Cassie respondeu uma ask em seu tumblr, falando sobre Emma e Julian e sobre o quanto a maldição parabatai afeta os comportamentos deles e as coisas que eles fazem. Confira:

emmablackthxrn: Eu tenho uma pergunta sobre Julian. Em “Senhor das Sombras” nós vimos um pouco do lado obscuro dele por várias vezes, mas um debate maior é se isso era apenas seu lado naturalmente anti-herói/levemente imoral, ou se era a maldição afetando suas decisões e pensamentos. Emma também diz que a maldição os faz mais fortes antes de transformar eles em destrutivos, então isso podia ser o porquê Emma não estava tendo pensamentos iguais e questionáveis como os dele, porque esse é o jeito que ele sempre foi? Beijos!

A maldição está definitivamente afetando Emma e Julian em modos diferentes, já como eles são pessoas diferentes que respondem de formas diferentes a circunstancias e ao estresse.

Eles dois tem algumas habilidades de enfrentamento que podem ser referidas a lados obscuros. Julian é propenso a cálculos bem pensados e implantar inverdades estratégicas, enquanto Emma é propensa a ataques de violência, uma obsessão com a vingança, e certo masoquismo em seus treinos que a deixaram com cicatrizes permanentes. Eu acho que a única razão pela qual o comportamento de Julian é notado como moralmente cinza enquanto o da Emma não é, é simplesmente porque Emma vive em uma sociedade de guerreiros, uma sociedade em que a inclinação e habilidade de cometer violência física é muitas vezes celebrada e valorizada. Isso não quer dizer que Shadowhunters não se importam com estratégias, mas quer dizer que eles têm uma sociedade onde Emma é celebrada por ser assim, até sendo colocada como a Shadowhunter mais promissora da geração dela, muito mais do que olhada com preocupação. Ninguém olhou para Emma enquanto ela crescia e disse “wow, essa criança órfã está se destruindo nos treinos. Ela também tem uma parede dedicada a vingança e assassinados. Talvez ela não esteja bem.” Ao invés disso, o comportamento dela era admirado.

Os esquemas de Julian acontecem por baixo dos panos, e quando saem, as pessoas ficam meio nervosas com isso, parcialmente porque vem de uma fonte que não esperávamos. Nós temos tendência a pensar que o pensamento estratégico vem com idade e experiências, então é surpreendente ver um adolescente fazendo esquemas como Julian faz. Eu entendo porque as pessoas dentro e fora dos livros se preocupam, porque Julian fez algumas coisas que são moralmente cinzas: entregar Anselm por usar magia negra (mesmo que, você sabe, ele estava: é como entregar um traficante por vender drogas), ameaçou piskies, manipulou Annabel, mentiu para a Clave. Mas até agora ele não atravessou aquela linha de ter feito algo realmente vil. Ele mostrou um potencial para a escuridão, mas Emma também. É interessante ver as pessoas comentarem a tendência de Julian de manipular, como um sinal de que algo não está bem, mas não falarem sobre a capacidade de violência da Emma, o que nós vemos que é levado para um nível extremo quando ela mata aquela fada que estava imitando o pai dela.

Ele não concluiu a frase. Emma tinha pegado Cortana e atacado, enfiando a lâmina na garganta do cavaleiro.
Ele emitiu um ruído úmido e sufocado. Sangue cor de pus esguichou da sua boca grande; ele cambaleou para trás, mas Emma o seguiu, girando o cabo da faca.

Emma não apenas mata essa fada, mas ela está tão cheia de ódio que ela vira a faca no corpo da fada para causar dor, assim como a morte. Em “Dama da Meia-Noite”, Emma já estava sendo levada por uma obsessão com vingança. Seu grande plano lá era encontrar a pessoa que matou os pais dela e matar eles. Então, a violência dela com o cavaleiro é afetada pela maldição, sua educação, uma reação natural ou alguma dessas coisas? Nós não sabemos ainda porque nós não sabemos como a maldição opera e isso é verdade no caso de Julian também. Ele teria manipulado Annabel se não fosse pela maldição? Difícil dizer. Ele estava numa posição péssima e tentando salvar a família dele e, de fato, todos os Shadowhunters. O que significa fazer uma escolha ruim quando não tem escolhas boas a serem feitas?

Principalmente, isso significa que algo está sendo dito sobre os personagens fazendo as escolhas. Então nós sabemos que sob coação, Julian faz esquemas e Emma parte para a violência. Esses jeitos são as melhores maneiras de responder? Não! Absolutamente não! Mas essa é uma trilogia sobre pessoas lidando com circunstancias extremamente difíceis. Se personagens não cometem erros no inicio para depois aprender deles, então eles são personagens parados, que não crescem – ou para se tornar melhor, como Gabriel Lightwood, ou pior, como Nate Gray.

Em resumo, nós não podemos saber o quanto da violência de Emma e dos esquemas de Julian é afetado pela maldição e o quanto isso nasceu naturalmente deles, vindo do choque emocional angustiante que eles passaram enquanto crianças. Eu vi pessoas falando que queriam que Julian ainda fosse do mesmo jeito de quando ele tinha 12 anos, sem complicações e feliz. Bom, Julian também queria, eu aposto! Quando ele tinha doze anos, Julian passou por um trauma muito prejudicial e não teve muito apoio na sequencia: de fato, uma responsabilidade esmagadora caiu em cima dele imediatamente e ele teve que lutar em segrego para manter sua família feliz e unida. Em “Dama da Meia-Noite” e “Senhor das Sombras”, nós vemos outros personagens notando sua capacidade para manipulação e impiedade – a Rainha Seelie, Kieran – mas ele ainda não tinha feito nada muito terrível ainda. Nós nos preocupamos que ele possa fazer porque nós sabemos a péssima posição em que ele está agora que o seu pior medo se realizou: Livvy está morta, e ele fica na beira do precipício da destruição do resto da sua família por causa da maldição.

“Emma também disse que a maldição os faria mais fortes”

A maldição deixando eles fortes não tem nada a ver com os erros que qualquer um dos dois cometa – é uma referencia simples para a sua reforçada runa magica. O fato de que Emma pode curar Julian de um veneno mortal é um efeito da maldição. O fato de que os dois podem derreter pedras juntos, é um efeito da maldição. Só funciona porque eles estão na mesma situação. Como já foi mencionado várias vezes, uma paixão unilateral entre parabatai não ativa a maldição ou permite que os parabatai acessem esses grandes poderes. Ironicamente nesse caso, a maldição é ativada porque eles se amam: algo bom sendo a fonte de algo obscuro. A maldição está fazendo eles serem pessoas mais obscuras, personagens mais obscuros? Nós não sabemos ainda – nós temos que ver como funciona a maldição, e mais importante, entender porque a maldição funciona do jeito que funciona. E nós vamos – mas a que custo? 😉

Rainha do Ar e da Escuridão” será publicado em inglês dia 04 de dezembro de 2018. Você pode comprar o livro aqui no Brasil por enquanto somente na Amazon na sua versão digital por R$ 32,51 clicando AQUI e você pode ler em qualquer dispositivo (celular, notebook, tablet) baixando o aplicativo gratuito do kindle – para baixar, basta vir AQUI. O livro foi comprado pela Galera Record no Brasil, mas ainda não há data de publicação em sua versão em português.

Para saber tudo sobre “Os Artifícios das Trevas”, basta clicar clique AQUI.

Fonte [x]