04.10


“A Slow Fire Burning”
Paula Hawkins
ARC recebido em formato físico em parceria com a Penguin Random House International
Data de lançamento internacional: 31 de agosto de 2021

Quando um jovem é encontrado assassinado de forma horrível em um barco em Londres, provoca perguntas sobre três mulheres que o conheceram. Laura é a garota problemática de uma noitada que foi vista pela última vez na casa da vítima. Carla é sua tia angustiada, já de luto pela recente morte de outro membro da família. E Miriam é a vizinha intrometida que claramente guarda segredos da polícia. Três mulheres com ligações distintas com a vítima. Três mulheres que estão – por diferentes razões – sufocadas de ressentimento. Que estão, quer saibam ou não, desesperadas para consertar os erros que foram cometidos contra elas. Quando se trata de vingança, até boas pessoas podem ser capazes de atos terríveis. Até onde qualquer uma delas pode ir para encontrar paz? Por quanto tempo os segredos podem arder antes de explodir em chamas?

Como vocês já sabem, essa resenha é em parceria com a Random House Internacional, de quem recebemos esse ARC (Advance reading copy: algo como “uma cópia de leitura avançada”, ou seja, o livro ainda pode sofrer alterações antes de ser publicado). Também lembrando que essa resenha terá um formato diferente: por ser um ARC, não haverão quotes, já como os livros podem sofrer mudanças em seu texto antes de serem comercializados. Gostaríamos de agradecer profundamente a Editora pela oportunidade de parceria.

Você conhece a autora Paula Hawkins: ela é a autora do famoso best-seller “A Garota no Trem”, que se tornou filme com a Emily Blunt no papel principal. Além de seu livro mais famoso, a autora também escreveu “Em águas sombrias”, os dois publicados aqui no Brasil pela Editora Record.

Abri esta resenha falando sobre os outros livros da autora porque já li os dois, e enquanto adorei “A Garota no Trem”, detestei “Em águas sombrias” – não pela trama, mas por desprezar uma determinada personagem. Pra mim pareceu obvio que eu iria querer ler “A Slow Fire Buurning” quando a oportunidade apareceu, e, sinceramente, eu estou feliz demais de ter feito isso porque se tornou, de longe, meu livro favorito da autora.

Para falar dessa trama, eu preciso me concentrar nas personagens: sim, há uma trama de assassinato no centro (ou até mais de um, quem sabe?). Sim, há um mistério por trás do catalisador dos eventos em efeito dominó com a tal morte. Mas, além disso, há o quesito “pessoas” na narrativa e eu afirmo que é, de longe, o grande trunfo do livro. Todas as personagens têm um motivo e carregam uma miséria em seu coração, todas personagens estão perdidas em sua própria dor e todas personagens são muito bem construídas, tão bem construídas que você não odeia nem despreza ninguém, ao contrário, você entende e sente empatia por cada uma delas, vivendo da melhor forma que podiam com seus traumas e cicatrizes.

A começar por Carla, a tia do falecido. Carla era uma mulher que tinha tudo no passado: um marido que estava se tornando um escritor renomado e um filho perfeito. Apesar do casamento começar a entrar em uma especie de crise por seu marido estar viajando tanto em tour e a deixar sozinha com o filhinho do casal. Em um final de semana com uma possível viagem à trabalho, Carla está decidida a ir sozinha, mas Theo, seu marido, insiste em ir junto e ela cede, deixando seu filho com sua irmã e o filho dela. O que ela não contava era um acidente trágico que aconteceu na sequência, tirando sua vida dos trilhos pelos próximos anos.

Miriam é uma pessoa sozinha. Uma senhora na casa dos 50 anos, meio esquisita e solitária, trabalha em uma livraria e mora em um pequeno barco, parecendo não ter ninguém em sua vida. Uma vizinha curiosa que desperta aqueles sentimentos de piedade e repulsa nas pessoas, por entenderem que ela se intromete demais na vida alheia já como não cuidou da própria vida e não desenvolveu relacionamentos duradouros para si mesma.

Já Laura é uma garota também solitária que está no começo da vida e já teve por um grande trauma: foi atropelada na porta de sua casa ainda criança, passando por um longo processo de recuperação, mas, ainda assim, ficou com sequelas e manca. A vida de Laura parece completamente fora de rumo, já como ela tem um emprego medíocre e seus pais, separados e com novas famílias, parecem nem a menos se importarem com a garota. Tudo nela parece fora do lugar, inclusive ela mesma, que nunca encontrou alguém ou algo para se apegar.

Além dessas 3 personagens centrais temos Irene, uma senhorinha viúva que era vizinha de Angela, a irmã recém falecida de Carla. Irene é uma mulher tranquila que é sugada para o meio de uma trama somente pelo desejo de ajudar – e confesso que me apeguei bastante a ela.

E temos Daniel, o morto. E olha, fica difícil falar do personagem de qualquer jeito sem entregar algum tipo de spoiler, mas eu poderia falar sobre ele por pelo menos uma página inteira, e eis aqui a grande surpresa: nós, leitores, não sabemos quase nada sobre Daniel. O vemos pelos olhos de sua tia Carla, temos informações picadas sobre a vida do personagem, fragmentos tirados daqui e dali durante a narrativa, e vemos um pouco da visão que sua mãe, Angela, irmã recém falecida de Carla, tinha dele – mas é isto. Não sabemos quem Daniel é. Podemos até mesmo criar teorias sobre ele, desenvolver opiniões, ficarmos curiosos, mas não podemos afirmar nada sobre o personagem porque ele está morto e tudo que sabemos é pelos olhos dos outros e isto obviamente não é confiavel. Podemos acreditar no que quisermos, isso fica a cargo da imaginação do leitor – e eu tenho minha opinião muito bem formada sobre ele, por isso tenho tanta curiosa sobre o mesmo e confirmar (ou não) minhas teorias.

De uma forma bem simples e orgânica, todas personagens irão se encontrar em algum ponto da história, que conta com trechos do livro mais famoso de Theo, o marido de Carla: “The one that got away” (“Aquela que fugiu”, em tradução livre). Fica obvio que há muito mais sobre a superfície daqueles personagens do que eles estão deixando o leitor saber, e a medida que a trama vai se desenrolando, a dor surge de diversos lugares: de pais relapsos, de mortes, de violência sexual (não gráfica, deixo claro) e tantos outros traumas que vão deixando cicatrizes nos personagens ao longo de suas vidas. Nada acontece de uma hora para outra e é por isso que este se livro se chama literalmente “A Slow Fire Burning”: tudo está sendo consumido lentamente, uma construção lenta e devastadora na vida das pessoas, que irá culminar naquele assassinato do começo da narrativa e no acerto de contas que acontece antes da conclusão da trama, que é bastante fechada.

A sensação de claustrofobia e nervoso vai crescendo em um compasso rápido na narrativa, a ponto de você precisar entender o que está acontecendo, como aquele livro dentro do livro pode se encaixar na narrativa, o que aconteceu no passado e como isto afeta as personagens no tempo atual, até mesmo a real personalidade de Daniel e seu tio postiço Theo, além das verdadeiras intenções de Carla, Miriam e Laura.

Para quem gosta de personagens e tramas que se desenrolam e mostram que cada pequeno ato e consequência pode impactar a vida de outra pessoa próxima, “A Slow Fire Buurning” é o livro que você quer e precisa ler. Quando terminei a última página, com todas consequências e desfechos dos personagens, não pude evitar de pensar que de alguma forma cada um tinha tido o que merecia, de um jeito ou de outro. Parecia que cada um estava por si mesmo neste livro, sentindo seus sentimentos e ressentimentos crescerem, queimando cada vez mais ate deixar somente cinzas daqueles personagens. Um primor de trama.

A Slow Fire Buurning” foi publicado agora no mês de setembro pela TAG Inéditos com o título oficial de “Em fogo lento”, então se você ainda se interessar por ter esse livro antes que saia pela editora para o público em geral, a sua chance está ai. A Record já liberou a pré-venda do livro em sua versão nacional, e você pode ler a sinopse e garantir seu exemplar clicando AQUI.

Thanks for the free book, Penguin Random House International.

Para comprar “A Slow Fire Burning” basta clicar no nome da livraria:

Amazon, a versão física capa dura.
Amazon, o eBook.

Arquivado nas categorias: Blog , Livros com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
29.06
“Garota, mulher, outras” Bernardine Evaristo Arte da capa: Estúdio Daó Tradução: Camila Hol...
27.06
Sinopse: This summer, Reese Camden is trading sweet tea and Southern hospitality for cold brew and ...
24.06
Hoje vamos falar sobre uma leitura muito especial que eu fiz recentemente. O livro é lançamen...
22.06
Sinopse: Romania, 1989. Communist regimes are crumbling across Europe. Seventeen-year-old Cristian ...
20.06
“ Bolo preto” Charmaine Wilkerson Tradução: Karine Ribeiro Paralela – 2022 – 304 págin...
17.06
“ Violet Made of Thorns” Gina Chen eARC recebido em formato eBook em parceria com a Penguin Ran...

Deixe seu comentário



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook