20.10


“Five Survive”
Holly Jackson
ARC recebido em formato digital em parceria com a Penguin Random House International
Delacorte Press

Data de lançamento internacional: 29 de novembro de 2022

Red Kenny está em uma viagem de férias de primavera com cinco amigos: seu melhor amigo – o irmão mais velho – sua namorada perfeita – uma paixão secreta – um colega de classe – e um assassino.

Quando seu trailer quebra no meio do nada, sem serviço de celular, eles logo percebem que não é um acidente. Eles foram presos por alguém lá fora no escuro, alguém que claramente quer um deles morto.

Faltando oito horas para o amanhecer, os seis amigos devem escapar, ou descobrir qual deles é o alvo. Mas há um mentiroso entre eles? Segredos enterrados serão forçados a vir à tona e as tensões dentro do trailer atingirão níveis mortais. Nem todos sobreviverão à noite…

Como vocês já sabem, essa resenha é em parceria com a Random House Internacional, de quem recebemos esse ARC (Advance reading copy: algo como “uma cópia de leitura avançada”, ou seja, o livro ainda pode sofrer alterações antes de ser publicado). Também lembrando que essa resenha terá um formato diferente: por ser um eARC, não haverão quotes, já como os livros podem sofrer mudanças em seu texto antes de serem comercializados. Gostaríamos de agradecer profundamente a Editora pela oportunidade de parceria.

Fui na fé para ler “Five Survive” porque gostei muito (muito mesmo) de “Manual de Assassinato para Boas Garotas ” – uma trama de suspense YA, gênero que agora está em ascensão e está muito bem representado nessa trama de uma garota que decide investigar um crime que marcou a história de sua cidade e foi um livro tão bom, com tantas resenhas magníficas, que ganhou duas sequências, se tornando uma trilogia (você pode ler a sinopse clicando AQUI. Depois de ter sido fisgada por essa trama, foi natural querer ler o mais novo livro da autora, que só será lançado mês que vem, mas que a Penguin Random House tão gentilmente cedeu um eBook para leitura. E tô em choque até agora de TÃO BOM que esse livro é. Sério.

Começando bem do começo da trama, somos apresentados a Redford “Red” Foster, uma jovem que tem o nome do avô e passou um trauma grande com a morte de sua mãe, que era uma delegada e foi morta em serviço. Prestes a se formar no colegial, Red aceitou sair em um veículo recreativo (trailer) com sua melhor amiga, Madeline “Maddie” Lavoy e o amigo da dupla, Simon. Acompanhando os 3, ainda temos Oliver e Reyna, respectivamente irmão e cunhada de Maddie, e, por fim, Arthur, que é amigo de Simon e por quem Red tem uma certa quedinha. O grupo pretende sair de Philadelphia e ir até Gulf Shores, uma cidade no Estado de Alabama para se divertir – e tem mapa no livro, tanto com a planta do trailer quanto da viagem que o grupo faria, o que é bastante interessante para visualização de tudo. O enredo é simples assim, a princípio, e os 6 jovens, de idades diversas, estão realmente se divertindo e aproveitando aquela fase de adolescência de 18 anos que todo mundo tem que aproveitar – menos Oliver e Reyna, que são mais velhos, já estão na faculdade e namoram há bastante tempo.

Depois de uma ligação dos irmãos Maddie e Oliver com a mãe, Catherine, os jovens pegam uma entrada errada na estrada e logo seu pneu é estourado. Depois do pequeno contratempo resolvido, a viagem parece que vai continuar sem problemas – só que não, claro, porque então todos os pneus explodem e fica claro que tem alguém fazendo isso com os jovens. Alguém está acompanhando a viagem dos jovens e esperava por eles ali escondido, naquela estrada escura que eles pegaram errado, usando uma arma com mira e que quer expor uma pessoa que mente entre o grupo. O problema é que todos tem algo a esconder, da forma mais boba e fútil até mesmo a crimes reais. Todos precisam colocar seus segredos na mesa enquanto vai ficando claro que um dos personagens que você está conhecendo e se apegando está mentindo porque alguém de dentro está trabalhando com o atirador porque sim, o atirador com mira a laser lá fora do ônibus está mais do que disposto a matar o grupo, completo ou não.

Sobre os personagens que foram o grupo principal, temos Red, a qual já falei que sofre há anos pela morte de sua mãe, justamente porque quando o crime aconteceu, elas estavam brigadas. Você consegue entender o drama e o trauma da personagem, que não tenta ser corajosa além do aceitável e nem é uma garotinha que vai deixar os sentimentos tomarem conta de sua visão. Claro, ela tem seus motivos para ter os segredos que tem, e quando o leitor os conhecem, a absolvição vem fácil para a personagem. Já sua melhor amiga, Maddie, é a típica boa garota, prestativa e gentil, que realmente tenta fazer de tudo pela melhor amiga – até mesmo pedir para todos não usarem a palavra “mãe” perto dela para não fazer Red se sentir mal. Simon, o amigo, também tem sua contribuição como o personagem mais leve e mais brincalhão, que está lá para se divertir com o grupo de amigos, e foi através dele que Arthur se introduziu. Arthur não estuda no mesmo colégio que os 3, mas sempre que pode, está presente, e consegue conversar facilmente com Red, parecendo retribuir os sentimentos que ela sente, mas fica claro que ele tem bastante mais do que deixa a garota ver em sua superfície. Completando o grupo, Oliver e Reyna estão em um relacionamento sério há anos, como já falei, e fizeram a transição para a faculdade muito bem, ou, pelo menos, é o que todos acreditam. Oliver parece ser um tanto quanto possessivo com a namorada e cabeça quente e teimoso com os outros, o que o torna fácil de detestar, enquanto Reyna parece ser mais calma e gentil. São um grupo bastante heterogêneo, mas, ainda assim, encontraram formas de serem amigos e se divertirem juntos, sem jamais esperar que aconteceria justamente aquele desastre em uma simples curva errada em uma autoestrada.

O livro se passa em apenas 8 horas, das 22 até as 6 da manhã, com capítulos divididos pelas horas passadas, mas claro que há flashbacks contados pelos personagens para que possamos entender o que está acontecendo. Tudo é um quebra-cabeças que parece bastante complexo, com pistas erradas e personagens bem construídas de uma forma que faz o leitor ficar ansioso para entender qual é a verdade. Há segredos que você sequer sonha que podem existir entre aqueles personagens quando a narrativa começa e tudo explode em uma trama mortal repleta de mentiras, desencontros e traições. É aquela velha máxima de que não adianta você tentar proteger alguém que você ama da forma errada porque karma é uma vadia e vai voltar pra chutar sua bunda.

Não há muito o que falar sobre a trama do livro em si porque os personagens estão sim, confinados dentro do trailer naquelas 8 horas. Eles podem tentar sair e fugir, mas está claro que a situação já foi orquestrada e eles não tem escapatória além de admitirem seus erros. O clima claustrofóbico e tenso vai se tornando quase insuportável, tudo em um crescendo que é capaz de carregar o leitor consigo, e se você sentir um clima de filme de estrada nos quais adolescentes estão caçados sem piedade, você está no caminho certo: o clima é tão próximo que quase me faz desejar uma adaptação, mas sabemos como essas coisas quase sempre terminam. Eu, como fã de filmes e livros de suspense, fiquei tão vidrada na trama que li de uma única vez, em uma única noite. E não, o livro não é grande.

Além de tudo que já falei, ainda quero destacar o final, que foi absurdamente bom, bem acima da média do que estamos acostumados. Holly não enrolou no livro, não acrescentou cenas desnecessárias, não demorou a entregar um final que é extremamente agridoce e capaz de deixar seu leitor decidir o que vai acontecer a partir dali – mas calma, você tem todas as respostas no final da narrativa, pode confiar em mim. E ah, ao que tudo indica, será um livro único.

Se você gosta desse novo gênero de “suspense jovem”, você pode e deve se animar para este livro porque ele realmente entrega tudo sem prometer nada – e ah, o resumo da sinopse dele: “Oito horas. Seis amigos. Cinco sobrevivem.”, é muito, muito boa para te preparar sobre o que esperar. Vá ler e eu também te prometo que você vai sobreviver a essa noite bem mais feliz por ter lido um bom livro.

Entre meus livros favoritos do ano, “Five Survive” (em tradução livre, “Cinco Sobrevivem”), ainda não foi anunciado aqui no Brasil, mas os livros da autora Holly Jackson estão sendo publicados pela Intrínseca, então fiquem ligados que assim que tivermos qualquer noticia sobre a publicação dele aqui, vamos comentar bastante pra fazer vocês todos lerem.

Thanks for the free book, Penguin Random House International.

Para comprar “Five Survive” basta clicar no nome da livraria:

Amazon, capa dura
Amazon, eBook.


Arquivado nas categorias: Blog , Livros com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
27.02
Sinopse:E se houvesse infinitos universos — e infinitas maneiras de se apaixonar? Depois de e...
23.02
  Oi pessoal, tudo bem com vocês? Hoje vim falar para vocês sobre uma série que eu de...
20.02
“A serpente e as asas feitas de noite”(Nascidos da Noite #1) Carissa Broadbent Tradução: J...
16.02
Sinopse:No último dia das bruxas, a ex-melhor amiga de Alice Ogilvie foi morta. Se não fosse ...
13.02
Depois de um janeiro que pareceu durar uns 3 meses, finalmente chegamos em fevereiro e no novo post ...
09.02
“Mata Doce” Luciany Aparecida Arte de Capa: Ale Kalko Alfaguara – 2023 – 304 páginas ...

Deixe seu comentário





Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook