review_padrao

 

Conforme havíamos divulgado em nossas redes, dois membros da nossa equipe tiveram o privilégio de assistir ao filme na Cabine de Imprensa na última Quinta-Feira (08/08/2013).

A primeira review já foi postada e vocês podem conferir aqui. A segunda Review segue abaixo:

Quando se espera demais de algo, a tendência é se decepcionar. Felizmente posso dizer que não me decepcionei com a adaptação cinematográfica de ‘Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos’, pois  o filme em si é regado a aventura e ação. É impossível não ter um mix de emoções ao longo do filme.

Os fãs são cada vez mais exigentes com as adaptações das obras literárias hoje em dia e não será diferente com o mundo criado pro Cassandra Clare. Como grande fã, não me decepcionei nenhum pouco e achei incrível o trabalho feito em cima desta série.

O grande fato que levará ao sucesso é: O filme foi feito para os fãs e aos não fãs. Aos fãs, o que mais irá satisfazê-los é o fato de que a essência da história e dos personagens foi perfeitamente captada do livro e transmitida ao filme. Aos não fãs, o que irá agradar é o fato de ser um filme que aborda ação, romance, lutas e prende-se a atenção a cada minuto.

O que fez este filme, além de tudo, é o fato do cast ter literalmente incorporado cada um seu respectivo personagem e ter dado vida a eles de uma maneira incrível. Vou falar um pouco dos personagens principais e a minha opinião a respeito:

Lily Collins:  A nossa querida Lily interpretou Clary Fray perfeitamente. Soube dar a devida emoção e atitude que precisava nas cenas mais importantes, assim como ao longo de todo filme.

Jamie Campbell Bower : Jamie trouxe o nosso Jace sarcástico, irônico e certo de si e não tenham duvidas, posso dizer agora mais do que nunca: #JamieIsJace.

Lena Headey: Conforme já previsto por todos, não deixou nada a desejar como Jocelyn Fray e, conforme minha opinião conseguiu ter a sintonia que precisava para atuar nas cenas com a Lily fazendo seu papel de mãe e filha de uma maneira que você sente cada emoção que ela passa no filme.

Jonathan Rhys Meyers : Interpretando nosso vilão Valentim Morgenstern e “WOW” não seria o suficiente para expressar o quão ótimo este ator é e como passou a imagem real de Valentim: cruel e manipulador.

Aidan Turner: Ainda fez também um ótimo trabalho como Luke Garroway e com certeza marcado por seu perfil paternal e protetor para com Clary.

Kevin Zegers:  Como Alec Lightwood, foi extremamente perfeito em seu papel. Aos que me conhecem, sabem que Alec é o meu personagem favorito e eu estava muito exigente quanto a atuação do Kevin para trazê-lo         a vida. Fiquei muito feliz não somente por não ter me decepcionado, mas também por ter ficado impressionado pelo bom trabalho do Kevin. Ao assistir o filme só tenho algo a dizer: Nosso Alec Lightwood está muito bem representado.

Jemima West: Para a nossa Izzy, tivemos a Jemima que mostrou toda a autoconfiança que uma atriz necessitaria para dar vida à Izzy. Seu trabalho foi ótimo, porém acho que ficou no ar um “podia ter sido melhor”. Gostaria de deixar bem claro que amei a atuação da Jemima, porém acho que para Izzy há necessidade de mais poder em suas atitudes pois ela é um personagem que exige demais neste ponto. Enfim, Jemima está perfeita e com certeza isso é  algo que facilmente será consertado para o próximo filme!

Robert Sheehan: Por ultimo e não menos importante (de jeito nenhum). Rob fez um trabalho incrível! Com certeza é uma das melhores atuações deste filme. Ele incorporou Simon e trouxe todo seu jeito nerd e engraçado. Fãs do Simon não irão se arrepender.

A trilha sonora está muito boa e as musicas foram perfeitamente aplicadas em sua respectiva cena de forma que deu a emoção necessária para transmitir a mensagem que gostaria de ser passada.

O filme conta com cenas muito bem elaboradas e cenários são incríveis. O Instituto é de tirar o fôlego, a cena da estufa é apaixonante e a Cidade dos Ossos arrepiante. Não houve muita exploração de cenários e lugares, porém tudo está muito bem alocado e dando total sentido a história, além do fato de todos os cenários serem bem trabalhados com os efeitos especiais que não deixam nada a desejar e dando mais credibilidade ao filme.

Fiquei muito satisfeito com o resultado do filme e ver que tudo aquilo que você ama tornou-se uma adaptação muito bem feita e nada desagradável. Com certeza irei assistir muitas vezes mais no cinema e indicar a todos os meus contatos pois este filme irá agradar a todos.

Fico muito feliz de resumir tamanha felicidade em uma frase.

“Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos” : Um filme que fez promessas e superou expectativas.

Review feita por Thiago Husti