17.02

Oi pessoal! Hoje vamos falar sobre um livro da editora Valentina chamado “Delícia, delícia”, da Dona Kaufman. Ele é um best-seller, desde que foi lançado, e a sinopse é essa:

Ficar na cozinha nunca foi tão gostoso. Quando a extraordinária confeiteira Leilani Trusdale trocou a agitação de Nova York pela pacata e doce Ilha de Sugarberry, não esperava que seu passado a seguisse. Seu antigo chefe, Baxter Dunne ( também conhecido como “Chef Hot Cakes”) o homem que ensinou a ela que o creme compensa, reaparece desejando filmar seu famoso programa de culinária. O problema é que ele escolheu filmar na Cakes By The Cup, a minúscula e aconchegante confeitaria de Leilani. Com seu olhar de brigadeiro de colher e aquele irresistível sotaque britânico – que faz a moça babar e seu rosto corar como calda de cereja -, ele fez as fofocas de cozinha rolarem soltas. Lani, lá no fundo, só deseja que algumas sejam deliciosamente verdadeiras… Os amigos estão convencidos de que o ex-chefe é o ingrediente que falta para a definitiva receita de felicidade dela. Porém, Baxter terá que botar a mão na massa se quiser tirar do forno um grande, verdadeiro, quentinho e saboroso amor. No Clube do Cupcake, cozinhar é apenas um detalhe. Entre altos papos e doces lambidas, amizades crescem como pão quentinho e a vida vai ficando, hummmm, mais saborosa. Mas quando é preciso decidir entre a vida que você sempre sonhou e o amor da sua vida, só as melhores amigas, as melhores receitas e uma caixa cheia de Red Velvets podem ajudar. É hora de praticar boloterapia!!!

O livro é o primeiro da série “O Clube do Cupcake”, da autora. Inclusive, ele tem receitas (como a de um cupcake de pão de mel maravilhoso)!!! Narrado em terceira pessoa ao longo de 296 páginas, somos apresentados a Leilani, ou Lani, como é chamada. Lani trabalhou durante alguns anos para o mais renomado chefe de confeitaria da atualidade, que, apesar de ser um pouco mais novo que ela, está anos-luz à sua frente. Quando ele decide gravar seu programa de tv, deixa Lani como encarregada da confeitaria que ele abriu, a Gateau, e ela aceitou o desafio. Só havia um problema sério: as pessoas começaram a fofocar que o único motivo pela qual ela havia conseguido o emprego era porque estava dormindo com Baxter. O que era mentira. A única verdade nisso, escondida a sete chaves de todos menos de sua melhor amiga Char, é que Lani queria que isso fosse verdade. Mesmo com todos os boatos sujando a imagem de Lani, Baxter não faz nada para defendê-la (eu achei isso bem babaca), e assim ela decide se mudar para Sugarberry, e fundar sua própria confeitaria, para que possa passar mais tempo perto do pai, que estava doente. E para ter paz e sossego.

“Havia algo primitivo na forma como estava olhando para ela, como alguém disposto a brigar, lutar com as próprias mãos, se isso fosse necessário para obter o que desejada.”

Minha opinião final: o livro é bom, se você gosta de um clichezão onde os protagonistas se declaram falando o nome completo do outro, e se você gosta de prever o que vai acontecer. Me incomodou um pouco o fato de em alguns momentos a escrita da autora ser quase… infantil…

Tirando isso, a história é bem construída, bem construída no sentido que digo que, a escrita de Dona Kaufman é fluída. Muitos e MUITOS diálogos, alguns bem engraçados, tornando a leitura leve e divertida, apesar de previsível. Lani e sua amiga Char parecem o tipo de mulheres de quem eu facilmente me tornaria amiga, e eu gostei disso.

O livro, apesar de alguns momentos ter uma escrita meio infantilizada, porque ela usa muitas metáforas com os doces, e isso me incomodou um pouco, também é bem sexy.

O ponto mais forte para mim, com certeza é a riqueza de detalhes na medida certa. Ela nos dá detalhes o suficiente para que a gente consiga imaginar bem a cena, a confeitaria, o personagem, sua aparência (isso é importante para mim, por algum motivo estranho).

Eu adoro muito os livros físicos da Valentina. E mais uma vez eles acertaram na capa, nas cores, na diagramação, na lombada, que ficou linda na minha prateleira!!

Ainda sobre a história, é muito legal de ver como a Lani é realmente apaixonada pelo o que faz. Isso deixou meu coração quentinho. Eu adorei ver como ela encontra conforto em seu trabalho, principalmente porque hoje em dia isso é algo raro de se encontrar.

Não importava o quão calma e centrada ela permanecesse, aquele tipo de vida cobrava seu preço. Lani pensou em toda a boloterapia que ela e Char tinham feito durante aquele tempo. Geralmente, no meio da madrugada. Aqueles momentos nunca tinham nada a ver com seus respectivos empregos. Era terapia para manter a sanidade.

“Delícia, delícia” não é um livro que vai mudar sua vida, ou te fazer ver o mundo de forma diferente. Não é revolucionário e nem é essa a proposta do livro. É uma leitura leve e divertida, para aqueles dias chuvosos e preguiçosos que gostamos de ficar na cama, especialmente comendo um cupcake (melhor ainda se for um dos receitados no livro!). É um livro para te fazer suspirar um pouquinho, e aquecer o coração.

Tendo em mente a proposta do livro, achei legal e gostei bastante, talvez siga acompanhando O Clube do Cupcake!

Amazon.
Magalu.

Arquivado nas categorias: Blog , Livros com as tags: , , , , .
Postado por:
Você pode gostar de ler também
24.05
Sinopse: Núbia não passa de uma memória distante… pelo menos para Zuberi, Uzochi e Lencho, qu...
21.05
  Oi pessoal! Hoje vim falar para vocês sobre um livro INCRÍVEL que li recentemente, c...
17.05
“Maud Martha” Gwendolyn Brooks Tradução: floresta Arte de capa: Julia Custódio Prefáci...
14.05
Nesse maio que, desde o inicio, já está nos deixando com os corações apertados com as coisas que...
12.05
“10 Things I Hate About Prom” Elle Gonzalez Rose ARC recebido em formato físico gentilmente...
10.05
“Os Sussurros” Ashley Audrain Tradução: Lígia Azevedo Paralela – 2024 – 352 páginas...

Deixe seu comentário





Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook