19.09

“O Mágico de Oz”
L. Frank Baum
Narração: Flávio Costa, Priscila Scholz, Clayton Heringer, Thiago Nalin, Giovana Bovi.
Duração: 04h44m42s
Tamanho: 66.6 MB
Produção: Tocalivros Studios
Editora: Tocalivros Clássicos
Material de Apoio: Não
Data de Lançamento: 20/08/2021
Disponível: Compra, Clube do Audiolivro e Assinatura Ilimitada

Dorothy é uma órfã que vive no interior do Kansas com seus tios. Inesperadamente, um ciclone a leva para uma misteriosa e fantástica terra, um lugar mágico e colorido, cercado por um deserto imenso e governado por um mago poderoso. Em seu caminho, Dorothy enfrenta muitos perigos como bruxas malvadas e monstros gigantes, mas conhece também três amigos incríveis que vão ajudá-la nessa jornada – um Espantalho que deseja um cérebro, um Leão que queria ser corajoso e um Homem de Lata que espera ganhar um coração. Os quatro se unem para encontrar o Mágico de Oz que, segundo dizem, pode realizar todos os seus desejos, e assim Dorothy poderá, finalmente, voltar à casa de seus tios.

Nossa parceria com a Tocalivros continua a todo vapor e aqui estamos novamente trazendo mais uma resenha de audiolivro para vocês, lembrando que na Tocalivros há o plano de assinatura por R$ 14,90 que você pode ouvir qualquer livro de todo acervo de audiolivros da plataforma, e você pode testar completamente grátis por 15 dias criando sua conta clicando AQUI. Para saber tudo sobre a , você pode vir em nosso post completo sobre a plataforma clicando AQUI.

Acho que todos nós já vimos alguma versão de “O Mágico de Oz” em algum ponto de nossas vidas, então é muito, muito bom ter a oportunidade de ter acesso a história do livro e não só da adaptação (a qual confesso que é MUITO boa mesmo, merecendo diversos elogios, até pela icônica música “Somewhere over the rainbow” – mas não é o ponto desta resenha), agora podendo ouvir e viajar na história de Dorothy com uma narração digna de aplausos da Tocalivros Clássico, selo da Tocalivros que focará em histórias clássicas. Depois de me apaixonar novamente por “O Jardim Secreto” mês passado, agora foi a vez da aventura da pequena Dorothy.

Comecei descobrindo que não é somente um livro que conta as suas aventuras e sim uma série de livros do autor, coisa que eu, em minha ignorância, não sabia – sério, eu não sabia, e somente na introdução do audiolivro que soube e fui pesquisar sobre, descobrindo que é uma coleção com 14 livros, este sendo o primeiro.

Logo na introdução do livro somos apresentados a Dorothy, aquela garotinha que conhecemos tão bem de tantas adaptações que já vimos. Dorothy é órfã e mora com seu tio Henry e sua tia Em no Kansas, na fazenda do tio, um lugar cinza que até mesmo sua tia perdeu o brilho que tinha no olhar. O tio parece ser uma presença bastante austera, mas, na presença da tia, que não teve filhos biológicos, a garotinha sente uma figura materna. A garota aproveitava os dias com seu cachorrinho Totó, com quem brincava e ria, e quando um ciclone se aproxima justamente da fazenda, os tios da garota conseguem chegar ao abrigo, e ela, ao salvar Totó, fica em casa, que é levada pelo grande vento. E é ai que a aventura começa.

Eu sou Oz, Grande e Terrível. Quem é você e por que me procura?
Não era a voz horrível que ela esperava vir da cabeça; assim, ela tomou coragem e respondeu.
Eu sou Dorothy, a pequena e mansa. Eu vim à você pedir ajuda.
Os olhos a miraram pensativamente por um minuto inteiro. E então a voz disse:
Onde você conseguiu os Sapatos de Prata?
Peguei-os da Bruxa Má do Leste, quando minha casa caiu em cima dela e a matou.
Onde conseguiu essa marca na testa?
Foi lá que a Bruxa Boa do Norte me beijou quando se despediu e me mandou para você.

A casa de Dorothy cai em Oz, um lugar que parece nunca ter sido civilizado porque vivem separados do resto do mundo. E mais: a casa da garota cai bem em cima da Bruxa Malvada do Leste. Para sua surpresa, Dorothy é tida como uma grande feiticeira que conseguiu o feito e com um beijo de Glinda, a Bruxa Boa do Norte, parte para a cidade de Esmeralda pela estrada de tijolos amarelos, onde o grande Mágico de Oz mora e somente ele seria poderoso o suficiente para ser capaz de lhe devolver ao Kanzas. No original, há 4 bruxas e não somente 2 como está gravado no imaginário popular por causa do filme antigo – assim como a cor do sapatos da Bruxa Malvada, que aqui são de prata e não de rubi.

Claro que nessa travessia ela conhece o Espantalho, o Lenhador de Lata e o Leão Covarde, cada um se juntando naquela aventura por um motivo: o Espantalho deseja um cérebro para ser inteligente como os homens; o Lenhador deseja um coração batendo em seu peito de lata e o Leão Covarde deseja ser corajoso, já como nasceu para ser o rei de todos animais e se acha medroso demais. A aventura da garotinha vai crescendo a medida que ela chega na cidade de Esmeralda, criada pelo grande Mago, e aonde todos usam óculos por algum motivo desconhecido (e até ela e seus amigos sã obrigados a usarem), recebendo dele uma tarefa para que possa voltar para sua casa: deve matar a última bruxa má restante, a do Oeste.

Apesar de ter a sensação de já conhecer a história, fui realmente pega de surpresa com as mudanças na narrativa, que tiraram grande parte da aventura de Dorothy e seus amigos. Aqui, no audiolivro, somos jogados em grandes momentos na qual a garota aprende, assim como seus amigos, que a lealdade é a maior das qualidades em uma aventura desse tamanho, além de entender que um coração bate mesmo quando acreditamos que não o temos, que somos capazes de seremos inteligentes quando não acreditamos em nós mesmo e que a coragem está nos pequenos atos. É um livro para crianças, mas nos moldes de outros grandes clássicos nessa pegada, com lições de vida que carregamos em nossos corações para sempre.

E, para terminar, preciso falar que o audiolivro foi, de longe, a minha melhor experiência com audiolivros até hoje. A alternância de vozes, os efeitos, a postura das vozes dos narradores, a narrativa: tudo somado tornou a experiência de ouvir “O Mágico de Oz” algo quase que mágico (desculpa, não consegui resistir). Se você ainda está esperando pelo “momento certo” para conhecer audiolivros, a sua hora chegou, e eu prometo, prometo mesmo, que você irá se tornar tão fã quanto eu. Só tenho elogios para este audiolivro e você deveria dar uma chance.

Para ouvir “O Mágico de Oz” basta vir na Tocalivros.

Arquivado nas categorias: Audiolivro , Blog com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
22.10
“The Book of Form and Emptiness” Ruth Ozeki ARC recebido em formato físico em parceria com a P...
20.10
Hoje, dia 20/10, a Netflix divulgou o primeiro clipe de “Rebelde” junto com a data de estreia da...
20.10
“Billy Summers” Stephen King Tradução: Regiane Winarski Suma – 2021 – 472 páginas Billy...
18.10
“As nove vidas de Rose Napolitano” Donna Freitas Tradutora: Lígia Azevedo Paralela – 2021 ...
15.10
Pensei Que Fosse Verdade Huntley FitzpatrickEditora Valentina - 336 páginas “O...
13.10
Sinopse: For anyone who has loved and lost, and lived to tell the tale, this gorgeously written deb...

Deixe seu comentário

1 comentário em “Resenha audiolivro: O Mágico de Oz – L. Frank Baum”



  1. Postagem per-fei-ta!
    Um clássico Maravilhoso que a TocaLivros nos trouxe nesse formato inovador!
    Parabéns pela divulgação!





Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook