26.08

Sinopse: Criada por freiras hostis e decrépitas, asseclas anciões e inúmeros esqueletos, Gideon está pronta para abandonar uma vida de servidão e uma pós vida como cadáver reanimado. Ela pega sua espada, seus sapatos e suas revistas de sacanagem e se prepara para uma fuga ousada. Porém, sua nêmesis de infância não a deixará ir sem antes completar uma última tarefa.

Harrowhark Nonagesimus, Reverenda Filha da Nona Casa e bruxa de ossos extraordinária, recebeu um chamado. O Imperador convidou os herdeiros de todas as suas leais Casas para um teste mortal de habilidade e inteligência. Se Harrowhark obtiver sucesso, ela se tornará uma serva imortal e poderosa da Ressurreição — mas nenhum necromante pode ascender sem seu cavaleiro. Sem a espada de Gideon, Harrow falhará, e a Nona Casa morrerá.

Algumas coisas, porém, ficam melhores em seus túmulos.


Gideon, a Nona; é um livro muito peculiar.
Começo dizendo isso pois é uma leitura que durante um tempo me deixou um tanto confuso.

O Livro chegou aqui pela editora Alta Novel, e já chegou arrasando e prometendo muito! é uma edição maravilhosa, digna de ser comparada com os livros da caveira (vocês sabem do que estou falando).

É uma mistura de diversos gêneros conhecidos e adorados dentre os livros classificados como YA.
Fantasia, Ficção Científica, Pós Apocalíptico, Mistério, e aqui talvez uma vibe que ganhe o coração de vocês: Um enemy to lovers que deixa um interesse em cada cena entre as personagens. Apesar disso, o livro tem um trabalho para conquistar o leitor.
Muitas sequencias exageradas e repetidas, cenas que abusam de uma relação muito falsa para com o leitor.
Resumindo, muitas das primeiras cenas são interessantes e criativas, mas forçadas demais.

Acho muito complicado fazer um resumo, pois o livro é escrito com informações muito rarefeitas.
E isso, infelizmente, é um fator ruim pois exige que você avance muito na leitura para começar a entender e mergulhar no que está acontecendo. Algumas cenas são confusas, principalmente as cenas de lutas. Sabemos que atualmente leituras assim acabam perdendo um pouco o público, que gosta de ser guiado pela mão e alimentado com doses constantes e substanciais de informações para deslanchar na leitura. Além disso o world Building (a construção-de-mundo) no livro é bem complexa e intencionalmente misteriosa além da conta, o que pode desestimular um pouco a leitura, pois você lerá sem saber do que está acontecendo e quais as consequências disso a longo prazo.

TALVEZ você seja um desses que consegue persistir na leitura, na força da curiosidade, e isso será completamente recompensador – pois após o período de confusão – o livro fica interessante.

Em um sistema solar distante, nove planetas (chamados casas) existem sob o domínio do Imperador (Necrolorde, Senhor da Morde, Deus que é Rei, Rei que é Deus, ele tem uns 700 títulos). Em cada um desses planetas, existe uma cultura diferenciada baseada em um tipo diferente de magia da morte, a necromancia.

Na Nona Casa, Gideon vive como uma habitante sob o comando de Harrowhark Nonagesimus, a herdeira e regente, dos governantes.
Gideon e Harrow (como é costumeiramente chamada) são inimigas mortais desde o nascimento – não do tipo que se olham feio na escola, mas do tipo que planejam e quase sucedem diversas vezes em matar uma a outra de formas indescritíveis. Em sequência a uma tentativa de fuga malsucedida, Gideon que está se passando por uma cavaleira fiel e Harrow a necromante adepta de magia dos ossos, são puxadas a outro planeta por um chamado urgente do Grande Imperador que busca entre todas as casas seus novos necromantes de elite. Aí entendemos um pouco mais sobre o universo destes personagens.

Cada casa possui sua cultura. Os necromantes de cada casa são adeptos de um conjunto levemente diferente de práticas de magias da morte, e isso constrói as relações entre as casas. Algumas são mais bélicas, outras mais espirituais, outras mais acadêmicas. Cada uma possui uma população com diferentes características sociais infelizmente apenas representadas pelas duplas de Necromante + cavaleiro que são enviadas em resposta ao chamado do Imperador, junto a Nona Casa.

O word-Building é interessante e tem muito potencial, mas não é abordado na quantidade certa. Essa é minha reclamação principal. O leitor é levado às informações através de migalhas de comentários dados pelos personagens que já vivem nesse universo, dificultando a compreensão. Durante muito do livro minha mente ficava conjecturando explicações e informações pois elas ou não são entregues ou demoram demais para chegar.

Até então, duas inimigas juradas precisam descobrir uma forma de trabalhar juntas além de dominar segredos do passado e sobreviver a um jogo de horrores misterioso cheio de assassinatos; desenvolver uma estratégia para que seus próprios objetivos tenham chances de ser realizados.

Tamsyn Muir nos dá uma história queer muito interessante e confusa, como nunca cheguei a encontrar.
O que falta de explicação em cenas e conceitos, é relevado em parte pela beleza que é a construção dos personagens. Cada um deles com diferentes personalidades muito bem pontuadas – na verdade, é o ponto mais interessante do livro, pois de repente estão 10 personagens interagindo e é facilmente identificável quem é quem – ambientam a história de maneira que você vai conseguindo informações picadas dado o objetivo e suspeitas de cada personagem.

Gideon e Harrow têm suas narrações muito bem-feitas, seja com muitos palavrões e ameaças criativas, e nas entrelinhas, o leitor consegue muito facilmente ser sugado pela tensão entre as personagens. A história das duas é longa, complexa e com muitos altos e baixos, o que dá uma bagagem especial para cada um dos desafios que são enfrentados, além dos obstáculos colocados pelas outras duplas.

O livro é uma viagem.
Seja entre gêneros desconexos e plot-twists chocantes, o livro nos entrega uma história complicada e angustiante que no fim acaba viciando.

GIDEON, A NONA, é o primeiro livro de uma série planejada para conter 4 livros.
E aqui, o segundo já está foi colocado na lista de leitura.

Para comprar “Gideon, a Nona” basta clicar no nome da livraria:

Amazon.
Submarino.

Arquivado nas categorias: Blog , Livros com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
23.02
  Oi pessoal, tudo bem com vocês? Hoje vim falar para vocês sobre uma série que eu de...
20.02
“A serpente e as asas feitas de noite”(Nascidos da Noite #1) Carissa Broadbent Tradução: J...
16.02
Sinopse:No último dia das bruxas, a ex-melhor amiga de Alice Ogilvie foi morta. Se não fosse ...
13.02
Depois de um janeiro que pareceu durar uns 3 meses, finalmente chegamos em fevereiro e no novo post ...
09.02
“Mata Doce” Luciany Aparecida Arte de Capa: Ale Kalko Alfaguara – 2023 – 304 páginas ...
06.02
Sem delongas, comecemos essa resenha com a sinopse: “Pietra Jimenez é uma famosa arqueóloga e pe...

Deixe seu comentário





Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook