Um Verão Na Itália (As irmãs Shakespeare # 1)
Carrie Elks

Páginas: 280
Editora: Verus

SKOOB

Férias de verão gratuitas em uma bela villa na Itália. A condição? Dividir a casa com seu maior inimigo… O primeiro volume da série As irmãs Shakespeare. Cesca Shakespeare chegou ao fundo do poço. Depois de escrever uma peça de teatro premiada que acabou em desastre, o bloqueio criativo se instalou, sem previsão de ir embora. Seis anos mais tarde, ela acabou de perder mais um emprego pavoroso e está prestes a ser despejada de seu apartamento. Pior ainda, suas irmãs não fazem ideia de como sua vida vai mal.

Assim, quando seu padrinho lhe arruma uma temporada de verão em uma bela villa italiana, sem ter de pagar nada por isso, Cesca concorda, meio a contragosto, em ir para lá e tentar escrever uma nova peça. Isto é, antes de descobrir que a casa pertence a seu arqui-inimigo, Sam Carlton.

Tendo acabado de ver seu nome em todas as manchetes pelas razões erradas ― mais uma vez ―, o galã de Hollywood Sam Carlton precisa de um lugar para se esconder. Que opção melhor do que a linda villa desocupada de sua família à beira do Lago Como? Só que, quando ele chega, descobre que a casa não está tão desocupada quanto ele esperava. Ao longo do quente verão italiano, Cesca e Sam terão de confrontar o passado. E o que começa como uma hesitante amizade rapidamente se torna uma atração intensa ― e depois uma aventura ardente.

Cesca é uma roteirista que se aposentou antes mesmo de começar. Em sua primeira peça, um acontecimento fez com que a carreira dela entrasse ladeira abaixo e retirando qualquer amor e inspiração para continuar sua escrita. Com isso ela teve que tentar outros empregos da qual odiava e só fazia isso pois precisava trabalhar, porém sempre terminava nela sendo despedida por falta de dedicação e é claro que isso ia acontecer… quem consegue trabalhar bem em algo que você sabe que não é a profissão dos sonhos? Vendo Cesca continuar em uma vida da qual não escolheu e sendo infeliz, seu padrinho ajuda ela em um emprego que pode ajudar ela ter tempo pra se dedicar a escrita; sua resposta? Sim! Além de ter um tempo pra sí mesma, sua escrita, Cesca se vê em uma cidadezinha no interior da Itália. Que sonho certo? Só que não. Nossa protagonista se vê no seu próprio inferno astral quando alguém do seu passado aparece para te assombrar.

O livro se passa em uma cidadezinha da Itália e é claro que isso já desperta aquela curiosidade na gente… Quem não gostaria de tirar uma férias pra relaxar na Itália? E sem contar com essa capa MARAVILHOSA que dá pra sentir a magia do livro; parece demais uma pintura de tão linda, a Verus fez um papel incrível. Talvez tenha sido isso que me fez ter muitas esperanças com o livro da Carrie Elks e sua escrita, então quando comecei a ver tantos defeitos foi impossível não ficar muito triste. Infelizmente a capa, a protagonista engraçada e o cenário foram as únicas boas do livro no meu ponto de vista.

Eu sinto muito para todas leitoras que amaram esse livro, mas nós temos o dever de ser 100% sinceros do que achamos das nossas leitoras pois vocês esperam isso da gente. E essa é a minha opinião é claro, fiquem livres para sentirem de outra forma ao lerem esse livro já que cada leitor tem sua imaginação e sua forma de pensar.

Agora preciso falar algumas cenas do livro pra explicar o motivo da minha nota, mas vai conter pequenos spoilers de algumas cenas e parte do enredo, então se você não quer saber, pula daqui pra baixo ok? <3

Spoiler

“Eu sabia que alguma coisa tinha acontecido com você. Você tem um olhar perdido que me faz querer saber mais a seu respeito. É muito sedutor.”

Houve uma cena em que um vizinho dá flores a Cesca e o Sam simplesmente joga todas foras dando a desculpa de que não queria que nenhum homem desse flores a ela sem ser ele e a pergunta se ele foi idiota de fazer isso; a resposta dela? Não, ele não foi idiota. Outra cena que me incomodou bastante foi ele buscar falar alguns diálogos como: Ele: “eu poderia te prender no quarto.” Ela: “eu iria sair pela janela.” Ele: “eu poderia te amarrar.” Tudo bem que poderia ser uma cena caliente, mas era apenas ele não querendo que ela saísse de casa.

O mais triste disso tudo foi o quanto senti que Sam diminuía nossa protagonista, além de diminuir trabalhos que são de muito orgulho e JAMAIS deveria ser rebaixado como foi nesse livro. A Cesca foi contratada pra cuidar da casa enquanto os reais cuidadores da casa estivessem em uma viagem e quando o papel de empregada foi imposto a ela quando os donos da casa apareceram, Sam odeia isso… Ele fala várias coisas de como odeia ver ela se rebaixar a isso. “Odeio te ver servindo a gente como a merda de uma empregada.” No final, Cesca descobre seu caso com uma antiga colega de trabalho dele e ele usa aquela frase que todas nós já escutamos: “Eu sou um cara solteiro de vinte e poucos anos. O que você esperava?” E é claro que depois ele tenta virar todo jogo pra cima e ela nem percebe.

“Você não me notou te seguindo pela casa? Não me viu te seguir até o carro hoje, praticamente ameaçando o cara com quem você saiu?”

Eu não consigo lidar com livros com diálogos sexistas e machistas em pleno 2018. Esse livro tem uma temática muito boa, um plot bem gostosinho e seria lindo se tirasse esses discursos e deixassem algumas cenas fofas deles, porque tinha. Cesca é uma personagem engraçada e seu amor pela escrita é maravilhoso, assim como Sam até uns 20% do livro estava ótimo (até abrir a boca, aquelas hahaha). Talvez se ele tivesse agido assim e a Cesca tivesse dado uma voadora nele eu não teria me irritado tanto, mas a forma como ela agia normalmente aceitando o que ele falava e a autora tendo romantizado tudo isso foi demais pra mim. Infelizmente foi demais pra mim e foram esses os motivos da minha nota.

Mais uma vez, espero que entendam que sempre vamos ser sinceros sobre o que achamos dos livros. Comentem com a gente o que acharam? Opinões iguais e contrárias são sempre bem-vindas! <3