Emma e Cameron na praia (Cena Excluída)

Tags:

“Emma sentia algo por Cameron, mas ela não o amava. Não como ela é apaixonada por Julian. Eu acho que ela tinha um carinho por ele, e ela conhecia ele tinha muito tempo, as famílias deles se conheciam há bastante tempo. Eu acho que ela pode ter tido uma paixãozinha nele por um tempo. Mas nem todo relacionamento é uma história épica de amor. 🙂 Cameron, entretanto, tinha algumas camadas escondidas que vocês verão em QoAaD, e uma parte inesperada para participar.

Nesse meio tempo, eu peguei uma cena deletada de “Dama da Meia-Noite” com Cameron nela. Os personagens não parecem tanto eles mesmos para mim, mas é meio interessante. – Cassandra Clare

Emma foi seguindo para a beira do mar. Foi quando ela o viu. A silhueta contra a água. Ela se perguntou quanto tempo ele estava parado lá, as mãos nos bolsos do jeans.

Cam?”, ela disse.

Cameron Ashdown caminhou na direção dela, a brisa do mar despenteando seu cabelo ruivo escuro. Ele sempre parecia com a figura perfeita de um garoto surfista da Califórnia, mesmo que a família Ashdown fosse escocesa, conforme ela lembrava. Seus ombros eram largos, seus olhos azuis, e tinha um tanto de sardas pelo nariz dele.

Eu te mandei uma mensagem,” ele disse. “Noite passada. E essa manhã.

Eu sei.” Ela colocou as mãos em seus quadris. Ela se sentiu levemente despida, não só por estar usando um top e uma calça de corrida, mas mais porque quando ela estava treinando, ela se sentia vulnerável. Ela não se importava de treinar com Cristina, Julian ou qualquer um dos Blackthorns, mas qualquer um do Conclave, mesmo Cam, era – diferente. “Mas nós terminamos, então –

Ele soltou uma risada. “Clássica Emma,” ele disse. “Você terminou comigo, então você não pretende nunca mais falar comigo?

Eu acho que é assim que funciona. Tecnicamente.” Emma disse. “Se nós ainda tínhamos o que conversar, qual o ponto de terminar?

Ele balançou sua cabeça. “E o pior é que você realmente está falando sério.

Ela esfregou as mãos pra cima e pra baixo em seus braços. A brisa do oceano gelou o suor no corpo dela, e tudo que ela queria era sair dali. “Cam, eu sinto muito. Eu não queria ferir seus sentimentos.

Ele olhou para o céu, como se estivesse esperando um suporte celestial. “Eu sou tão estupido,” ele disse. “Essa é o que, a terceira vez? E eu pensei que seria diferente. Eu pensei porque você estaria sempre voltando se não gostasse de mim?

Eu gosto de você. Eu sempre gostei de você.” E era verdade; ela sempre gostou de Cam – muitos membros do Conclave, como Paige, a irmã péssima de Cam, podiam ser terríveis sobre os Blackthorns e as conexões deles com as fadas. Mas Cam nunca foi. “Então porque terminou comigo?

Emma colocou uma mecha do cabelo atrás de sua orelha. “Eu não sei.” ela falou. “Eu acho que seguiu seu curso.

Seguiu seu curso?” ele ecoou. “E o que isso significa?

Ela se sentiu corar. “Que isso nunca foi para ser sério. Certo?

Cam se moveu para perto dela. O sol estava bem alto, fazendo sombras na areia. Ele estendeu as mãos e ela o deixou pegar nos braços dela, seus dedos bronzeados e sardentos passando por toda extensão. “Emma,” ele disse. “Você só tem um relacionamento sério e é com Julian Blackthorn.

Ele é meu parabatai.” ela disse. “Claro que é um relacionamento sério.” Ela olhou para os olhos azuis dele, apertando os seus contra o sol crescente. “Porque você está aqui?” ela disse. “Eu não sei o que te falar para fazer diferente, além de que eu sinto muito. Isso ajuda?

Na verdade, não.” ele disse. “Por isso estou aqui – toda vez que você me deu um fora, eu vim aqui, apenas para deixar registrado. Eu acho que se você vai terminar um relacionamento, você deve fazer pessoalmente.

Você nunca veio –

Eu vim,” ele repetiu. “Eu apenas sempre encontrei o Julian primeiro.” Ele descruzou seus braços. “Você sabe, é estranho,” disse ele. “Ele não é maior do que eu e eu nem acho que ele lute melhor.

Emma quis protestar, queria dizer que Julian poderia derrubar Cameron Ashdown com um arco, queria dizer que nem todo mundo tinha que andar por aí com músculos enormes e um pescoço gigante para provar que eram fortes. Ela viu Jules dobrar vigas de aço; Ele era tão forte quanto qualquer Caçador de Sombras precisava ser. Mas ela se conteve porque queria saber o que Cam ia dizer em seguida.

Mas ele é muito convincente.” disse Cameron. “Eu aparecia no Instituto e ele me pegava antes que eu chegasse até você. E de alguma forma eu me via saindo sem falar com você. Então eu esperava até que você me quisesse novamente pra se ter alguma diversão, companhia ou o que fosse. Você acha que eu não notei que você me ligou e perguntou se eu queria sair no dia seguinte à partida de Julian para a Inglaterra, e você me largou no dia anterior à volta dele?

Eu não sabia que você estava tão intimamente familiarizado com a agenda de viagens do Jules.” Emma retrucou. “Talvez você devesse estar namorando com ele, se você se importa tanto onde ele está.

Eu me importo porque você se importa.” disse Cam. “Você sabe que estou certo.

Eu sei que você está com ciúmes.” disse Emma, e imediatamente se arrependeu.

Sim, eu estou.” disse Cam. “Com ciúmes do seu parabatai. Isso é um pouco estranho, não é? Quero dizer, ele deveria ser como um irmão para você. Protetor, talvez, mas o que você tem entre vocês – é diferente. Eu estive sozinho com você, e eu estive com você quando ele está por perto, e é como se você fosse uma pessoa totalmente diferente. Como se ele acendesse uma luz dentro de você. Eu pensei que talvez eu pudesse fazer você gostar de mim o suficiente para que eu pudesse acender essa luz em você, mas –” Ele parou, balançando a cabeça. “Eu não acho que alguém possa.

Você é louco.” ela disse. “Não é desse jeito.

De qualquer forma, eu vim porque queria vê-la antes que Julian voltasse e me impedisse.” ele disse. “É isso aí. Eu realmente não achei que poderia mudar sua cabeça.

A maré começara a encher; estava batendo em seus sapatos. “Eu realmente gostaria de fossemos amigos.” disse Emma. “Com você.

A expressão que cruzou o belo rosto dele era ilegível. “Vamos ver.” Ele se virou, e ela o viu ir, seus sapatos afundando na areia. Poucos passos depois, ele se virou para encará-la novamente. “Sobre Julian,” ele disse.

Ela olhou para ele.

Há algo frio nele.” ele disse. “Algo assustador. Eu não acho que você veja, mas todo mundo vê.

Ela pensou em Julian, manchas de tinta em seu cabelo escuro; Julian pegando Tavvy e o balançando, Julian enfaixando os joelhos arranhados de Dru e sorrindo para Ty quando Ty era inteligente e aplaudindo Livvy quando ela aprendeu a usar um sabre. Julian, sorrindo para ela como o nascer do sol.

Julian não é frio.” ela disse ela, enfatizando cada palavra. “Nunca mais diga isso novamente.

O rosto dele endureceu. “Eu acho que vocês dois se merecem.” ele disse, e se virou. Ela se recusou a vê-lo ir embora.

[Traduzido e adaptado por Equipe IdrisBR. Dê os créditos. Não reproduza sem autorização.]

FONTE