Cassie respondeu mais asks em seu tumblr, falando sobre os próximos contos de “Ghosts of the Shadow Market” e também respondeu algumas coisas sobre “Son of the Dawn”. Lembrando que tem SPOILERS do conto! Confira:

bookwormdazzle: Oi! Eu já estou aproveitando “Ghosts of the Shadow Market”! Eu tenho uma pergunta. Tem uma linha que menciona Jem lembrando algo sobre a mulher fada que ele vê no Shadow Market “lembrando vagamente dela machucando uma criança de cabelos dourados. Tinha sido muito tempo atrás.” Minha memória é meio bagunçada, ou eu estou lendo muito em cima disso, mas eu estou assumindo que nós devíamos saber sobre essa criança? Obrigada!

Na verdade é uma referencia de “Cast Long Shadows”, que na versão física vai ser a primeira história. Nós decidimos lançar as histórias fora de ordem cronológica porque nós sentimos que as pessoas poderiam ficar mais animadas de ler “Son of the Dawn” que tem personagens que eles já conhecem do que ir direto para personagens de “The Last Hours” que ainda não tem livros sobre eles! Nós estávamos esperando que as pessoas gostassem de “Son of the Dawn” e daí dariam uma chance para os próximos.

fair-but-wilde-child: Deixe Matthew saber que se ele precisar de alguém para lutar com aquela malvada fada que machucou ele, que me mande uma mensagem de fogo. Eu amo Matthew e tenho muita raiva que ele foi machucado. 😛

Bom trabalho imaginando que era Matthew! Eu acho que é um pouco difícil adivinhar imediatamente porque nós não pensamos em Matthew como uma “criança” de modo nenhum, e “criança de cabelos dourados” o faz parecer com uma pequena criança. Mas nós estávamos tentando desenhar uma pequena distinção entre Matthew no inicio de “Cast Long Shadows” (inocente e infantil) e Matthew no final. Então faz sentido que Jem (que é muito mais velho) se lembrasse de Matthew como uma criança naquela cena.

fair-but-wilde-child: Hey, Cassie! Eu AMEI “Son of the Dawn” muito. Eu estava me perguntando duas pequenas coisas. Primeiro: é esse o primeiro encontro que Raphael se lembra de Alec quando ele tinha doze anos?

maximilianthequeer: Oi, Cassie! Tem uma linha que eu me lembro de um dos livros onde Raphael encontra Alec (eu acho que pode ser “As Crônicas de Bane”) e ele disse “Eu me lembro de você tendo doze anos”. Em “Son of the Dawn” quando Alec encontra Raphael e disse “Eu tenho basicamente doze”, foi meio que uma referencia para aquela cena ou eu estou pensando demais? Amo os livros, alias, os muitos momentos gays de Alec me fizeram muito feliz!

Awn, vocês são muito doces! Eu não lembro exatamente os detalhes de como aconteceu, mas eu pensei – assim como Sarah – que Raphael teve um encontro com os Lightwoods antes, e ele se lembrava de Alec como uma criança, e teria um conto divertido sobre isso. Foi também divertido de ver Alec e a sexualidade de Alec pela perspectiva de Isabelle – de sua paixãozinha de criança para uma paixão mais adulta (especialmente já como nós sabemos que ele vai encontrar seu amor um dia e ser feliz!)

E sim, Raphael se lembra do quão velho Alec falou para ele que era, o que não era bem a verdade…

lumixre: Oi, Cassie! Antes da minha pergunta, eu preciso dizer que eu estou tragicamente apaixonada por tudo que você faz e você é uma deusa <3 Minha pergunta é: em “As Crônicas de Bane” quando Raphael esbarra em Alec e Magnus em um encontro e diz que se lembra dele com doze anos, você sempre soube que o primeiro encontro de Alec e Raphael ia ser em “Son of the Dawn”?

Nós suspeitamos que foi um encontro muito mais memorável para Raphael do que para Alec, já como nós vimos que Alec segue seu caminho alegre, enquanto Raphael, eu acho, estava esperando problemas, mas NÃO esperando o que ele recebeu! Eu imagino que Raphael foi para o hotel em que mora e contou Lily sobre o que aconteceu, e Lily achou muito divertido, mas os dois ficaram meio que “bom, isso não vai terminar bem, com os Shadowhunters do jeito que são, aí vem problema.” E então, enquanto Raphael ficava considerando isso, ele se vira por apenas um momento e de repente lá está Magnus no meio do problema! Eu acho que Raphael saiu do Taki’s em “As Crônicas de Bane” e foi tipo “Lily, Magnus vai ter a sua estupida cabeça ARRANCADA FORA.”

emma-cxrstxirs: Hey, Cassie! Eu estava me perguntando: nós vamos ver o quarteto e os residentes do Instituto de Londres (Will, Thomas, Lucie, James, etc.) em pessoa em “Cast Long Shadows”, ou apenas nos pensamentos de Matthew e em flashbacks? Eu estou bem animada para entender melhor a dinâmica dos relacionamentos entre os personagens de “The Last Hours”.

Vocês definitivamente vão ver o quarteto em “Cast Long Shadows” da perspectiva de Matthew e então de novo em “Every Exquisite Thing” da perspectiva de Anna. Espero que dê um bom entendimento da dinâmica deles!

tidtlhtmitdatwp1903: Oi, Cassie! Catherine Ashdown é a mãe de Cameron? Ou tem uma relação diferente? Porque ela estaria levando Jace de Idris, se os Ashdows são de Los Angeles?

Catherine não é a mãe de Cameron – nem todo Ashdown vai ter um relacionamento próximo de Cameron. Paige é a irmã de Cameron e vive em Los Angeles; Vanessa é uma prima que vive em Idris com os outros Ashdows que moram em Idris, e Catherine é simplesmente parte da arvore genealógica que mora em Idris de uma (enorme) família!

history-maker-viktuuri: Oi, Cassie! Só queria dizer que eu amei “Son of the Dawn”! Foi muito divertido e triste ao mesmo tempo ler mais sobre Jem e os outros personagens (mas especialmente Jem!). Eu mal posso esperar pelas outras histórias. Apenas uma pergunta: Nós vamos ver James ou Lucie Herondale, ou até mesmo Cordelia Carstairs em algum conto de “Ghosts of the Shadow Market”?

Vocês vão ver James e Lucie em “Cast Long Shadows” e “Every Exquisite Thing”, mas Cordelia não aparece (só nos pensamentos e memorias de Jem) porque ela ainda não se mudou para Londres.

saraxisxawesome-blog: Oi, Cassie! Ghosts of the Shadow Market me fez me apaixonar mais com a sua escrita, é maravilhosa! Eu tenho algumas perguntas – porque o Jace tem tanta pressa em encontrar um parabatai quando ele foi ensinado que isso era uma fraqueza? Obrigada de novo!

Obrigada! Eu não diria que Jace estava com pressa: ele não perguntou para Alec, nem nada, e não fez isso por anos. Mas o jovem Jace era profundamente solitário, como podemos ver pelas reações para Alec e Maryse especialmente, e as palavras de Jem sobre ter um parabatai atingem ele com força. Ele pergunta para Isabelle se ela e Alec vão ser parabatai, porque Jace nesse ponto é bem consciente de que é um intruso e não quer incomodar ninguém – como na história, quando ele diz que não vai incomodar Maryse. Se Isabelle tivesse dito que ela queria Alec como parabatai, teria sido o fim disso, mas como Isabelle não tinha interesse, deixa a possibilidade aberta, e dadas as palavras interessantes de Jem, Jace está considerando isso.

Valentim treinou Jace para ser o guerreiro ideal. Ele fez disso o objetivo final de trabalho dele, ensinar Jace que demonstrar emoções ou vulnerabilidade era uma fraqueza que não apenas mataria Jace, mas deixaria o pai que Jace amava severamente desapontado – o pai que era tudo que Jace tinha no mundo. Valentim ensinou Jace que amar era destruir. Jace foi criado por um homem que o elogiava apenas por ser um soldado sem coração. Para Jace ser o melhor Shadowhunter e guerreiro não é apenas pelo seu dever, ou orgulho em sua coragem, mas em um sentido psicológico sobre Jace se sentir valorizado, e merecedor de amor. É uma terrível questão para uma criança maltratada, esperando por amor, mas ensinada a não confiar nisso.

Jace quer amor, mas ele não acha que devia querer isso – porque ele iria querer ser destruído? Mas Jem e Alec dão a Jace uma maneira de racionalizar a busca por amor – esse laço que faz de você um guerreiro melhor, Jem disse, e como Jem observa, Jace pesa isso – sim, ser um guerreiro melhor! Exatamente o que Valentim ia querer! E Alec, mostrando bondade e preocupação para Jace, sugere alguém que cuidaria da retaguarda de Jace, o que ele sabe, Alec vai dedicar todo seu treino para fazer. Ele vai proteger Jace e Isabelle. Conforme os anos passam, Jace vai ver Alec proteger ele de novo e de novo, arriscando sua própria vida. Não são palavras vazias. E realmente faz Jace um guerreiro melhor ter Alec como parabatai – ele não sabe disso ainda, mas tem uma luz no fim do túnel. Como o amanhecer.

Mas como Jem vê, o que Jace realmente se sente atraído, mesmo que ele finja que não até para si mesmo, é a ideia de pertencer a alguém. Jace, como ele diz na história, não é nada de ninguém, mas Robert está aceitando ele em casa porque (ele pensa) como seu parabatai era pai de Jace – outra coisa que impressiona Jace, assim como as palavras de Jem: Jace está literalmente ganhando uma casa porque Robert respeita o laço parabatai, e Robert está estranha e dolorosamente tentando mostrar que ele amava Michael.

Ser um parabatai é sagrado e respeitado entre os Nephilim, em várias formas transcende os laços da família. Ao longo de todos os livros Shadowhunters, nós vemos como o laço parabatai trabalha na sociedade deles: Emma consegue ficar com os Blackthorns, Matthew sempre é levado de volta para James, Jem mesmo pode se recusar viver com Elias Carstairs e ficar com seu parabatai Will. “E onde estiver, estarei; Os teus serão os meus”. Não é uma adoção ou um casamento, mas um laço com esse tipo de ressonância. Jace é terrivelmente novo e terrivelmente sozinho – como Jem era, como Will era, e como Emma teria sido, se ela fosse separada dos Blackthorns. Faz sentido que Jace fosse querer um laço dele próprio, contanto que ele pudesse se convencer que esse laço significaria força, ao invés de fraqueza. Jem dá a ele um jeito de fazer isso.

No final, Jem convence Jace porque, de fato, Jem está certo. Jace consegue sentir que Jem está certo. O amor e a crença de Jem carregam convicção. Esse é o primeiro passo para Jace se tornar uma pessoa mais saudável. Aí é onde começa a melhorar. Jem está certo. Valentim está errado. Amor não destrói, mas salva. Jem, através de seu amor por Will que está morto há muito tempo, pode salvar Jace… e isso vai levar Jace a crescer para ser o homem – parabatai de Alec, amor de Clary, irmão de Isabelle – que é forte e bom e pode salvar Jem também: consegue redimir ele de seu sofrimento em “Cidade do Fogo Celestial”, e trazer ele de volta para a vida e o amor. Tem uma simetria nisso, nesse circulo de amor, que nunca acaba, o que inspira mais e mais amor, de Will e Jem para Jace e Alec, e de volta.

Fonte [x], [x]