Indicação: Younger

Blog, Séries

Sinopse: “Liza (Sutton Foster) é uma mãe recém divorciada de 40 anos de idade, cujo marido a deixou por uma mulher mais jovem, que tenta, sem sucesso, conseguir um emprego depois de 15 anos inativos. Depois de ter sido confundida com uma menina de 20 anos por um jovem chamado Josh (Nico Tortorella), elabora um plano com sua melhor amiga Maggie (Debi Mazar) para se passar como uma mulher de 26 anos e, assim, obter um emprego. O plano tem sucesso, tornando-se a assistente de Diana (Miriam Shor) em uma editora, logo nasce uma amizade com Kelsey (Hilary Duff), sua louca colega de vinte e poucos anos.”

Uma das primeiras coisas que eu preciso dizer sobre essa série, é que ela estava guardada na minha lista de “para assistir” desde que havia saído sua segunda temporada. Ou seja, bastante tempo. E de certa forma eu até mesmo agradeço por não ter assistido antes, e não porque é ruim, e sim porque é muito boa. É aquele tipo de série que você não quer nunca que acabe, que você sempre está com mais vontade de ver outro episódio, e isso só aumenta ainda mais considerando que os episódios são bem pequenos.

Eu assisti as quatro temporadas de Younger tão rápido que até mesmo pareceu que eu só havia assistido uma temporada. E agora estou naquela famosa e famigerada fase de nenhuma série que eu assisto consegue se comparar, e eu tentei assistir outras séries, para suprir as necessidades. Uma delas sendo Sex and the City, que é do mesmo criador, porém muito mais famosa. E bem…. Digamos que talvez essa série não tenha envelhecido muito bem, e eu acabei problematizando coisas demais.

De qualquer forma, Younger conta a história de Leslie ‘Liza’ Miller, uma mãe de 40 anos recentemente separada, foco no fato de que não é divorciada ainda, considerando que não tinha o dinheiro para oficializar a separação com seu marido. Ela basicamente acabou de perder tudo em sua vida, sua casa, seus bens, e alguns diriam até que a sua autoestima, considerando o fato de que seu marido havia lhe traído com uma mulher mais nova.

Sua filha está estudando em um intercâmbio em outro país, e Liza precisa arrumar um emprego para bancar a sua filha. Entretanto, depois de milhares de entrevistas, a mulher não consegue entrar na área de trabalho que tanto amava e se dedicou antes de ter sua primeira filha, o motivo principal sendo por sua idade. Por ter ficado tanto tempo ‘sem fazer nada’. E olha, uma das coisas que mais me deixou de boca aberta sobre essa situação é porque Liza se formou em uma faculdade Ivy League (para quem não sabe são as melhores faculdades dos estados unidos, e quase impossíveis de se conseguir entrar) e mesmo assim estava tendo problemas de conseguir trabalho, então imagine como deveria ser para mães em sua mesma situação que não se formaram em escolas tão prestigiadas?

Enfim, Liza está quase desistindo de seguir na carreira que tanto sonhava, quando ela é confundida por um jovem chamado Josh com uma garota de vinte anos de idade. Eles flertam um pouco em um bar, e você logo sabe que aquilo vai se tornar algo mais no futuro, afinal somos acostumados com esses tipos de histórias de amor.

Liza conta sobre o ocorrido para sua melhor amiga lésbica que está lhe deixando morar em sua casa no Brooklyn, Maggie Amato. E a mesma lhe dá a ideia de mentir sobre sua idade, para ela simplesmente falar que realmente tem vinte e poucos, e conseguir o emprego que tanto queria. E tudo bem, nesse momento eu pensei ‘não tem como uma mulher de quarenta anos se passar por uma de vinte, impossível’ até que eu vi o ‘makeover’ que deram na personagem, a fazendo vestir roupas mais modernas, e olha, sinceramente? Quanto mais tempo passava na série, mais ela ficava jovem. A cada temporada Liza Miller passava por um momento de Benjamin Button, não estou brincando.

De qualquer forma, ela consegue o emprego depois disso na editora de livros, Empirical, como assistente da chefe de marketing, Diana Trout. Que eu tenho que dizer, é uma das melhores personagens da série e também a que mais tem crescimento, eu cheguei a morrer de orgulho dessa mulher na última temporada lançada. Sou muito fã da Diana sim! E outra, além de ter essa mulher maravilhosa como chefe, Liza também é subordinada do dono da editora, Charles Brooks. Que de primeira eu achei que teria apenas pequenas aparições e nada mais do que aquilo, mas logo se tornou o único homem que presta dessa série (fãs do Josh não me matem).

Liza também faz amizade com a sua colega de vinte anos e poucos, Kelsey Peters, com quem ela cresce mais e mais. Sério, na minha opinião a série é sobre amizade dessas duas mulheres, pois tudo gira em torno das duas. Tem momentos difíceis? Claro, mas ainda assim a amizade sempre prevalece, e passa uma mensagem muito positiva para todas as telespectadoras mulheres. Principalmente considerando como é difícil encontrar amizades femininas bem representadas hoje em dia. Inclusive, menção honrosa a personagem que originalmente deveria ser uma participação especial e foi tão maravilhosa que se tornou regular, Lauren Heller. Ela é a melhor amiga da Kelsey, e logo se torna uma boa amiga da Liza também, e sinceramente, eu a amo demais. Hilária.

Toda a mensagem da série é incrível, eles conseguiram mostrar de um jeito bastante eficaz que idade realmente é apenas um número. Não importa se você tem quarenta, ou vinte, ou trinta, ou cinquenta anos, se você quer seguir o seu sonho? Nunca é tarde demais. E lembrando que isso se trata de uma série de comédia.

Porém também mostra que não vai ser fácil, para pessoas mais velhas nunca é fácil. Precisa se provar mil vezes mais, e até mesmo fazer o impossível, como a própria Liza. O fato de que ela não conseguia arrumar um emprego por conta da sua idade me deixou muito revoltado durante toda a série, e todas as vezes que quase descobriram, eu de certa forma torcia para que descobrissem mesmo, e vissem que a idade dela não importava, pois ela era tão boa quanto uma garota mais nova, talvez até mesmo melhor.

Essa série transparece muito bem como somos todos escravos da juventude, como todos nós queremos fazer tudo tão rápido, que precisamos terminar a faculdade o mais rápido possível, para conseguir um emprego logo, e então ficar com sucesso antes mesmo de fazer trinta. É um pensamento muito complicado, principalmente quando se tem tanta pressão para que realmente façamos isso. Essa série me ajudou a perceber que eu tenho tempo de sobra ainda, não preciso de matar por nada, posso fazer tudo no meu tempo e tudo vai dar certo no final.

Eu recomendo muito Younger para qualquer pessoa que gosta de um humor leve, uma comédia que lhe faz rir, mas também lhe faz se apaixonar pelos personagens e desejar que sempre fiquem bem. Sem falar nos ships, porque acreditem, existem #teams em Younger, e se Deus quiser o meu Team irá prevalecer (acho que ta óbvio de qual se trata kkk). Estou agora no aguardo da quinta temporada, e espero que ainda tenha uma sexta, sétima e muitas outras, Younger é incrível, e sinceramente merece mais amor.

Assuntos