02.07

Sinopse: Neste novo thriller científico de Andy Weir, autor best-seller de Perdido em Marte, um astronauta precisa encontrar sozinho um jeito de salvar a Terra da destruição.

Ryland Grace é o único sobrevivente de uma desesperada missão de emergência – se ele falhar, toda a humanidade e o planeta Terra serão destruídos. Mas no momento ele não sabe disso. Ryland não se lembra nem do próprio nome, muito menos de sua missão ou de como cumpri-la. Tudo o que ele sabe é que dormiu por muito, muito tempo. E que despertou a milhões de quilômetros de casa, com apenas dois cadáveres como companhia.

Com os colegas de tripulação mortos e as memórias confusas retornando aos poucos, Ryland vai perceber a tarefa impossível que tem nas mãos. Viajando pelo espaço em sua pequena nave, cabe a ele descobrir a resposta para um enorme mistério científico – e derrotar a ameaça de extinção da nossa espécie.

O tempo está acabando, e o humano mais próximo está a anos-luz de distância, então Ryland terá que fazer tudo isso sozinho. Ou será que não?

Devoradores de Estrelas” é o mais novo livro sci-fi de Andy Weir, o mesmo autor de “Perdido em Marte” que virou um filme alguns anos atrás e, assim como o título sugere, ele se passa no espaço. A história nos apresenta a Dr. Ryland Grace, que acorda em uma nave espacial em um outro sistema solar que não o nosso, sem nem lembrar seu próprio nome ou o que exatamente ele tem que fazer ali.

Como companhia, primeiramente, ele tem apenas os braços robóticos que tomam conta dele e tem os corpos de outros dois tripulantes que, diferente dele, não tiveram a chance de acordar, o fazendo ser o único sobrevivente naquela missão que ele ainda não sabe qual é. Aos poucos, porém, ele se lembra de tudo: seu nome, o que ele faz (ele é um professor de ciências do ensino médio) e o que o levou até ali.


“— As coisas não acontecem rápido assim em uma estrela. As mudanças levam milhões de anos, e não uma dezena. Fala sério, você sabe disso.
Não, eu não sei. Eu achava que sabia. Agora, tudo que sei é que o Sol está morrendo — declarou ela. — Eu não sei por que e não sei o que poderíamos fazer a respeito disso. O que eu sei é que o Sol está morrendo.

Alguns anos trás o sistema solar foi contaminado por uma vida extraterrestre que se alimenta do calor solar e que ninguém sabe como derrotar, o que pode causar a extinção da vida terrestre porque sem o calor do sol, muitas coisas não seriam possíveis mais e não teríamos mais um aquecimento global, mas sim um congelamento.

Quando os cientistas descobriram que esse mesmo corpo extraterrestre atacou outro sistema solar – mas que o sol sobreviveu, eles fazem uma missão para enviar astronautas para lá, querendo descobrir o que exatamente aconteceu ali, mas principalmente como acabar com aquilo que pode destruir a humanidade de uma vez por todas.


“— Muito bem. A maioria das pessoas não saberia responder.
Sou professor de ciências em uma escola — falei. — Esses assuntos costumam vir à tona.
Xi e o russo trocaram olhares surpresos e, depois, olharam para Stratt.
Stratt lançou um olhar de superioridade.
Ele é muito mais que isso.

Não demora muito para Ryland lembrar de qual a missão, o fato de que ela é uma missão suicida (eles foram apenas com combustível o bastante para fazer a missão, sem ter como retornar) e o motivo pelo qual os outros companheiros dele na missão não sobreviveram, porque se tratava de algo que era arriscado: eles foram enviados em coma para esse sistema e eles corriam o risco de morrer mesmo ou de acordar com problemas na memória, que é justamente o que acontece com o próprio Ryland.

O que mais intriga Ryland é que ele não faz a menor ideia do porque logo ele, sendo apenas um professor de ensino médio, está ali e não alguém que poderia fazer mais do que ele. Não demora muito para ele se dar conta de que ele não estava tão sozinho assim como ele imaginava e a história tomar rumos que nem ele que é tão inteligente, não seria capaz de imaginar.


“Estou em uma missão suicida. Apenas John, Paul, George e Ringo voltarão para casa, mas a minha estrada longa e sinuosa acaba aqui. Eu devia saber disso quando me ofereci como voluntário. Mas, para meu cérebro confuso pela amnésia, isso é novidade. Vou morrer aqui. E vou morrer sozinho.”

Eu não vou me aprofundar muito mais do que isso no plot porque realmente é algo que vale a pena ler sem ter a menor ideia do que vem por aí, mas eu preciso fazer algumas considerações sobre os personagens desse livro que me encantaram do início ao fim.

O livro se passa em dois tempos: nos anos e meses que levaram até a viagem espacial acontecer e no presente, conforme as lembranças vão retornando para Ryland, nós também vamos tendo pedaços do que aconteceu até o momento que ele acorda na nave.


“E, bem quando estou pensando nisso, acontece uma coisa interessante.
Toc-toc-toc.
Não. Isso não é nem um pouco assustador. Estar em uma espaçonave a doze anos-luz da Terra e ouvir uma batida na porta é totalmente normal.”

O Dr. Ryland Grace parece, no início, aquele tipo de personagem que você não daria muito por ele, considerando que ele não lembra de absolutamente nada, mas conforme cada tempo na história vai passando e nós vamos não só vendo o que aconteceu no passado, mas também o que ele está fazendo no presente, tudo que ele está criando para poder salvar a humanidade, mesmo que ele nunca mais volte para a terra, é surpreendente e me fez amar ele bastante.

Ele é um pouco resmungão e reclama bastante, mas isso só me fez gostar ainda mais dele, sinceramente. Isso sem contar o humor inteligente que ele tem para fazer piadas. O mais engraçado pra mim foi como ele se acha um covarde, mas o tempo todo pra mim ele pareceu absurdamente corajoso, mesmo quando sabemos quando se deu a ida dele para a missão.


“— Estou curioso — digo para Stratt. — Quando lançarmos a Hail Mary, o que você vai fazer?
Eu? — perguntou ela. — Não importa. Assim que a Hail Mary for lançada, minha autoridade termina. Provavelmente vou ser processada por um monte de governos raivosos sob a acusação de abuso de poder. Talvez eu passe o resto da vida na cadeia.
E eu estarei na cela bem ao seu lado — comentou Leclerc.
E você não está nem um pouco preocupada com isso?
Ela deu de ombros.
Todos nós temos de fazer sacrifícios. Se eu tiver que ser o bode expiatório para garantir a nossa salvação, bom, esse é um sacrifício que estou disposta a fazer.

E minha outra personagem favorita é uma que nós só vemos no passado, nas lembranças de Ryland: a Stratt. Ela é quem está responsável por comandar toda a operação, então tudo, absolutamente tudo que é necessário para a missão, vem por ordens dela e ela é MAGNÍFICA demais. No início eu até pensei que não gostaria dela mesmo, mas cada cena dela depois de um ponto só me faz gostar mais e mais.


“Será que vou ser capaz de fazer isso? Será que vou me tornar um inútil a partir de agora? Será que toda a raça humana vai morrer porque eu não consegui lidar com gravidade zero?
Não.
Cerro os dentes. Cerro os punhos. Contraio as nádegas. Na verdade, eu contraio tudo que dá para contrair e cerro tudo que dá para cerrar. Isso me dá uma sensação de controle. Estou fazendo alguma coisa ao ativamente não fazer nada.
Depois de uma eternidade, o pânico começa a ceder. O cérebro humano é capaz de coisas incríveis. Somos capazes de nos habituar a praticamente qualquer coisa. Estou me adaptando.”

E o livro todo em si é maravilhoso. O plot é muito bom e muito bem encaixado, não deixando espaços para furos, muito pelo contrário. De fato até me incomodou em um certo ponto o quanto é absolutamente detalhista as mínimas cenas, mesmo quando é apenas Ryland fazendo coisas cientificas, porque bem, são coisas que eu não tenho um grande conhecimento, então se fosse resumido, não seria um problema pra mim, mas eu imagino que grande parte do público que adora ciências e ficção científica, vai amar.

Chega um ponto no plot da missão que é realmente muito bom e foi ali que esse livro me ganhou totalmente, mas não posso falar muito sobre porque é um spoiler gigantesco do livro, mas eu espero realmente que, quem der uma chance, se apaixone pelo que acontece assim como eu amei. E que fez todo o sentido ter dado o final que deu ao livro, que bem, é um final feliz, dependendo do seu ponto de vista.


“— Guerra, fome, peste e morte. O astrofágico é literalmente o apocalipse. A Hail Mary é tudo que temos agora. Eu farei qualquer sacrifício para aumentar as chances, um mínimo que seja, de a missão dar certo.
Eu me deitei na cama e virei de costas para ela.
Se isso deixa a sua consciência limpa…

Se você é fã de sci-fi, de viagens interestelares, não perca esse livro. De verdade. Eu sei que você não vai se arrepender se der uma chance a ele.

Só um pequeno adendo: “Devoradores de Estrelas” já teve seus direitos vendidos também para ser adaptado e a última notícia sobre a adaptação é que Ryan Goslin estava no papel principal.

Para comprar “Devoradores de Estrelas” basta clicar no nome da livraria:

Magazine Luiza.

Arquivado nas categorias: Blog , Livros com as tags:
Postado por:
Você pode gostar de ler também
23.09
Hoje, dia 23 de setembro, a Netflix divulgou a lineup do evento Tudum Netflix: um evento mundial em ...
21.09
“Para sempre interrompido” Taylor Jenkins Reid Paralela – 2021 – 304 páginas Tradução: A...
19.09
“O Mágico de Oz” L. Frank Baum Narração: Flávio Costa, Priscila Scholz, Clayton Heringer, Th...
17.09
The Ice Coven (Jessica Niemi #2) - Max SeeckARC recebido em formato de eARC em parceria com a P...
14.09
Espero que esta coluna entre todos seguros, com saúde e bem, assim como as pessoas que vocês ama...
10.09
Sinopse: Em seu novo livro, Sarah Andersen traz uma história de amor inusitada entre uma vampira e...

Deixe seu comentário



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook