31.05


“The Love of my Live”
Rosie Walsh
ARC recebido em formato físico em parceria com a Penguin Random House International
Pamela Dorman Books

Data de lançamento internacional: 1º de março de 2022

Emma ama seu marido Leo e sua filha Ruby: ela faria qualquer coisa por eles. Mas quase tudo o que ela disse a eles sobre si mesma é mentira.

E ela poderia ter se safado disso, se não fosse pelo trabalho do marido. Leo é um escritor de obituários; Emma, uma conhecida bióloga marinha. Quando ela sofre de uma doença grave, Leo lida com a situação fazendo o que sabe melhor – pesquisando e escrevendo sobre a vida de sua esposa. Mas quando ele começa a desvendar a verdade, ele descobre que a mulher que ele ama realmente não existe. Nem o nome dela é real.

Quando os momentos mais sombrios do passado de Emma finalmente surgem, ela deve de alguma forma provar a Leo que ela realmente é a mulher que ele sempre pensou que ela era..

Mas, primeiro, ela deve contar a ele sobre o outro amor de sua vida.

Como vocês já sabem, essa resenha é em parceria com a Random House Internacional, de quem recebemos esse ARC (Advance reading copy: algo como “uma cópia de leitura avançada”, ou seja, o livro ainda pode sofrer alterações antes de ser publicado). Também lembrando que essa resenha terá um formato diferente: por ser um ARC, não haverão quotes, já como os livros podem sofrer mudanças em seu texto antes de serem comercializados. Gostaríamos de agradecer profundamente a Editora pela oportunidade de parceria.

Ok, vamos do começo, bem do começo: Eu sabia bem pouco sobre “The Love of my Live”, e somente quando o livro chegou em formato físico que procurei saber sobre. O nome da autora não me era estranho e realmente confirmei o que sabia: seu 1º livro, “Tudo aquilo que nos separa”, foi publicado e lançado aqui no Brasil pela Editora Record e resenhamos na época que éramos parceiros da Editora (clique AQUI para ler). O livro foi bastante elogiado na época e por isso muitos aguardavam o lançamento do 2º livro da autora – e é aqui que estamos depois de uma pesquisa que confirmou que este livro está com ótimas reviews e bastante elogios lá fora. Apesar do 1º livro já ter sido publicado aqui, não vi informações sobre se este está para ser publicado ou se será – mas avisarei todos se tiver qualquer informação.

Agora vou deixar claro o quanto a sinopse deste livro te engana. Te engana e muito. Claro que a lendo, pensei que esse livro era mesmo um suspense voltado para uma trama forte de mentiras, traições e afins, mas o que temos em mãos é um livro sobre saúde mental – isso mesmo que você leu. Claro que não darei mais nenhum spoiler além disso, mas conto que um dos pontos centrais do livro são as mentiras que a sinopse entrega que Emma contou a vida inteira a Leo, seu marido e “o amor de sua vida”, mas também fala sobre perdão, erros, saúde mental e a crueldade humana. Eu sei, eu sei, parece vago demais, mas é uma junção de todos esses temas que entrega um livro sólido que engana o leitor em diversos pontos.

A trama começa com Emma e Leo esperando o resultado dos exames que ela fez depois do tratamento contra um câncer linfático. Com quase 10 anos juntos (sendo 7 casados) e tentarem engravidar por algum tempo, Emma enfim tem a pequena Ruby, logo depois descobrindo que o câncer que já tinha sido diagnosticado anos antes estava evoluindo ferozmente. Claro que o casal está tendo uma época bem difícil em pensar que talvez o tratamento não tenha ido como esperado e Emma tenha piorado de saúde, cada um lidando da forma como saber. O problema aqui é que Leo trabalha como jornalista escrevendo obituários para um jornal de circulação nacional na Inglaterra, então a sua forma de começar a colocar sua cabeça no lugar sobre uma possível partida de sua esposa é justamente escrever o obituário dela, mesmo com o pedido explicito de Emma para que ele não fizesse isso, coisa que ele obviamente ignora. E esse foi meu principal problema com o começo do livro.

Começando a escrever o obituário (pausa aqui: não sei se todos que leem essa resenha estão familiarizados com o que vem a ser um obituário, que é, na verdade, uma espécie de matéria na qual se fala sobre os feitos da pessoa em vida, em um breve resumo de quem a pessoa era e informando que acabara de falecer), é obvio e certo que Leo começa a descobrir as mentiras de Emma, a começar pela profissão da esposa que diz ser uma biológica marinha e até mesmo apresentou uma minissérie na BBC sobre a vida marinha. O choque de Leo é gigantesco e chega repleto de traumas, porque a narrativa, que alterna passado e presente, mostra que ele descobriu uma grande mentira de seus pais que praticamente o tornou intolerante a qualquer falta de verdade.

A partir dai, Leo começa a basicamente uma investigação sobre a vida de sua esposa da pior forma possível: mente para encontrar pessoas, acessa as redes sociais dela lendo as mensagens (o que obviamente não poderia dar certo, levando o personagem a tomar as piores decisões possíveis, mais do que já estava tomando) e sendo um idiota porque se sente traído. Lembra que eu falei que meu principal problema com o começo do livro foi justamente Leo ignorar o pedido da esposa? Ele só não ignora como começa essa investigação e dai é só ladeira abaixo porque depois de confirmar essa primeira mentira da esposa, Leo, em uma atitude ridiculamente infantil, não a confronta e sim começa a rodeá-la com perguntas, tentando forçar a esposa a confessar algo. Claro que Emma, em vez de contar a verdade, emenda a mentira com outra mentira, tudo enquanto a trama vai alternando pontos de vistas dos personagens – então basicamente você sabe que Emma está mentindo porque ela deixa claro que está mentindo, mas você não sabe a verdade. E por assim continua por quase um terço do livro: Emma mentindo pra Leo, Leo desconfiando de Emma e eu, leitora, no escuro, sem saber o que estava acontecendo, mas fazendo minhas teorias.

Sem dar mais nada concreto do enredo, devo confessar que o livro me frustrou em diversas passagens a medida que avançada para o meio da trama porque eu não queria mais ficar no escuro enquanto um personagem questionava outro e a confirmação veio porque a segunda personagens não tinha entendido a pergunta (sim), então deixou um “sim” no ar. Esse recurso começou a se tornar cansativo e pareceu simplesmente enrolação para se chegar ao que realmente estava acontecendo, e se o centro do livro fosse o que realmente aconteceu com as personagens, acredito que a narrativa teria se dado de outra forma. Pelo menos pra mim, a forma como a autora levou o leitor a errar sobre o que estava acontecendo não funcionou.

Eu sei que esse é o caminho de diversos livros de suspense e não tenho problema com criar minhas teorias e errar (ou acertar), mas o problema de “ The Love of my Live” foi a demora em começar a entregar algumas respostas porque não é só um único mistério ou uma única mentira: é uma teia de mentiras e pessoas envolvidas que terminam deixando até mesmo o leitor tonto quando enfim tudo começa a ser colocado em pratos limpos, e mesmo quando você pensa que não há mais nada para ser descoberto… há.

Isso quer dizer que eu odiei o livro? Não mesmo. Eu sei que acabei de falar negativamente do terço inicial do livro, mas depois fui completamente rendida pela trama. Quando as respostas começam e você entende o que aconteceu não só Emma, mas também com outra personagem bastante importante no livro, eu me rendi. Eu queria saber mais, eu queria entender melhor, e quanto mais eu lia, mais meu coração ficava apertado por Emma, por entender o que ela passou, por saber que mulheres passavam por algo tão sério e traumatizante assim e nem mesmo recebem ajuda. Talvez o problema do livro foi não se concentrar nisso, como também mencionei levemente acima. Eu definitivamente queria ter lido mais sobre tudo isso do que sobre o tom de suspense que se tenta instalar no livro até suas páginas finais.

Mesmo com esses tropeços, tenho “ The Love of my Live” como um bom livro, com uma trama sólida, com personagens que sofreram, que carregam cicatrizes e não sabem conversar e simplesmente confiar, mas também entrega uma trama que faz o leitor pensar sobre os diversos tipos de depressão que existem e que nem todos ainda são conversados e divulgados como precisam. Eu estou feliz de ter livro esse livro e indico para todos que gostem de uma trama psicológica com um pouco de suspense.

Thanks for the free book, Penguin Random House International.

Para comprar “The Love of my Live ” basta clicar no nome da livraria:

Amazon, edição capa dura.
Amazon, eBook.


Arquivado nas categorias: Blog , Livros com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
27.06
Sinopse: This summer, Reese Camden is trading sweet tea and Southern hospitality for cold brew and ...
24.06
Hoje vamos falar sobre uma leitura muito especial que eu fiz recentemente. O livro é lançamen...
22.06
Sinopse: Romania, 1989. Communist regimes are crumbling across Europe. Seventeen-year-old Cristian ...
20.06
“ Bolo preto” Charmaine Wilkerson Tradução: Karine Ribeiro Paralela – 2022 – 304 págin...
17.06
“ Violet Made of Thorns” Gina Chen eARC recebido em formato eBook em parceria com a Penguin Ran...
15.06
Sinopse: Do mesmo autor de O homem de areia, Stalker e O caçador, agora o detetive Joona Linna enf...

Deixe seu comentário



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook