29.03


“The Reappearance of Rachel Price”
Holly Jackson
ARC recebido em formato digital gentilmente enviado pela Penguin Random House International
Editora: Delacorte Press
Data de lançamento internacional: 02 de abril de 2024

Luzes. Câmera. Mentiras.

Bel, de dezoito anos, viveu toda a sua vida à sombra do misterioso desaparecimento de sua mãe. Há dezesseis anos, Rachel Price desapareceu e a jovem Bel foi a única testemunha, mas ela não se lembra disso. Rachel se foi, há muito considerada morta, e Bel deseja que todos sigam em frente.

Mas o caso é retorna do passado quando a família Price concorda em fazer um documentário de crime real. Bel mal pode esperar que as filmagens acabem e que a vida volte ao normal. E então o impossível acontece. Rachel Price reaparece e a vida nunca mais será normal.

Rachel tem uma história inacreditável sobre o que aconteceu com ela. Inacreditável, porque Bel não tem certeza se é real. Se Rachel está mentindo, onde ela esteve esse tempo todo? E… ela poderia ser perigosa? Com as câmeras ainda rolando, Bel deve descobrir a verdade sobre sua mãe e descobrir por que Rachel Price realmente voltou dos mortos…

Da autora conhecida mundialmente Holly Jackson, chega uma obra-prima alucinante sobre a busca de uma garota pela verdade e o terror em descobrir quem realmente é sua família.

Essa resenha foi feita pela parceria com a Penguin Random House International, que gentilmente nos enviou esse ARC (Advance reading copy: algo como “uma cópia de leitura avançada”, ou seja, o livro ainda pode sofrer alterações antes de ser publicado). Também lembrando que essa resenha terá um formato diferente: por ser um ARC, não haverão quotes, já como os livros podem sofrer mudanças em seu texto antes de serem comercializados. Gostaríamos de agradecer profundamente a Editora pela oportunidade da leitura.

Menos é mais, na maior parte das vezes. E digo isso com o maior cuidado do mundo porque realmente gostei da trama de “The Reappearance of Rachel Price“, mas confesso que existiram pontos na trama que foram… demais. Poderia ser um pouco menos e tudo seria bem mais redondinho, encaixadinho e deixaria o leitor com a sensação que leu algo real e assustador, mesmo sentimento que se tem ao ler “Manual de Assassinato para boas garotas“, o primeiro (e grande sucesso que está virando série de TV) da autora Holly Jackson.

A trama deste livro começa no tempo atual: Annabel, a filha de Rachel, está sendo entrevistada para um documentário (que leva o nome de “The disappearance of Rachel Price“, que em tradução literal seria “O Desaparecimento de Rachel Price“) que irá contar o desaparecimento de sua mãe. Com 18 anos durante a narrativa, Bel, como gosta de ser chamada agora (porque sua mãe a chamava de Anna), sente bastante ressentimento por ter um trauma tão grande em sua vida, misturado com saudade de alguém que ela não tem qualquer memória porque quando Rachel sumiu, Bel tinha 1 ano e 10 meses. O desaparecimento foi chocante porque parecia que a mulher sumiu no ar, como um passe de mágica.

Mas Bel estava lá quando sua mãe sumiu as duas vezes naquele dia: primeiro estavam as duas no shopping e quando passaram por um ponto cego, sem câmeras, as duas desapareceram. O carro de Rachel com a pequena Bel dentro foi encontrado a beira da estrada com o motor ligado (para o aquecedor funcionar, já como estava muito frio) e a garotinha no carrinho no banco traseiro, bem cuidada. E foi aí que a pequena cidade de Gorham conheceu o mistério do desaparecimento de Rachel, uma jovem mulher mãe, esposa e filha, aparentemente do nada. Ou não.

O que veio na sequência foi uma avó materna acreditando que o marido havia matado sua mãe e o afastamento total da vida da neta. Bel foi criada por seu pai, Charlie Price, seu avô Patrick, seu tio Jeff e sua esposa Sherry – completando a família, há a prima de Bel, Carter, 2 anos e pouco mais nova. A vida de Bel se tornou esperar que as pessoas a abandonassem porque bem, se nem a mãe ficou, quem mais ficaria? Apesar disso, ela se dá muito bem com a pequena família e ama Carter como uma irmã.

Em consequência do sumiço de Rachel, Charlie foi indiciado e julgado pelo assassinato. Inocentado, o homem voltou para a vida de antes e tentou reconstrui-la com sua filha, mas, 16 anos depois, no tempo atual, seu pai está doente depois de um AVC e a família, precisando de dinheiro, aceita a proposta de Ramsey Lee, um diretor britânico que chega com sua equipe de mais 3 pessoas: James Myers, o câmera; Saba Igqbal, responsável pelo som e Ash Maddox, o assistente de câmera atrapalhado cunhado do diretor, que terá uma participação maior na resolução da grande trama que assolará a trama.

O grande mistério deste livro chega na forma da própria Rachel, que simplesmente aparece viva novamente depois de quinze anos. Eu falei quinze anos? Desculpa, dezesseis – mas a própria Rachel erra o tempo que passou fora, não sabe descrever com exatidão quem supostamente a levou do seu carro e nem por que tudo aconteceu. E claro que sua filha é justamente a pessoa que começa a pegar alguns pequenos erros na história de Rachel.

O tempo inteiro estamos no presente, na narrativa, e não há flashbacks. Quando mostra o que aconteceu no passado, é sempre com os personagens contando, o que achei uma escolha acertada, já como o ponto de vista de toda trama é pelos olhos de Bel, e é assim que vamos vendo a jovem começar a se tornar basicamente paranoica com a presença da mãe.

A medida que a trama vai avançando, o leitor fica dividido entre acreditar que Bel está procurando algo para não confiar na mãe e realmente acreditar que há algo errado com a hiatiria contada por Rachel, e somente lá pelo quarto final do livro que tudo é explicado. Como comecei deixando claro no começo desta resenha, na maior parte das vezes, menos é mais, e se a trama se focasse em mostrar as motivações dos personagens e os motivos pelos quais eles fizeram o que fizeram e escolheram o que escolheram, tudo seria mais fácil e simples, mas a ideia de dar toques novelescos a trama tirou parte do seu brilho, que por si só é aterrorizador.

Nem mesmo o romance de Bel com um determinado personagem tirou o brilho da trama sobre Rachel, coisa que foi uma surpresa, já como normalmente em tramas de suspense, o romance tira o foco e atenção do que realmente importa. Bel é uma protagonista que beira o insuportável em termos de teimosia, mas que termina surpreendendo o leitor com a sagacidade e as escolhas finais. Já Rachel é uma personagem que prende o personagem porque so a vemos pelos olhos da filha, e, apesar disso, sempre estamos na duvida sobre os motivos que a trouxeram de volta e quem ela realmente é. O final é de uma simplicidade tremenda depois de uma trama tão forte, mas que ficou no lugar certo, terminando no tom certo.

Sem falar demais para não estragar a experiência de quem for ler, “The Reappearance of Rachel Price” é um bom thriller com adolescentes no centro, gênero que a autora é quase uma especialista. Não há nenhum traço mirabolante em sua trama, que assim como seu livro de maior sucesso, tem casos reais que os espalham, infelizmente. Se você gosta desse gênero, pode cair de cabeça porque a trama prende e a autora não decepciona.

Ainda não há informações sobre o livro no Brasil, mas como todos livros da autora foram publicados por aqui, este provavelmente também deverá ser publicado – e como “O reaparecimento de Rachel Price“, a tradução literal do título. Fiquem ligados em nossas redes que postaremos qualquer informação.

Thanks for the free book, PRH International.

Para comprar “The Reappearance of Rachel Price” basta clicar no nome da livraria:

Amazon.
Amazon, eBook.


Arquivado nas categorias: Blog , Livros com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
12.07
“Prazos de validade” Rebecca Serle Tradução: Lígia Azevedo Paralela – 2024 – 264 pá...
09.07
Chegamos no meio do ano (!!!), um ano bem bagunçado, vamos assumir, mas que tá cheio de livros ót...
05.07
“A Ascensão do Dragão: Uma história ilustrada da dinastia Targaryen – Volume 1” George R...
02.07
Sinopse: Arwen era uma simples jovem humana, vivendo em uma pacata vila e em meio a um povo cujo d...
28.06
“O Rei Aurora” (Artefatos de Ouranos 2) Nisha J. Tuli Tradução: Guilherme Miranda Seguint...
25.06
“Quem vai te ouvir gritar: Uma antologia de horror negro” Jordan Peele, John Joseph Adams e v...

Deixe seu comentário





Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook