28.06

DAISY JONES & THE SIX – Uma história de amor e música
Taylor Jenkins Reid

Páginas: 360
Tradução: Alexandre Boide
Editora Paralela

SKOOB

Embalado pelo melhor do rock’n’roll, um romance inesquecível sobre uma banda dos anos 1970, sua apaixonante vocalista e o amor à música. Da autora de “Em outra vida, talvez?”

Todo mundo conhece Daisy Jones & The Six. Nos anos setenta, dominavam as paradas de sucesso, faziam shows para plateias lotadas e conquistavam milhões de fãs. Eram a voz de uma geração, e Daisy, a inspiração de toda garota descolada. Mas no dia 12 de julho de 1979, no último show da turnê Aurora, eles se separaram. E ninguém nunca soube por quê. Até agora.

Esta é história de uma menina de Los Angeles que sonhava em ser uma estrela do rock e de uma banda que também almejava seu lugar ao sol. E de tudo o que aconteceu ― o sexo, as drogas, os conflitos e os dramas ― quando um produtor apostou (certo!) que juntos poderiam se tornar lendas da música.

Neste romance inesquecível narrado a partir de entrevistas, Taylor Jenkins Reid reconstitui a trajetória de uma banda fictícia com a intensidade presente nos melhores backstages do rock’n’roll.
Daisy Jones & The Six – Uma história de amor e música, escrito por Taylor Jenkins Reid, é o lançamento de junho da Paralela (selo da Companhia das Letras). Reid também tem outros livros lançados no Brasil, como “Em Outra Vida, Talvez?”, que já foi resenhado aqui no site (clique aqui para ler).

O livro é uma espécie de biografia feita com entrevistas com a banda fictícia que fez muito sucesso nos anos 70 chamada “Daisy Jones & The Six”. Por se tratar de ficção, a narrativa se torna bem diferente, o livro é todo escrito em formato de “entrevista”, como se os integrantes da banda e pessoas envolvidas com eles contassem, em seus pontos de vista, a trajetória e conflitos deles através dos anos.
”Nós adoramos gente linda e destruída por dentro. E não dá para ser mais claramente destruída por dentro e ter uma beleza mais clássica que a de Daisy Jones.”
Apesar de interessante e dar uma pitada realista na trama (afinal, acredito que o objetivo era que sentíssemos que estávamos lendo relatos da história de uma banda real), eu senti que esse tipo de narrativa pecou um pouco em alguns pontos. Como, por exemplo, na quantidade de detalhes que os personagens dão para as situações que foram vividas cerca de 40 anos atrás. Sentimentos, diálogos e situações são retratados com bastante riqueza de detalhes e, em poucos momentos, era demonstrado que a narrativa poderia ser pouco confiável. São poucas as vezes que acontece de um personagem contar versões diferentes de um mesmo fato. Senti que esse tipo de narrativa poderia ter sido melhor aproveitada e até soado mais realista do que foi.
”A paixão é… é fogo. E, pô, fogo é uma coisa incrível. Mas a gente é feito de água. É a água que mantém a gente vivo. É da água que a gente precisa para sobreviver.”
Sobre os personagens, todos me conquistaram pelo seus jeitos bem imperfeitos de serem. Nessa história não existe heróis, vilões, mocinhos. É uma banda de rock, amigos, família e produtores vivendo nos anos 70 em volta de romances, drogas, sexo, rock’n’roll. Conflitos amorosos, dependências químicas, relações conturbadas, gravações de CD’s, tournês. Todas as etapas são descritas. A ascensão, o declínio. É muito divertido acompanhar a banda e sentir como se eles estivessem contanto para o leitor tudo isso.
”…o mais assustador era que a única coisa que separava um momento de tranquilidade da maior tragédia da minha vida era uma simples escolha de não fazer aquilo.”
Apesar de Daisy ser a estrela do livro, confesso que não foi ela a minha personagem favorita. A personagem feminina que mais me conquistou foi a tecladista da The Six, a Karen. Achei que a trajetória dela na banda foi a que mais me transpareceu o como é ser uma mulher forte e com objetivos de vida diferentes, vivendo em meio ao Rock nos anos 70.
”Os homens parecem achar que merecem um prêmio quando tratam as mulheres como seres humanos.”
E a música? A música embala tanto essa história que fiquei morta de vontade de escutar os discos, Honeycomb, Aurora, Turn it off e todas as outras. O legal foi saber que, no final do livro, a autora deixou a letra de todas as músicas do disco!
”É por isso que eu sempre amei fazer música. Não pelo som, pela fama e pela diversão, e sim pelas palavras que a gente pode deixar fluir enquanto canta — as emoções, as histórias, as verdades.”
Eu não sei muito bem como dar um veredito sobre Daisy Jones & The Six. Eu adorei a história do livro, me envolvi com os personagens, fiquei curiosa para saber como a banda ia começar e como ia acabar, amei as composições. Mas, apesar disso, não foi um livro que me emocionou ou que me fez ficar pensando nele quando estava longe. Porém, admito que é um livro com potencial para conquistar os leitores sim.
”É engraçado. No começo, acho que a pessoa começa a se drogar para silenciar os sentimentos, para fugir deles. Mas depois de um tempo percebe que as drogas estão tornando sua vida insuportável, que na verdade estão amplificando seus sentimentos.”
Confesso que me animava muito quando eu lembrava que o livro será adaptado em formato de série. Eu ficava imaginando como que seria ver esta historia no audiovisual e escutar as músicas da banda. Para quem não sabe, Daisy Jones & The Six será adaptado pela Amazon, em uma série de 13 episódios. Reese Witherspoon está envolvida na adaptação como produtora executiva, junto com a autora do livro. Scott Neustadter e Michael H. Weber, nominados ao Oscar por Artista do Desastre e que colaboraram em 500 dias com ela e A culpa é das Estrelas, serão os roteiristas (e também produtores executivos). E a Amazon também confirmou que teremos as músicas na série!!!

Eu estou MUITO animada para ver essa história em formato de série, talvez no meu coração eu sinta que, o potencial pode ser melhor explorado no formato audiovisual.

Recomendo esse livro a todos que curtem saber histórias de bastidores de bandas de rock e curtem toda a vibe musical que o gênero pode proporcionar.

Para comprar “Daisy Jones & the Six”, basta clicar no nome da livraria:
Amazon, por R$ 28,10 com o cupom JUNHO15.
Saraiva, por R$ 25,52 com o cupom LIVRARIA20.
Submarino, por R$ 31,92.
Cultura, por R$ 31,88.
Martins Fontes, por R$ 39,90.

 

Arquivado nas categorias: Blog , Livros com as tags: , .
Postado por:
Você pode gostar de ler também
22.10
“Everless” (Everless #1) Sara Holland Morro Branco – 2019 – 368 páginas No reino de Sempe...
18.10
Queria Que Você Me VisseEditora: Cia das Letras - Selo SeguinteAutora: Emery LordPáginas: 34...
15.10
Essa resenha pode conter spoilers do primeiro livro.Leia a resenha do primeiro livro de A Rebelde d...
11.10
Sinopse: Ser uma garota gamer não é fácil. Principalmente quando um romance está em jogo. Ra...
08.10
Chegamos com mais uma coluna de lançamentos nacionais fresquinhos pra vocês e já adiantamos: te...
06.10
Vem conferir o que sai lá na gringa esse mês! LANÇAMENTOS DE OUTUBRO Rebel (Legend #4) de Ma...

Deixe seu comentário



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook