Com o lançamento de “Queen of Air and Darkness” se aproximando, Cassie deu uma entrevista para o site audible.com, onde ela fala desde o quanto vamos sofrer com o livro, até com quem ela gostaria que narrasse um audiobook da vida dela, além de compartilhar uma cena deletada de “Queen of Air and Darkness”! Confira tudo traduzido pela nossa equipe:

Para honrar o novo audiobook dela, “Queen of Air and Darkness”, nós mandamos suas perguntas para a autora Cassandra Clare, criadora dos Shadowhunters. Ela satisfez algumas das nossas maiores curiosidades e nos deu um pedaço de uma cena deletada do novo livro.

A: Como é seu processo de criação de um mundo? Como você decide coisas como o processo de envelhecimento para feiticeiros?

CC: Quando eu fiz o rascunho de “Cidade dos Ossos”, eu queria escrever algo que iria combinar os elementos da fantasia tradicional – uma épica batalha entre o bem e o mal, monstros terríveis, heróis corajosos, espadas encantadas – e trazer isso para uma nova visão moderna e urbana. Então você tem os Shadowhunters, que são guerreiros clássicos, seguindo sua tradição milenar, mas nesses espaços urbanos e modernos: arranha-céus, depósitos, hotéis abandonados, shows de rock. Em contos de fadas, era a misteriosa e obscura floresta do lado de fora da cidade que tinha a magia e o perigo. Eu queria criar um mundo onde a cidade se transformou na floresta – onde esses espaços urbanos têm seus próprios encantamentos, perigo, mistérios e beleza estranha. O mundo dos Shadowhunters cresceu bastante desde então – com cada livro eu expandi a tapeçaria um pouco mais. Isso acontece naturalmente durante as historias dos livros – eu estou sempre a procura de ideias que eu sinto que seriam um encaixe natural com o mundo dos Shadowhunters.

A: Tudo no livro aconteceu como planejado ou você teve que mudar alguma coisa que não estava esperando? Como o mundo das Sombras é diferente agora de quando você começou essa ideia em sua cabeça?

CC: Eu acredito muito em delinear o caminho, então eu tenho um senso geral do que vai acontecer. Mas livros definitivamente evoluem enquanto você senta e escreve eles – é parte do que faz eles divertidos. Eles podem te surpreender. Como Magnus – ele devia ser um personagem secundário, mas assim que eu comecei a escrever ele, ele fez um moonwalk até o centro do palco em um casaco de strass roxo e foi tipo “oh, olá, eu estou aqui para estar em todo livro Shadowhunter que você escrever a partir de agora.” Isso foi uma ótima surpresa!

O mundo mudou bastante. Eu criei um pouco mais com cada livro. Eu amo escrever romances históricos de Shadowhunters, então estou me divertindo trabalhando em “The Last Hours”, que é uma trilogia que se passa na Era Eduardiana. Toda vez que faço um projeto histórico, a historia Shadowhunter se torna mais polida.

A: Você pode nos dar mais detalhes sobre o Instituto de Manila ou nós vamos ter cenas nos livros futuros que se passam na Ásia? Quanto tempo você pesquisa algo antes de se sentir confiante o bastante para escrever sobre isso?

CC: Eu tento fazer pelo menos 6 meses de pesquisa antes de criar um livro em um tempo ou lugar diferente. Eu ainda não tenho planos para algo acontecer no Instituto de Manila no momento, mas vou viajar para as Filipinas em turnê no próximo ano, então vou pesquisar para o Instituto de Manila!

A: Cada livro se refere a um poema. Qual poema você acha que descreveria As Crônicas Shadowhunters melhor?

CC: Eu realmente amo poesia e tem muitos poemas que me fazem pensar em Shadowhunters. Eu especialmente gosto de procurar por poemas de guerra, porque os Nephilim são uma sociedade militar. Eu geralmente penso no poema clássico que Winston Churchill costumava falar, “Horatio at the Gates”, que é:

“Não pode um homem ter melhor morte que:
Lutando contra o desconhecido
Pelas cinzas de seus pais e
Pelos templos de seus deuses!”

(Tradução do trecho tirada daqui)

A: Como você se sentiu durante os primeiros anos de publicação e com as reações dos seus fãs? E como você se sente agora?

CC: Uma das coisas divertidas sobre escrever livros e ter eles publicados é que você tem todos esses personagens e situações em sua cabeça, e então todas essas pessoas leem e escutam o livro, e de repente todos eles estão lá com você e com os personagens – você os vê amarem e xingarem os personagens, e ficarem animados com as coisas que você tem ficado animada por anos. Eu não tinha ideia que “Cidade dos Ossos” alcançaria tantas pessoas como fez. Eu escrevi o livro que eu queria ler e é gratificante que muitas pessoas quiseram ler também! Mesmo agora, começando a trabalhar na quarta série das Crônicas Shadowhunters, é animador quando um livro é lançado e eu consigo compartilhar o que tenho pensado por tanto tempo. (Você pode notar o quanto estou animada para “Queen of Air and Darkness”?)

A: De todos os livros que você escreveu até hoje – quem é/foi seu personagem favorito para escrever e por quê? Mudou com o tempo ou ainda é o mesmo personagem?

CC: Eu não consigo escolher favoritos, porque meus personagens todos parecem crianças em uma família e escolher favoritos parece cruel e injusto! Mas eu adoro escrever personagens que são bem diferentes de mim. Magnus Bane, por exemplo, é muito mais aberto do que eu sou. Emma é uma personagem forte e corajosa de um jeito que eu adoraria ser, que definitivamente não tem medo de matar aranhas no banheiro dela. Tiberius é ótimo com animais de um jeito que eu queria ser – ele está sempre procurando por eles e fazendo amizade com eles. Eu alimento os esquilos no meu jardim, mas ainda estou bem longe de ser uma princesa da Disney com pássaros circulando na minha cabeça!

A: Tem algum personagem que você se sente mais próxima ou um que compartilha alguma de suas características ou personalidade?

CC: Eu sempre me senti bem próxima de Tessa pelo amor dela por livros, mas Drusilla é mais próxima do que eu era quando adolescente, com o amor dela por filmes de terror e o sarcasmo.

A: Você planeja fazer uma historia (com contos ou uma trilogia) de algum dos vilões que nós conhecemos? Eu acho que seria bem interessante porque quem não ama saber o passado de um vilão?

CC: É verdade que o ponto de vista do vilão é sempre divertido! Eu considerei fazer um projeto desses, mas não tem nada sendo trabalhado agora. Você pode querer checar o conto “Se Tornando Sebastian” (que vocês podem ler traduzido AQUI), que é do ponto de vista de Sebastian!

A: Se você tivesse que comparar o nível de dor que nós vamos sentir com “Queen of Air and Darkness” com algum filme ou livro, o que seria? Eu estou relendo “Os Artifícios das Trevas” porque QoAaD sairá mês que vem e minha pergunta é: você acha que sofrer é legal? Porque MEU DEUS, ESSES LIVROS SÃO CRUÉIS.

CC: Esse gif resume bem meus sentimentos com “Queen of Air and Darkness”.

Eu sempre amei livros que provocavam grandes reações em mim – felicidade, espanto, até tristeza. Mas eu não posso prever como as outras pessoas vão se sentir ao ouvirem!

A: Qual foi a ultima coisa que você ouviu?

Eu sou uma fã de audiobook! Eu amo audiobook.

As pessoas escutam histórias muito antes de começarem a ler. Literatura nasceu de uma tradição oral, e de algum jeito ouvir uma historia chega em uma parte de nossos cérebros que se sente excepcionalmente satisfatório. Não tem nada tão bom quanto alguém lendo para você, que é algo que acontece muito mais quando nós somos crianças do que quando somos adultos. Audiobook nos oferecem uma ótima maneira de ouvir uma história sem ter que perseguir alguém e fazer essa pessoa ler pra gente!

Eu gosto de ser envolvida no processo de encontrar narradores. Escutar um audiobook é tipo ouvir uma radio novela, então eu tento procurar atores que eu tenha gostado do trabalho no passado.

A ultima coisa que eu ouvi e realmente amei foi Richard Armitage narrando romances clássicos de Georgette Heyer. Ele é um ótimo narrador!

A: Quem narraria a historia da sua vida?

CC: Robert Downey Jr. Sem nenhuma razão particular, apenas porque eu realmente gosto de Robert Downey Jr. e eu amaria ter a chance de falar com ele. Oi, Robert Downey Jr, se você estiver lendo isso!

A: Algo a mais que você gostaria de compartilhar com seus fãs?

CC: Sim! Eu gostaria de compartilhar essa exclusiva cena deletada de “Queen of Air and Darkness”:

“Nós devíamos ficar longe um do outro”, ela disse. “Como Magnus falou.”

“Eu sei. Eu não teria vindo te ver, mas tem algo que eu queria perguntar.” Ele jogou a faca. Grudou na parede, ao lado de uma das facas de Emma. Ela sentiu um orgulho sombrio; as pessoas costumavam subestimar o quanto Julian era um bom Shadowhunter. “É uma pergunta meio estranha, mas se você fosse pensar em um símbolo, uma coisa que te fizesse lembrar de Livvy – o que seria?”

“A espada dela”, Emma disse. “Por quê?”

“Não importa.” A voz dele estava rouca. “Nós provavelmente não devíamos falar sobre coisas emocionais.”

“Então podemos conversar sobre o que? Não nossos sentimentos, nem nossa família – o que?”

“Nós nos jogamos no que está acontecendo”, Julian disse. “Nós fazemos o que pudermos para derrubar a Tropa.”

Foi a vez de Emma segurar uma faca. Ela jogou com força, violentamente, e acertou a parede com força o bastante para rachar a madeira.

Vocês podem ver todos os extras e cenas excluídas que já saíram de todos os livros acessando AQUI.

Queen of Air and Darkness“, o 3º e último livro da trilogia “Os Artifícios das Trevas”, será publicado em língua inglesa no dia 04 de dezembro próximo. Para comprar “Rainha do Ar e da Escuridão” EM INGLÊS em sua versão física capa dura com todos os brindes que virão na 1º edição por R$ 95,66 clique AQUI. Para comprar a versão capa brochura sem os brindes da edição capa dura por R$ 53,83 clique AQUI. O livro também está em pré-venda em seu formado digital por R$ 29,90 e para comprar, basta clicar AQUI – a Amazon disponibiliza gratuitamente seu aplicativo Kindle que permite que você leia seus livros digitais em qualquer dispositivo (tablete, celular, notebook, etc) e para baixar, basta clicar AQUI. Ainda algumas informações importante para quem desejar comprar na Amazon: o livro somente é cobrado na sua fatura quando enviado, ou seja, dezembro. Se nesse período de tempo o preço baixar, você paga o preço mais barato. A Amazon Brasil também dá frete grátis acima de 99 reais.

Lembrando que tudo isso é a versão EM INGLÊS. Aqui no Brasil, a Galera Record ainda não deu uma data de publicação para o livro e nem divulgou capa ou titulo oficial. Se tivermos qualquer novidade sobre, iremos divulgar. Já para saber todos os extras que virão na 1º edição em língua inglesa, basta clicar AQUI.

Confiram o trailer de “Queen of Air and Darkness” legendado e se inscrevam em nosso canal clicando youtube.com/idrisbr.

Para saber mais sobre “Os Artifícios das Trevas”, basta clicar AQUI.

Fonte [x]