10.09

Respondendo diversas perguntas em seu tumblr, Cassie respondeu longamente sobre o vazamento de “The Lost Book of the White”, o 2º livro da trilogia “As Maldições Ancestrais”, publicado dia 1º de setembro passado, que ficou de ser publicado em 2021 aqui no Brasil. O texto é longo e sem qualquer spoilers, então o deixamos logo após a introdução, falando sobre o hate que recebe de muitas pessoas também.

Cassie ainda falou sobre “The Lost Book of the White” e deu dicas sobre “Chain of Iron”, o 2º livro da trilogia “As Últimas Horas”, dando um trecho do livro. Tudo que for spoiler está devidamente assinalado, então continue lendo sem medo de nada!

brother-sixpackariah-carstairs: Eu lamento saber que seu trabalho duro vazou, mas estava curioso para saber o que aconteceu. Eu espero que a pessoa tenha enfrentado consequências porque foi uma coisa muito egoísta de se fazer, vazar seu trabalho assim 🙁

Eu não tomei medidas contra a pessoa que vazou o livro. Eu sei quem eles são, já que eles carregaram a página que eu autografei para eles, e eu pude comparar com meus registro.

Eu não me abstive de agir porque sinto simpatia por eles. Eu não tenho. Está além de um comportamento de merda receber um livro autografado antecipadamente como um presente e, em seguida, vazar o livro inteiro online. É uma merda de se fazer com os autores e também uma merda com os outros fãs. No entanto, eu não quero me colocar (e Wes) no processo exaustivo, sombrio e caro de repercussões legais. Isso não significa que o que essa pessoa fez não seja horrível, e não significa que ela não custou a todo o fandom qualquer chance de haver um concurso cultural antecipado como aquele novamente. Eles custaram. Nunca haverá outro. Não haverá ARCs de “Chain of Iron” também, e você pode agradecer a eles por isso também.

Parte do que torna a pirataria uma questão tão importante para os autores vai muito além dos idiotas individuais que fazem upload, distribuem e traduzem livros roubados. É que todo o sistema está configurado para tornar incrivelmente difícil para nós fazermos algo a respeito. As editoras fazem pouco ou nada para evitar a pirataria e os autores assumem todo o fardo de pesquisar e denunciar cópias ilegais de seus livros. E, mesmo assim, dependemos se o site denunciado parece estar ou não em conformidade com as leis de direitos autorais. O Twitter é incrivelmente lento para responder, o Tumblr tá meio a meio de se importar. Eles são legalmente obrigados a agir, mas eles também sabem que o esforço de fazer algo a respeito recaem sobre artistas exaustos e sobrecarregados, que muitas vezes não podem pagar para acompanhar com um advogado.

E tipo, eu ficava sem dinheiro e com vontade de ler livros; havia muitos livros que deixei de ler quando estava quebrada (serei eternamente grata ao sistema de bibliotecas de New York e Brooklyn, que é como li livros de 2001 a 2004). Eu estava quebrada o suficiente para que eu dormisse em um colchão sem lençóis porque não tinha dinheiro para lençóis, mas tenho certeza que se eu invadisse uma loja de departamento e roubasse um monte de roupas de cama de percal, não teria encontrado muita simpatia se fosse pega.

Já falei sobre isso no Twitter antes, e vou dizer novamente aqui, embora saiba que fará muito pouca diferença: piratear livros não prejudica apenas o autor desses livros. Isso prejudica a todos na editora, onde a margem de lucro é mínima (e sim, as editoras deveriam fazer mais para se proteger contra a pirataria; eu concordo nisso); atinge as livrarias, especialmente as livrarias independentes (me lembro de fazer um evento em uma loja que me disseram, infelizmente, que provavelmente teriam que fechar porque as pessoas “entravam na loja, olhavam os livros, anotavam e então voltavam para casa e os pirateavam”.) Isso prejudica as bibliotecas, que dependem da circulação para obter recursos, e o fechamento de bibliotecas prejudica as pessoas que realmente não podem comprar os livros.

Agora, eu sei que não há maneira de convencer as pessoas a pararem de piratear; a internet o normalizou e, além disso, as pessoas geralmente farão a coisa mais barata e mais fácil – você não pode convencer as pessoas a não fazerem algo que desejam dizendo que é errado, na minha vivência. Eles encontrarão maneiras de justificar, seja porque não podem pagar pelo livro ou ainda porque não está disponível em seu idioma ou porque acham o autor “problemático” e esta é a forma que escolheram para punir eles.

O motivo pelo qual eu coloquei “problemático” entre aspas é porque sim, é claro que você pode ler e aproveitar um trabalho que tem elementos problemáticos. Basicamente tudo tem algum elemento que será problematizado por alguém — que é exatamente o porque decidir que é moralmente desculpável roubar de alguém que você acha que está criando trabalhos falhos é mais do que problemático.

Eu escuto muitos podcasts políticos e alguns deles resenham trabalhos de políticos de extrema-direita, etc, que escreveram livros que os podcasters acham que é moralmente desprezível, mas desejam ou precisam resenhar e discutir. Já como eles não querem dar dinheiro aos autores, eles compram cópias de segunda mão ou pegam os livros na biblioteca. Eles certamente não roubam, traduzem e distribuem copias dos livros porque eles genuinamente não gostam deles e não querem mais pessoas lendo eles. É assim que é quando você tem um problema moral com um livro ou um autor.

Contudo, criar múltiplas contas de fã para uma série de livros, colocar na sua identidade na internet nomes dos personagens dessas sagas e falar sem parar sobre suas “partes favoritas” e como esse é “seu livro favorito” desvalida totalmente qualquer argumento que você faça dizendo que está fazendo isso porque você acha que os livros são ruins, malvados, etc. Se você acha que um livro é ativamente homofóbico ou racista, mas está tão desesperado para ler que você rouba ele, tão animado sobre isso que você divide o trabalho roubado com outras pessoas e tão dedicado ao fandom que você se nomeia com o nome dos personagens dos livros e escreve poesia sobre eles, então eu tenho que te falar: a ultima coisa que parece é que você realmente acha esses livros problemáticos. Parece que você gosta deles, mas não quer pagar por eles, porque de fato, é esse o caso (ou isso ou parece que você gosta muito de livros que são racistas e homofóbicos, mas isso é problema seu).

Um dos problemas que eu tenho com pirataria é que te ensina a odiar os criadores. Você tem que odiar eles, porque você está fazendo algo horrível com eles e tem que justificar isso. Aqueles que roubam livros se enfiam em um espaço na cabeça deles onde eles ficam obcecados com o conteúdo dos livros e totalmente indispostos a aceitar a realidade de que esses livros foram criados por uma pessoa real que eles estão prejudicando. Encoraja aquela mentalidade de que eu não criei Jem, Magnus, Will ou Cordelia: eles vieram magicamente de algum planeta no espaço e eu só tive sorte o bastante para escrever as aventuras deles. Invalida o trabalho duro que criadores colocam nas coisas que eles fazem, e de fato, apaga a existência deles. A atitude da internet quanto a criadores já é bem tóxica (especialmente se são mulheres, LGBT+ e pessoas de cor) e o sentimento de direito a conteúdos gratuitos e ódio vicioso para com aquelas pessoas que não estão providenciando isso (mesmo que muitos criadores, eu incluída, liberem várias coisas gratuitamente) contribui para isso. De verdade, se você está roubando o trabalho de alguém, o mínimo que você pode fazer é não ser um idiota sobre eles.

Eu sei que eu estou soando com raiva, mas é porque eu estou com raiva. O negocio todo é uma droga. Eu passei o dia todo hoje lidando com alguém que ilegalmente estava compartilhando “Lost Book” no twitter (incluindo as “partes favoritas!” — mas sabe, tudo bem, porque Cristina e Diego não são suficientemente patrióticos), e eu estou cansada disso tudo. Eu entendo que tenha uma pressão para se manter atualizado nos livros que estão saindo para participar dos fandons, eu entendo mesmo isso. Infelizmente a pirataria tem consequências reais que são mais do que me machucar ou machucar Wes. Porque livros LGBT+ são pirateados em uma grande quantidade, e nós vimos isso com “As Maldições Ancestrais”. Eu fico me perguntando se terá alguma tradução pra Espanha de TEC, ou se a editora vai decidir não se incomodar, porque já passou pela Espanha toda com pirataria. Eu tenho que me perguntar se terá um terceiro livro de TEC, ou se as editoras vão sentir que não vale a pena fazer. E eu tenho que me perguntar porque as pessoas que criam essa situação muitas vezes tem usernames que incluem Jem, Magnus, Alec, Cordelia, Julian ou Tessa. Que incrível incompreensão desses personagens, imaginar um mundo em que Will Herondale ou James Carstairs iam aprovar o roubo de livros e prejudicar escritores. E por que se autonomear com o nome de um personagem que não ia te apoiar? Eu não sei. Eu não entendo, não muito mais do que entendo odiar uma pessoa que forneceu para você algo que você diz que é seu livro favorito.

Essa foi uma resposta muito maior do que você provavelmente estava esperando ou desejando e eu sei que vão me xingar muito por ter escrito isso. Escritores sempre são quando nós falamos sobre o problema da pirataria. Eu sei que a maior parte de vocês lendo isso adquire seus livros honestamente, a maior parte de vocês não é nada assim. Mas, como a maior parte das coisas na internet, um pequeno grupo de pessoas tem o poder de fazer as coisas estragarem para todo mundo.

PERGUNTAS COM SPOILERS

vxidemort: Hey, Cassie! Nós vamos descobrir a existência das outras maldições ancestrais no 3º livro?? E um certo príncipe do inferno de “The Lost Book of the White” terá um “herdeiro” nessa época?

Uma maldição ancestral é o filho mais velho de um Príncipe do Inferno. Nem sempre há nove deles por ai em um determinado momento – às vezes não há nenhum, às vezes há um monte, nós sabemos que desde 1878 há pelo menos dois por aí. Embora as maldições ancestrais sejam importantes para a série “As Maldições Ancestrais”, não posso dizer quantas haverá no Livro 3 ou quantas já existem!

wlwfairstairs: Você já está trabalhando em “Chain of Thorns”? Você já tem os esboços do resultado que deseja para “As Últimas Horas”? Eu já estou tão animada por “Chain of Iron” e Fairstairs!!

Meu Deus, Fairstairs. Eu sinto uma briga se formando *se esconde no bunker*. Eu sei como termina “As Últimas Horas”, e tenho um esboço de “Chain of Thorns”, embora atualmente eu esteja trabalhando em “Sword Catcher”. Eu costumo sempre esboçar as trilogias antes de começarem – gosto de saber para onde estou indo!

deliciousdetectivestranger: Você pode dizer exatamente quem sabe que Kit e Ty fizeram necromancia? Porque é um verdadeiro mistério.

Kit, Ty, Magnus, Ragnor, Dru e Fantasma!Livvy. No entanto, não sabemos se esse ainda será o mesmo grupo de pessoas que sabe em “The Wicked Powers”. Alguém mais pode saber ou descobrir, embora todos pareçam querer manter isso bem discreto.

alecslittlesnores: Aloha, Cassie! Acabei de terminar TLBOTW de uma vez e foi 🥺🤣❤️🔥😍🥰🥳🤩😳😰 !! Eu simplesmente amei quote do “Assim sempre aos ladrões de livros”. Adoraria saber a inspiração por trás. Realmente me pegou.😭🌟

Lost Book

Huang olhou para Magnus e Alec. “Assim sempre aos ladrões de livros. A arte torna a vida digna de ser vivida, portanto o roubo é o vizinho mais próximo do assassinato. Eles serão amaldiçoados para sempre e nunca escaparão dos olhos do Huangdi.”

Anotado“, Alec disse nervosamente. “Nós não roubamos livros.

Eu acho que está bem claro do que se trata (e sempre engraçado, de uma forma sombria, ver pessoas piratearem o livro e citarem esta parte sem, aparentemente, reconhecer que é sobre eles).

Os Caçadores de Sombras não são contra as leis. Só contra as ruins.

dookiegirl21: Cordelia sente que precisa ajudar Matthew com seu alcoolismo e segredo porque ela não pôde ajudar seu pai? Como se ela visse algo de seu pai em Matthew.

Na verdade Cordelia pensa, pelo menos no começo de “Chain of Iron”, que Matthew é muito diferente de seu pai. James é a primeira pessoa a dizer que eles podem ser semelhantes, e Cordelia inicialmente rejeita a ideia. É muito doloroso.

mirageofagirl: Oi, Cassie!! Eu simplesmente amei “Corrente de Ouro” e posso dizer que o livro me destruiu! Esperando desesperadamente por “Chain oif Iron”!! Você poderia nos dizer se teremos uma cena de James em que ele tenha ciúmes da proximidade de Matthew e Cordelia ou você poderia nos dar um trecho de Jordelia, por favor. Eu sou um lixo total para eles! ♥ ️

Eu não posso responder à parte do ciúme ou não – muito spoiler! – mas fique com um pouco de Jordelia. Já passou muito tempo. 😉

+++

James fechou seus olhos. No fundo das pálpebras, ele podia ver a cidade tomar forma – os minaretes lançados sombriamente contra um céu azul, o rio prateado. A voz de Cordelia, baixa e familiar, se elevou acima do clamor de seu pesadelo. Ele a seguiu para fora da escuridão, como Teseu seguindo o comprimento do fio para fora do labirinto do Minotauro.

E não foi a primeira vez. A voz dela o tirou da febre, uma vez, tinha sido sua luz nas sombras…

Uma dor aguda atingiu as têmporas dele. Ele piscou e abriu os olhos: ele estava firmemente de volta ao presente, todos os seus amigos olhando para ele preocupados. Cordelia já havia se afastado dele, deixando para trás o cheiro persistente de jasmim. Ele ainda podia sentir onde os dedos dela descansaram em seu ombro.

O lançamento de “Corrente de Ouro”, o 1º livro da trilogia “As Últimas Horas” é esperado para o mês que vem e a pré-venda pode começar a qualquer dia (leia mais clicando AQUI). Você pode comprar “Chain of Gold” EM INGLÊS na Amazon clicando AQUI, ou compre a versão digital do livro, também em inglês, clicando AQUI.

Algumas informações adicionais: O segundo livro da trilogia se chamará “Chain of Iron” e o 3º e último livro se chamará “Chain of Thorns”. Já “Fairy Tale of London” é o conto que veio na 1º edição de “Chain of Gold” contando o casamento de William Herondale e Tessa Gray.

Chain of Iron” já está em pré-venda na Amazon Brasil em inglês e capa dura e para garantir seu exemplar da versão física, basta clicar AQUI. Para comprar o eBook, clique AQUI.

O 1º livro da série “As Maldições Ancestrais” foi lançado no Brasil e se chama “Os Pergaminhos Vermelhos da Magia“: para comprar na Amazon com capa metálica e o conto extra com Magnus conhecendo Catarina Loss que virão somente na 1º edição, basta clicar AQUI. Já para comprar “The Lost Book of the White”, o 2º livro da trilogia que foi lançado EM INGLÊS dia 1º de setembro, basta clicar AQUI (este livro não tem data de publicação no Brasil ainda).

Ainda algumas informações importantes para quem desejar comprar na Amazon: o livro somente é cobrado na sua fatura quando enviado. Se nesse período de tempo o preço baixar, você paga o preço mais barato. E você ainda pode ter frete grátis em todos livros independentemente do valor assinando o Amazon Prime, que também te dá acesso ao streaming Prime Video, músicas no Prime Music, livros e revistas para leitura no Prime Reading, jogos no Twitch Prime e promoções exclusivas, e você ainda pode cancelar a qualquer momento. Para começar a aproveitar, clique a seguir e quando a página abrir, em “Teste grátis por 30 dias”: AQUI.

Para saber tudo sobre a trilogia “As Maldições Ancestrais”, basta clicar AQUI.

Para saber tudo sobre a trilogia “As Últimas Horas”, basta clicar AQUI.

Fonte: [1]; [2]; [3]; [4]; [5]; [6]; [7].

Postado por:
Você pode gostar de ler também
18.09
Este post está sendo atualizado a medida que mais novidades estão sendo divulgadas. A pré-venda ...
17.09
Cassie respondeu uma ask em seu tumblr onde ela falou sobre uma cena de baile de "Chain of Gold", o ...
16.09
Cassie respondeu novas perguntas em seu tumblr onde ela falou sobre Clary e Simon como parabatais em...
13.09
Cassie respondeu várias asks que pediam trechos de “Chain of Iron”, 2º livro da trilogia “As...
10.09
Mais um livro publicado, mais um sucesso: “The Lost Book of the White” entrou na lista como livr...
06.09
Respondendo mais perguntas em seu tumblr agora a tarde, Cassie respondeu perguntas sobre “The Lost...

Deixe seu comentário



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Siga @idrisbr no Instagram e não perca as novidades
Facebook