inicio eu estava falando a mim mesma para me controlar. Então eu estava treinando na minha cabeça como eu iria fazer minha pergunta estúpida e permanecer calma. Eu estou falando sério com vocês agora. Então, respirei fundo e sentei melhor, estava pronta… Então JCB olhou para mim. Tipo, nos meus olhos. O que VOCÊ faria em uma situação dessas? Ah sim, eu fiquei totalmente desnorteada. Estamos falando do vermelho no meu rosto, a postura murcha, o olhar para baixo, o tremido nervoso. Eu tive TUDO. Horrivelmente e vergonhosamente paralisada no momento. Eu podia ter morrido. Por favor? Uma feliz e casada, mãe de três lindas crianças… e eu não podia perguntar para o garoto uma coisa? Foi INSANO!

Então, não apenas lindo, mas gentil. JCB apenas sorriu e esperou pacientemente pela idiota. Eu perguntei com um grande sorriso (e sim, eu fiz isso, olhando direto nos olhos dele) e ele respondeu com outra graciosa, interessante e agradável resposta! Ele saiu rápido como chegou, mas minha vida mudou completamente pela experiência. Que pessoa maravilhosa. Tão talentosa e detentora de uma grande brilho. Essa é a melhor forma que eu posso explicar isso para aqueles que eu podia contar. Ele literalmente tinha um brilho. Nosso pequeno anjo Jace.

O tempo todo em que ele esteve na sala, nós estávamos morrendo com as respostas que ele deu. Ele é rápido nas respostas… divertido pra caramba e sempre rápido na resposta? Sem problema. Absolutamente Jace. Eu espero que vocês consigam ler as perguntas e respostas abaixo com o sotaque britânico e sentir o humor dele. Agora… Imagine a beleza dele e seu sarcasmo com timing perfeito. Aproveitem!

Amber Pruitt: Como foi o processo de treinamento que você fez para interpretar Jace?
JCB: Ao ponto de quase desmaiar, foi feito em abundância eu espero, e é algo que eu nunca estive realmente confortável antes seria a minha palavra. Eu meio que me esquivava dessas coisas. Eu fiz ballet na escola sim, mas, eu era terrível. Mas sim, tem sido bem difícil mas funcionou. Não é algo que eu recomendo para todos, com certeza. Mas foi bom.

Erin Gross: Você estava familiarizado com a série antes de pegar o papel?
JCB: Não estava. Não estava familiarizado. Isso foi interessante porque eu ouvi sobre isso. Eu ouvi sobre o projeto através de alguém com quem eu estava trabalhando em outra coisa. Então eu comecei uma busca porque eu fiquei interessado na historia e claro, ou você escuta sobre um trabalho que está rolando por ai ou você acha que é legal ou tipo isso. Então, você meio que quer roubar um pouquinho. Assim, ao receber o interesse do casting, eu me aprofundei um pouco mais, digamos. Mas eu não sabia que eram livros como Crepúsculo ou Harry Potter. Eu não lia muito quando era criança. Eu assistia só desenhos.

Jen Lamoureux: Qual tem sido seu maior desafio em interpretar Jace?
JCB: Meu maior desafio em interpretar Jace, eu acho que fisicamente o que eu tenho que fazer como ele é um grande desafio. E eu queria fazer cem por cento as acrobacias e coisas como essa. Tem sido assim, mas uma coisa eu não consegui fazer. E infelizmente isso aconteceu dois dias atrás e o cara teve uma coisa ruim na cabeça, então eu estou meio agradecido por não ter feito isso. Assim isso está na minha cara agora. Isso não é real, é para comparar com a batida. Então, tem sido bem difícil, mas também excitante para mim. Eu tenho me forçado mais do que já me esforcei antes. Está sendo um desafio, mas um desafio que eu quis fazer, e eu amo me desafiar. E eu amo empurrar os limites do que eu acho que eu posso fazer e o que eu não acredito que consigo fazer. Então, essa tem sido a maior coisa. E também, você pode roubar uma resposta de alguém porque vai vir de volta para mim.

Kimmy West: Qual a sua parte favorita sobre a personalidade do Jace?
JCB: Isso, você pode roubar isso. Minha parte favorita sobre a personalidade dele, e que foi interessante para mim quando eu descobri quem ele era, era essa vulnerabilidade que existe embaixo desse escudo de inteligência ou grosseria efetivamente como eu já vi isso, e quando essa vulnerabilidade é mostrada para a única pessoa que ele acha que pode confiar é assustador para ele. É assustador deixar alguém entrar, e no momento que ele sente ele quase instantaneamente sente que está sendo traído, ele apenas se fecha de novo, e é o que eu amo sobre ele. Eu amo isso. Eu não diria que ele é legal, ele é meio idiota. E eu meio que amo isso… Eu amo isso sobre ele. Eu acho que é brilhante. Porque você não coloca mais idiotas nas historias. É, isso é o que eu amo sobre ele.

Amanda Bell: Quanto dos seus trajes, tattoos e maquiagem foi afetado pelo Jace?
JCB: Dramaticamente, eu fui muito sortudo de estar aqui um mês antes de começar a filmar, então eu fui trabalhar com Gersha, nossa designer de roupas, muito de perto e ela colocou umas coisas incríveis juntas. Mas, foi bom para mim porque eu era capaz de entrar e ir: “Eu não sei se isso vai funcionar”. Eu me senti desconfortável, e se eu me senti desconfortável alguém em seguida vai se sentir inconfortável também. Claro que tem vezes que você tem que vestir coisas desconfortáveis. O que é interessante para mim sobre Jace é o fato de que eu realmente posso relacionar com ele tudo que eu sinto… Eu sinto que ele sente também. E tudo que ele sente, eu sinto. Então, tem sido muito excitante para mim, e também eu amo couro e tem muito couro. Então tem sido legal. As tattoos, eu amo tattoos. É bom ser tatuado. Não é muito bom sentar em uma cadeira e ser maquiado por três horas, mas é divertido. E o faz parecer durão.

KatieBartow: Qual foi sua primeira impressão sobre Jace quando você leu o livro e quando leu o roteiro?
JCB: Que ele era um idiota. Mas um idiota muito amável. Como eu estava falando sobre a coisa da vulnerabilidade, teve momentos que eu só queria dar a ele um abraço e sentar com ele e falar cara, está tudo bem, não se preocupe, tudo vai ficar bem… Você não tem que carregar o peso do mundo nos seus ombros. Você não, você sabe, luta com demônios, você faz o seu trabalho, então é, eu amei ele e queria sentar com ele e ter uma conversa, abraçar ele e então descartar ele.

Kallie Ross Mathews: Qual foi a experiência mais divertida que você teve no set até agora?
JCB: Todos os dias. Treinar é divertido, é difícil. Essa é a vez que eu me senti mais confortável em um set. O que é ótimo, e eu confio em Harald com a minha vida e com o que ele está fazendo com a historia. E o fato de que ele nos dá liberdade também para colocar coisas ou tirar, isso é muito interessante para mim. Porque você pode trabalhar com muitas pessoas que são “é isso”, é o que nós vamos fazer, isso é como vai ser, sem nenhum desvio, você não pode trazer nada para dentro porque é como vai ser. As palavras estão ali, os diretores estão ali. Nós não precisávamos fazer isso com Harald. Nós tínhamos conversas onde colocávamos as ideias. Se ele achava que uma ideia era ruim, ele nos falava. Mas tem sido muito divertido para mim. Eu acho que todas as coisas de lutas, as do Hotel Dumort foram muito legais. Eu tive que fazer um pulo em uma mesa, que foi muito legal. Tem sido ótimo.

Alyssa Barbieri: O que você mais ama sobre a serie “Os Instrumentos Mortais”?
JCB: As capas. São ótimas. Eu sinto muito pelo cara que estava na capa do primeiro livro, porque ele provavelmente deve ter pensado “Porque não fui escolhido pro filme?” Talvez ele seja um ator ruim, talvez eu seja um ator ruim. Como eu disse antes, a historia de amor entre linhas, o tormento que existe nos personagens, particularmente em Jace. Eu amo esse tipo de angustia e confusão na cabeça dele enquanto tenta ser o senhor brincalhão.

FONTE

Postado por:
Você pode gostar de ler também
29.10
Shadowhunters, temos mais algumas perguntas respondidas por Cassandra Clare em seu tumblr. Desta...
29.07
O importante e reconhecido mundialmente jornal britânico, The Guardian, publicou em seu site um...
17.06
Shadowhunters, é com muita satisfação que vemos que "Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos" f...
10.03
A adaptações do livro Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos recebeu diversos prêmios ...
30.01
Hoje foram anunciados os indicados das categorias da premiação GLAAD Media Awards. São 130 fi...
27.01
A notícia pode parecer estranha para nós que já tivemos a estreia de Os Instrumentos Mortais:...

Deixe seu comentário

1 comentário em “Mais uma Entrevista com Jamie Campbell Bower no set de Cidade dos Ossos”







Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook