Compre já na Amazon

Notícias

Q&A “Son of the Dawn”: Yin fen, Raphael e Lily, Alec

Ghosts of the Shadow Market, Livros, The Shadowhunter's Chronicles

Cassie respondeu algumas perguntas sobre “Son of the Dawn” em seu tumblr, onde ela fala sobre Yin fen, sobre o relacionamento de Raphael e Lily e também sobre o Alec criança. Lembrando que tem SPOILERS do conto! Confira:

ultimateshipperofships: Oi, Cassie! É meu aniversario e eu tenho uma pergunta pra você! Nós vamos descobrir o que os lobisomens queriam com o yin fen?

Feliz aniversario!

Yin fen, como nós vemos em “As Peças Infernais”, tem vários usos para os inescrupulosos! Lembram dos lobisomens com yin fen em “Príncipe Mecânico”? Mas em “Son of the Dawn”, o plano maligno deles foi frustrado e é só um pouquinho do ponto – o que Sarah e eu queríamos alcançar ao usar o yin fen foi que Jem e Raphael tinham uma parte muito pessoal, mas bem diferente no que estava acontecendo.

Raphael se importa com a cidade dele – sua casa, a nova casa de Jace. Em “As Crônicas de Bane”, nós vimos Camille fazendo seu clã se envolver com drogas. Raphael, como alguém com impulso de perder o controle e matar pessoas que uma vez ele deu (e que ele se culpa por isso, mesmo que qualquer um pudesse fazer), e que cresceu como uma criança latina em uma vizinhança difícil, sabe sobre a perda de controle e – como uma pessoa muito forte e responsável – tem pavor disso. Raphael, enfaticamente, não está lá para as drogas, e não quer uma repetição desse desempenho em seu clã, ou sua cidade. Ele também tem que tomar uma ação direta, e ele não acredita nem na líder do seu clã ou nos Shadowhunters do Instituto de Nova York. Ele confia em Magnus, mas ele não iria até Magnus para ajuda, porque ele já deve muito a Magnus. Mas como Raphael sabia como chegar a Jem, e sobre o yin fen? Por Tessa. Raphael tem laços fortes com os feiticeiros – ele é próximo e em constante comunicação com Ragnor, como nós vimos em “Contos da Academia”, Raphael gosta e confia em Tessa – de fato, nós os vemos, mesmo que não digam o nome de Tessa em uma festa no final de “Cidade de Vidro”. Tessa disse para Raphael ir até Jem – para confiar nele. Raphael não é o tipo que confia. Ele testa Jem. Ele diz especificamente que ele não vai dizer para Jem como ele sabe sobre o yin fen, e ele não menciona Tessa, o que teria dado a Raphael 10000% da ajuda de Jem, sem perguntas feitas. Ao invés disso, Jem é presenteado com um enigma – ele ajuda pessoas que ele não conhece, quando os Irmãos do Silencio podem punir ele, não deixando ele ver Tessa?

A cidade de Raphael pode estar em perigo durante esse conto, mas o coração de Jem está em perigo – ele está muito pra baixo nessa história, muito longe da humanidade, e ele faz uma escolha de tentar nadar, como estava, por um mar frio de volta para o que nos torna humanos, para ser capaz de se tornar humano de novo em “Cidade do Fogo Celestial”. Isso diz muito sobre Jem, que mesmo sendo alguém que o coração foi efetivamente silenciado por centenas de anos, ele é cuidadoso e empático o bastante para arriscar algo muito importante para ele, para fazer o que ele acredita que é certo e poupar estranho de sofrer o que ele já passou. Yin fen destruiu a vida de Jem em todas as maneiras possíveis. Não pode machucar ele mais. Mas pode machucar outras pessoas, e ele sabe o quanto. Jem nem ao menos sabe disso, mas ele justificou a fé de Tessa nele. Tenha fé, ele diz para Raphael. Mantenha a fé, ele diz a si mesmo. E como nós vemos, Jem vive pelo que acredita: ele escolhe viver por Tessa e Will e ele vive como, todos os dias, Will e Tessa estivessem observando.

Através do yin fen, nós mostramos a casa de Raphael e o coração de Jem ameaçados, e colocando Jace naquele navio, no caminho deles, nós mostramos Jace encontrando sua própria casa e coração.

carolbaneherondale: Oi, rainha Cassie. Estava bem claro que Lily estava apaixonada por Raphael, mas ele é mais reservado com seus sentimentos. Raphael correspondia aos sentimentos de Lily?

Lily é e sempre foi apaixonada por Raphael, o que já teve dicas em outras histórias – Lily na verdade é pansexual, mas Raphael é assexual e arromântico. Não é que ele não ame Lily, é como ele disse “Para sua informação, eu não tenho nenhum interesse em romance de nenhum tipo e nunca vou ter.” Ele se importa com Lily como uma amiga, e Lily sabe que Raphael é arromântico (mesmo que eu ache que ela não é muito familiarizada com a palavra), então ela nunca pressionou ele sobre o especifico tipo de amor que ele não está confortável com. Lily fica feliz de flertar com Jem, que ela genuinamente pensa como um bonitão, mas ela não flerta com Raphael: ela fala deles como um time. Em “Contos da Academia”, Lily disse “eu pensei que Raphael sempre estaria aqui.” Eles se conhecem há quase 50 anos nesse ponto, e tem uma dinâmica de relacionamento bem estabelecida, baseada acima de tudo em respeito. No conto, nós vemos Lily estendendo a mão para tocar em Raphael, mas ela não faz isso. Ela não se importa se Jem vê, ela só se preocupa em não incomodar ou sobrecarregar Raphael.

Raphael tem um passado traumático e problemas com intimidade que estão bem distantes do fato dele ser ace ou aro, como Jem observa e nós já vimos em outros lugares – o relacionamento dele com Magnus é definitivamente não romântico e nem sexual de nenhum dos lados, mas ele constantemente se recusa mostrar proximidade com Magnus, e Magnus não tem ideia que Raphael considera ele tanto quanto Raphael considera realmente. Lily fica magoada um pouco pelo comportamento distante de Raphael, como quando ele se refere a ela como uma colega e não uma amiga; ela não tem certeza da consideração dele por ela naquele momento, mas depois ela consegue ver as ações protetivas dele com ela e claramente fica tocada com isso. De um modo geral, porem, eles estão muito mais na mesma pagina do que não.

havisha1212: Hey! Então, eu notei que Lily está claramente apaixonada por Raphael, e Raphael não corresponde nada. Mas ele sabe disso. Ele considera Lily uma amiga? Ele se sente desconfortável? Você pode nos dar uma visão maior sobre o relacionamento deles? Alias, ele não aparenta ter 14 anos e ela 19?

Raphael parece mais novo que Lily, e de fato ele é mais novo que Lily por várias décadas no mínimo (mesmo que a gente não tenha uma idade especifica para Lily… ainda). Mas como as pessoas parecem, não é muito importante em um mundo de imortais – Tessa parecia muito mais nova que Will, por muito tempo no relacionamento deles, e presumidamente Magnus vai parecer muito mais novo que Alec no relacionamento deles. E quando as duas pessoas não envelhecem, como eles se parecem é ainda menos importante; é o quão velho eles realmente são. No final, Lily e Raphael não são envolvidos romanticamente, não por causa do quão jovens eles parecem, mas porque Raphael não é interessado em ser sexualmente ou romanticamente envolvido com ninguém, nunca.

Raphael e Lily, como dizem em “Cidade do Fogo Celestial”, são “sempre grossos como ladroes.” Ele escolheu levar ela junto com ele para o Shadow Market, confiando nela, e escolhe ficar próximo dela várias vezes (Lily, Raphael e o amigo deles Elliott vão até o Taki’s em uma saída social quando encontram com Alec e Magnus em “As Crônicas de Bane”, e vocês vão ver Lily e Elliott arrastando Raphael para uma festa na Itália em “The Red Scrolls of Magic”). Ele se machuca ao defender ela, e em uma batalha você não pode garantir que não vai ser morto: ele estava colocando sua vida em risco. Se fosse Camille na linha de fogo, Raphael seria visto lixando suas unhas em outro lugar misterioso.

É sempre divertido escrever um relacionamento com um pouco de divisão, no modo em que Lily sempre foi mais velha do que Raphael, mas Raphael sempre age como se fosse mais velho – ele é um irmão mais velho, o mais velho de uma grande família, e como nós vimos em “As Crônicas de Bane”, ele tenta mandar em Lily desde o momento que a conhece. (E ela responde com um “HAHA, fofinho”). Lily sempre foi muito dedicada a levar uma vida de festeira – foi assim que ela se juntou a Camille – e ela está propensa a agir de uma forma desatenta e imatura, enquanto Raphael sempre tenta ser maduro e responsável. O que não significa que Lily é imatura – assim que ela precisa, ela procura por Maia, coopera com Alec e Magnus, lidera o clã o melhor que ela consegue. Ela apenas não ligava para o que acontecia com o clã ou com a cidade antes de Raphael, e ela não tinha que se impor enquanto Raphael estava ali. Ela pensava que eles eram para sempre, e ela nunca teria que saber o que fazer, se algo acontecesse com ele… mas Raphael diz que espera que ela faça algo prático. E ela faz. Raphael tem fé também, às vezes: Raphael tinha fé nela, e nós sabemos que fé é muito importante pra ele, e nós sabemos que a fé dele foi mais do que justificada.

priomort: Hey, Cassie! Eu adorei ler “Son of the Dawn”! Eu estava apenas perguntando se Magnus já descobriu que Alec com 11 anos estava totalmente com uma paixãozinha em Raphael e qual foi sua reação.

Magnus acharia divertido. Ele pode ficar um pouco incrédulo também (“Raphael?! Mesmo?!”), mas todo mundo tem paixões quando criança, tipo quando você descobre sobre aquele horrível popstar que o seu namorado/a sua namorada gostava quando tinha 12 anos. Provavelmente é uma boa coisa que Magnus não tinha um bom relacionamento com os Lightwoods e raramente os via, porque eu tenho certeza que um Alec mais novo teria uma grande paixão por Magnus, e teria um problema enorme em fazer Magnus levar ele a sério depois.

Fonte [x], [x]

O site Idris Brasil começou como um fan-site dedicado a autora Cassandra Clare e todas suas obras, se tornando um site literário e com indicações de filmes e séries. Todo o conteúdo é de sua própria autoria e/ou utilizado com os devidos créditos e feito de fãs para fãs. Possuímos o apoio da autora Cassandra Clare e de sua Editora autorizada na Brasil, Galera Record. Para saber nossas parcerias, basta acessar a aba no menu acima.