Cassandra Clare fala sobre a Rainha Seelie e a Aliança entre Seres do Submundo e Caçadores de Sombras!

Queen of Air and Darkness, The Shadowhunter's Chronicles

Em duas respostas em seu tumblr, Cassie falou sobre vermos a Rainha Seelie no 3º e último livro da série “Os Artificios das Trevas” e sobre a Aliança entre Seres do Submundo e Caçadores de Sombras da qual Magnus, Alec, Lily e Maia são fundadores! Confiram tudo:

Oi, Cassie! Seus livros são incríveis, você é genial. Minha personagem favorita é a Rainha Seelie, você tem grandes planos para ela na “Queen of Air and Darkness” ou nos Poderes Perversos? Desculpe pelo meu inglês ruim, espero que responda a minha pergunta 🙂 – bernardoalba

Definitivamente grandes planos pra ela em QoaAD!

Aliança dos Seres do Submundo – Caçadores de Sombras

facilisdescensoaverni disse:
Você pode nos contar algo sobre a Aliança dos Seres do Submundo – Caçadores de Sombras? Eu gostaria de saber exatamente como funciona, como se desenvolveu desde as reuniões de Alec-Lily-Maia (Eu sei que Magnus também participa), Como a Clave ver e todos esses tipos de coisas, se não for perguntas demais. Por favor? Amo todos os seus livros, muito obrigada pelo mundo das sombras.

A Aliança surgiu das cinzas da Guerra Maligna, como aprendemos em “Contos da Academia dos Caçadores de Sombras”:

Após a guerra com Sebastian, os Caçadores de Sombras tinham sido deixados para lidar com a traição das fadas e a crise de como muitos Institutos tinham caído e quantos Nephilim eram Crepusculares e foram perdidos na guerra, sua segunda guerra em um ano.

Eles não estavam em condição de ficar de olho nos membros do Submundo, mas o Submundo tinha perdido muita coisa também. As antigas estruturas que haviam mantido a sociedade no lugar durante séculos, como a Praetor Lupus, foram destruídas na guerra. As fadas estavam esperando para se revoltar. E os clãs de lobisomens e vampiros de Nova York tinham novos líderes. Lily e Maia eram jovens para serem líderes e, de modo totalmente inesperado, foram bem-sucedidas na liderança. Ambas se meteram em encrenca, mas devido à inexperiência e não à falta de tentativas.

Maia tinha ligado para Magnus e perguntado se poderia visitá-lo para pedir conselhos sobre algumas coisas. Quando ela apareceu, tinha arrastado Lily junto.

Lily, Maia e Magnus então se sentaram à volta da mesa de café de Magnus e gritaram um com o outro durante horas.
. . .

Magnus não imaginava que as reuniões acontecessem mais do que umas poucas vezes, muito menos ver alguma afinidade surgir entre Alec e Lily. Antigamente, Alec não costumava ficar totalmente à vontade com vampiros. Mas ele sempre reagia quando confiavam nele ou se voltavam para ele. Sempre que Lily aparecia com um problema, no início com ar arrogante e relutante, e depois com confiança crescente, Alec não descansava até resolver tudo.

Numa noite de quinta-feira, Magnus ouvira a campainha e saíra de seu quarto, deparando-se com Alec arrumando os copos, foi então que percebeu que as ocasionais reuniões de emergência tinham se tornado encontros regulares. Que Maia, Lily e Alec tinham desenvolvido um mapa de Nova York para assinalar as áreas problemáticas e ter discussões intensas (nas quais Lily fazia piadas sujas sobre lobisomens), e que um sempre chamaria o outro quando tivesse um problema que não sabia como resolver. Que os membros do Submundo e os Caçadores de Sombras viriam igualmente a Nova York sabendo que havia um grupo do Submundo e de Caçadores de Sombras dotado de poder e cooperação para resolver problemas. Eles viriam para uma consulta e descobririam que o grupo podia ajudá-los também.

Magnus percebeu que agora essa era a sua vida, e que ele não queria que fosse diferente.

A Aliança dos Seres do Submundo – Caçadores de Sombras é uma entidade adaptável. Eles devem se encontrar regularmente, mas Maia, Lily, Alec e Magnus cada um tem muitas coisas pra fazer, então eles mantêm suas agendas flexíveis. Houve vezes em que eles procuram ajuda ou conselho de outros, e eles não têm um número pequeno de aliados, mas o núcleo da Aliança continua sendo seus quatro fundadores. (Devido à Paz Fria, eles não têm um membro fada no momento.)

Quando a Aliança se reúne, eles discutem quaisquer problemas de segurança entre caçadores de sombras/seres do submundo que surgiram desde sua última reunião e conferem os problemas em andamento. Há muita discussão sobre como lidar com disputas territoriais e mediações entre indivíduos e grupos que desconfiam uns dos outros.

Ao longo do tempo, a Aliança ganhou uma reputação de ser capaz de resolver problemas sem tanta burocracia ou lentamente. Eles são respeitados por Seres dos Submundo de todos os tipos, e isso em si é uma conquista enorme.

A Clave não possui uma posição oficial sobre a Aliança. Os indivíduos dentro da Clave têm opiniões variadas. Alguns pensam que é uma farsa (tosse-thecohort-tosse), outros são bastante neutros sobre o assunto, e muitos estão profundamente gratos pelo trabalho que a Aliança faz. A Guerra Maligna deixou todos mais fracos. O trabalho da Aliança aliviou uma certa pressão sobre o número reduzido de Nephilim. Os membros da Clave que têm relacionamentos próximos com os Seres do Submundo valorizam a Aliança como um modelo para um caminho em que Caçadores de Sombras e Seres do Submundo trabalham juntos.

Será que o trabalho que Lily, Maia, Alec e Magnus estão fazendo inspira outros para formar coletivos entre Caçadores de Sombras/Seres do Submundo? Isso seria bom, não é? 🙂 Vocês aprenderão mais sobre a Aliança nos próximos livros.

E então, shadowhunters, ansiosos por “Queen of Air and Darkness”? Em tradução livre, o livro, esperado para 2019, se chama “Rainha do Ar e da Escuridão”.

Senhor das Sombras”, o 2º livro da trilogia “Os Artifícios das Trevas” já está sendo vendido no Brasil. Para saber aonde comprar e tudo sobre a edição nacional de “Senhor das Sombras”, basta vir AQUI.

Para saber tudo sobre “Os Artifícios das Trevas”, basta vir AQUI.

Fontes: [1]; [2]